SALA DO CAPÍTULO

(Parlatório)

O grande salão no qual os religiosos atendem os fiéis, chamado antigamente "Sala do Capítulo", foi construído entre 1754 e 1757 pelo guardião Frei José de Santa Maria Silva, eleito no Capítulo de 19 de outubro de 1754.

Suas dimensões são de 20,50 por 6,50 metros. O teto com suas molduras e pinturas é ainda o original. As paredes ostentam telas a óleo de São Jerônimo, o tradutor da Bíblia para o latim, São Boaventura, Santo Tomás e São Gregório Magno e de outros santos e santas.

O crucifixo, com o docel e as duas pinturas sobre madeira, aos lados, são relíquias de um oratório que existia atrás do antigo órgão que, colocado na parte fronteira do coro, vedava a visão para o altar.

Numa das cabeceiras da sala, provavelmente na do lado da portaria, havia um altar dedicado à Sant’Ana, enquanto que, na oposta, uma cátedra na qual se assentavam grandes professores para lecionar não somente aos frades, mas também aos seculares que assiduamente freqüentavam as aulas. A terça parte deste salão, a começar da portaria, abrigava sepulturas de homens célebres, como as do General Boem, de José Cichorro, do grande músico Marcos Antônio Portugal e mais outros. Em 1911, na reforma do Convento estas sepulturas foram retiradas e suas covas aterradas.

 

Frei Albano Marciniszyn, OFM

 
 
     
  Rio Total