NO HEMISFÉRIO NORTE
É PRIMAVERA

No hemisfério norte a primavera chegou no dia 21 de março, trazendo tempo mais quente e noites com céu mais limpo. A primavera também traz para nós um outro fenômeno, que é o chamado Star Party, que surge como as flores da primavera. No inverno, poucos têm coragem de  enfrentar o frio para ver a beleza do céu. Mas no fim de abril  a estação de observações começa, com às vezes 5 por semana, em qualquer parte dos Estados Unidos.

O avô de todas as Star Parties é Stellafane, perto de Springfield Massachusets. Stellafane teve início com Russel Porter, um amador construtor de telescópios, como evento para construtores amadores poderem trocar idéias e métodos de construção de telescópios. Hoje, o evento é ainda realizado, depois de 46 anos.

Quando eu morava em Nebraska nós tínhamos star parties, mas nenhuma tão grandiosa como hoje. Eu fui à minha primeira star party há mais de 15 anos. Texas Star Party é sempre em Fort Davies, Texas, durante a lua nova em abril ou maio.

Star Party para mim vem fortificando amizades por muito tempo com pessoas do mundo todo. Essas pessoas são de todas as classas sociais, médicos, advogados, chefes indígenas. Eu chamei a Star Party um fenômeno e isso é verdade. É uma reunião de mentes com um único objetivo: Astronomia. Com o avanço da tecnologia, a astronomia amadora também avançou, do filme fotográfico até CCD. Com toda essa tecnologia há uma única razão de nossa reunião - o prazer infinito de contemplar o cosmos. Em minha viagem a Campinas para assistir ao "I Festival  Astronômico de Campinas" tive o privilégio de ver constelações, aglomerações e nebulosas que eu antes só vira em fotos ou livros.

Agora é minha vez de ëxcitar vocês! Há nebulosas e galáxias que vocês nunca viram. Algumas das minhas favoritas estão muito perto da estrela polar Polaris. Uma que eu nunca me canso de ver é M31, a grande Andromeda Nebula.

M31 ds 240

A região da Andrômeda e Pegasus contém muitos objetos interessantes para observação, mais ou menos 244. Mas a jóia é a Andromeda Nebula M31. Em uma noite limpa pode ser vista a olho nu, mas através de um pequeno telescópio ou binocular mostra uma forma oval. Na vizinhança da M31 está a  mais brilhante galáxia vista de frente, no hemisfério norte, M33 na constelação de Triangulum.

M 101 ds 42

Na constelação da Ursa Maior há a maior galáxia de frente M101, que é uma das mais brilhantes galáxias do céu, porque seus braços são tão esticados através do céu, que mesmo com um telescópio de porte médio é fácil de ter uma visão perfeita. Uma coisa interessante: Thuban ou Alpha Draconis, na constelação de Draco, foi a estrela polar norte em 3500 AC; quando as pirâmides foram construídas Thuban foi adorada pelos egípcios.

M 13 ds 60

Seguindo a nossa lista dos "obrigatórios" deve-se ver a constelação de Hércules. Imagine uma pedra como parte superior do corpo de Hércules e embaixo de seu braço esquerdo a aglomeração M13. Numa noite muito escura e limpa M13 parece um pedaço de algodão. Um telescópio vai revelar centenas de estrelas. A constelação é cheia de galáxias e estrelas duplas.

M 51 ds 18

A maioria das galáxias está a milhões de anos luz de distância. A galáxia Whirlpool está "somente" a 15 (M51) milhões de anos luz de nós. Não está muito longe do cabo do Big Dipper (Ursa Maior) como uma galáxia acompanhante. Ambas estão de frente e pode-se ter uma vista maravilhosa! Para nossa surpresa, em um telescópio maior vemos aglomerações e galáxias no fundo; a razão é que  nessa região você está olhando para fora da via láctea e seu centro, por isso tem menos poeira e interferência da nossa galáxia, a Via Láctea. Esta parte do céu tem muitos objetos visíveis a olho nu e com pequenos telescópios.


Traduzido por Helga Szmuk

 

Revista Rio Total

Editoração e Coordenação:
IRENE VIEIRA MACHADO SERRA
irene@riototal.com.br