ISAAC
NEWTON

   

Isaac Newton nasceu em 4 de janeiro de 1643 e, era tão pequeno, que quase morreu. Talvez ele tenha sido o maior gênio que já viveu. Filho único, seu pai faleceu 3 meses antes que ele nascesse e foi criado pelos avós maternos. Ele era um homem solitário, com poucos ou nenhum amigo e nunca se casou.
Ele pertenceu a um grupo muito pequeno de gênios que mudaram o pensamento da humanidade, e mesmo depois de Einstein nós ainda pensamos da maneira de Newton.

Ele acreditava na escola de Maimônides e era monoteísta judaico. Como Kepler, era imune às superstições e misticismo. Em 1663, na idade de 20 anos, ele comprou um livro sobre trigonometria, mas não o entendia... após pouco mais de 2 anos, ele inventou o cálculo diferencial.

Era fascinado pela luz e pelo sol, e foi obrigado a ficar no escuro por 3 dias para recuperar a vista, depois de olhar para o sol por muito tempo.

Em 1666, com a idade de 23 anos, estudou na  universidade de Cambridge, quando a epidemia de peste lhe forçou a ficar um ano sem trabalhar. Nesse tempo, ele inventou o cálculo diferencial e integral, fez descobertas fundamentais sobre a luz e  deu o fundamento da teoria da gravidade. Esse ano é chamado  de "o ano milagroso". Só mais uma vez  existiu um ano assim: quando Einstein  descobriu a lei da relatividade.

Quando lhe perguntaram como descobriu tudo isso, ele respondeu: pensando!
Seu professor deixou  sua cadeira em  Cambridge, a seu favor.
Um empregado contou: Eu nunca o vi descansar, tomar ar fresco, passear, divertir-se.

Ele somente estudou, dando aulas para poucos alunos. Os alunos de Kepler e Newton não sabiam  o que estavam perdendo...
Newton descobriu  a lei da inércia - A tendência dos corpos  em movimento a continuar numa linha reta, até alguma força influenciar para mudar este movimento.
A Lua , pensava Newton, voaria numa linha reta tangencial se não existisse uma outra força constantemente convergindo  o caminho  para um quase círculo, puxando em direção à Terra. Essa força ele chamava de GRAVIDADE e acreditava que age também à distancia, mesmo não havendo nada fisicamente ligando a Lua à Terra. Usando a terceira lei de Kepler, Newton deduziu matematicamente a natureza da força da gravidade.

Ele demonstrou que a mesma força que faz uma maçã cair, faz a Lua ficar em órbita, assim como as luas de Júpiter, também. A Lua gira ao redor da Terra. Isto já fora entendido deste os tempos remotos. Newton foi o primeiro homem a descobrir que este fenômeno tem as mesmas forças. Este é o significado da palavra UNIVERSAL. A lei do quadrado do inverso - a força diminui com a distância - por isso as planetas e os cometas se movem mais rapidamente perto do sol e mais lentamente quando mais distantes. Mas o que é essa força que age também através das distâncias, e todo o universo precisa obedecer? Nem Newton sabia a resposta.

Einstein falou: "Até Deus precisa obedecer à lei de Newton."

Três homens membros da "royal society": Edmund Halley (o descobridor do cometa), Christopher Wren (um astrônomo, geômetra, arquiteto  da St. Paul's Cathedral) e Robert Hook (o descobridor da rotação de Júpiter). Que trio fantastico! Durante as refeições, Halley e Hook conversaram sobre a convicção deles que a força da gravidade deve diminuir pelo quadrado da distância. Eles tinham certeza que esta lei podia explicar a descoberta de Kepler das órbitas elípticas das planetas. O problema  era que Halley não conseguia provar isso matematicamente. Os dois tentaram, mas não conseguiram... A pessoa certa seria Newton.
Halley perguntou a Newton:
- Se a força da gravidade diminui com a distância, então, que forma seria a trajetória de um cometa?
Newton respondeu imediatamente:
- Elíptica!

- Certo! Como você chegou a essa conclusão?
- Cálculo.

Mas ele havia perdido  todos as suas anotações! Ele procurou entre centenas de papéis, traduções do hebraico, grego, poesias, mas os cálculos da lei da gravidade foram perdidos... Ele nunca pensara em publicá-los, para não ser perturbado pela fama. Assim, ele foi obrigado a fazer todos os cálculos de novo. A lei que mudou nosso pensamento para sempre foi para a cesta de lixo.Ele trabalhava dia e noite (não tinha computador para ajudar) para cumprir a promessa que dera para Halley. Finalmente pronto (pela segunda vez)!

Halley reconheceu o enorme significado e encorajou Newton a escrever um livro sobre a gravidade e a dinâmica  do sistema solar: O "PRINCIPIA". Uma das obras primas da humanidade. Esse livro ocupava  totalmente sua mente. Ele trabalhava dia e noite, esqueceu de comer, esqueceu as horas completamente, andava sozinho  no jardim - pensando. Ele que trouxe ordem para o universo, tinha uma vida completamente desordenada. Às vezes escrevia em pé, se esquecendo de pegar uma cadeira. O "nascimento" do Princípio confirmou as palavras de Thomas Edison: Gênio é 10% de inspiração e 90% de transpiração". Como  os primeiros compassos  da 5a simfonia de Beethoven que não mostra uma inspiração repentina, mas uma constante repetição do mesmo tema. Em abril 1668, finalmente, ele entregou a Halley a obra. Uma obra cheia de eterna beleza, sabedoria e graça. Uma obra de arte!

Se foi para sempre a falsa idéia   de Aristóteles de que elementos diferentes  agem de maneira diferente. A água teria  diferentes leis de movimento do fogo ou a terra. No Universo de Newton todos os  objetos no universo são descritos pela massa. Massa possui inércia. Quando um objeto é colocado em movimento ou um objeto em movimento muda a velocidade é necessário uma força. Essa mudança é chamada aceleração. Esta é a segunda lei  de Newton. Força é igual à massa vezes aceleração ( F=ma ).
A ação produzida  resulta numa reação, a terceira lei de Newton. (força e reação)

Halley pagou as despesas de impressão dessa obra muito difícil de ser vendida. Muito pouca gente entendeu, e menos ainda compravam o livro. Halley deu de presente um livro para o rei James ll, para Voltaire e Christian Hugges perguntou se "Newton come, bebe, dorme, como os outros homens." A resposta era NÃO! Ele era uma força da natureza, inatingível como uma estrela.

Mas como homem, era um fracasso. Teve muitos inimigos, era anti-social, muito fechado. Em seus últimos anos, caiu em profunda depressão. Hoje se fala que era uma intoxicação de chumbo.

Foi eleito membro do parlamento, mas durante um ano de posse falou só uma única vez: "Fechem a porta, tem vento aqui!"

Foi estabelecido  que cada  efeito tem uma causa, ele sabia  que a órbita dos planetas é influenciada não somente pelo sol, mas também pelos outros planetas. Cada matéria  exerce influência sobre outra, mas fazer os cálculos de toda matéria do universo, de cada pessoa sobre outra pessoa, era impossível. A interação de todos os planetas e de todas as estrelas e galáxias no universo precisa mais do que a força de todos as mentes e inteligência de toda a humanidade. Talvez um dia os supercomputadores possam fazer esse cálculo possível.
Mas quem estabeleceu  essas leis do universo? Aqui, outra vez o conflito com a religião. Voltaire falou: "Se todos as coisas dependem de outras coisas, então o homem tão pequeno e insignificante, também não tem vontade própria.
"

Newton pensou que se cada efeito tem uma causa, então a primeira causa só pode ter sido por causa de um Deus.

Kepler e Newton representam uma transição na história humana: simples regras matemáticas determinam o universo. Nossa civilização, nossa visão do mundo, nossa exploração do universo nos tempos modernos estão profundamente atnigidas e em dívida com eles. (Carl Sagan)

Antes de morrer, ele escreveu:

"EU NÃO SEI O QUE EU POSSO PARECER AO MUNDO, MAS NO QUE CONCERNE A MIM EU PAREÇO TER SIDO APENAS UM MENINO BRINCANDO ÀS MARGENS DO OCEANO, E ME DISTRAINDO EM OCASIONALMENTE ACHAR UMA PEDRINHA MAIS  LISA OU  UMA CONCHA MAIS BONITA QUE AS COMUNS, ENQUANTO O GRANDE OCEANO DA VERDADE PERMANECE AINDA A SER DESCOBERTO"

Isaak Newton

Helga Szmuk, Astrônoma Amadora


Revista Rio Total

Editoração e Coordenação:
IRENE VIEIRA MACHADO SERRA
irene@riototal.com.br