A FESTA DO SOLDADO

 foto do 
                baú-altar

(foto do baú-altar)

Uma festa extraordinária regista a Crônica do Convento para o dia 25 de agosto de 1935, a “festa do soldado”. Havia sido escolhido este dia, por ser o dia natalício do grande cabo de guerra, Duque de Caxias, e a nossa igreja por estar ligada à história pátria por muitos títulos. Houve Missa rezada pelas 10 horas, com a igreja repleta de oficiais e soldados. Foi celebrante D. Octávio, Arcebispo de Maranhão, hoje de Campos, e a Missa se disse sobre o altar restaurado que o Duque levava consigo nas campanhas. Conservamos essa relíquia histórica no nosso Museu e foi-nos oferecida pelos descendentes do Duque e residentes em Quissamã.

Durante a Missa, fez um vibrante sermão o cônego Henrique Magalhães, enaltecendo o Duque como extremoso pai de família e valente cabo de guerra. Uma banda de música de 52 figuras, posta no claustro, executou peças clássicas de estilo adequado.

Acabada a Missa, quiseram os militares recordar os tempos passados, entregando ao Guardião uma carteira com o soldo de Santo Antônio  correspondente ao mês de agosto, na importância de 80$000. O Guardião agradeceu, fazendo votos que o santo Tenente Coronel do exército brasileiro sempre protegesse os seus camaradas. – Nos mesmos moldes foi o dia celebrado em 1936, sendo a Missa celebrada pelo Bispo D. Benedito de Souza, que também fez o sermão.

 

O Convento de Santo Antônio
Frei Basílio Röwer, OFM
(pags. 315-316)

 
 
     
  Rio Total