Ano 12 - Semana 604


 

 



 

    24 de outubro, 2008
---

 

Cervejas de Verão


Não dá pra imaginar o verão sem uma boa cerveja. As importadoras e as cervejarias artesanais do Brasil estão trazendo e produzindo cervejas próprias para o clima tropical do país. São classificadas como cervejas especiais, já que o conceito de produção é bem diferente do que temos por aqui.

Localizada em Votorantim, interior de São Paulo, a microcervejaria Bamberg se destaca no cenário nacional pela qualidade e paladar das cervejas que produz. A cerveja Pilsen da Bamberg foi eleita a melhor pilsen artesanal do Brasil. Estilo ideal para dias quentes, a Pilsen é elaborada de acordo com a Lei de Pureza da Baviera, ou seja, seus ingredientes são água, malte lúpulo e fermento. É uma cerveja única, pois equilibra perfeitamente seus componentes, sem deixar que nenhum se sobreponha aos outros.

A Weizen é outro estilo produzido pela Bamberg que combina perfeitamente com o Verão. Possui nuances de banana e cravo provenientes do processo de fermentação, terminando com o frescor que só uma cerveja de trigo tem.

Agora imagine uma cerveja feita para ser tomada com pedra de gelo e limão e ainda por cima orgânica? Pois é, esta é a inglesa Honey Dew da cervejaria Fuller’s, uma das maiores cervejarias da Inglaterra. A cerveja orgânica chegou ao Brasil este mês e já é campeã de vendas da Boxer do Brasil, conceituada importadora de cervejas do país. A francesa Kronenbourg 1664 também cai bem no verão, é uma cerveja pilsen que mistura doses exatas de flores de lúpulo com o gostinho amargo e textura cremosa.


Números no Brasil


Os números do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv) mostram que o Brasil está entre os quatro maiores fabricantes de cerveja do mundo, com um volume anual de cerca de 8,22 bilhões de litros. O país só perde, em volume, para os Estados Unidos (23,6 bilhões de litros/ano), China (22,5 bilhões de litros/ano) e Alemanha (10,5 bilhões de litros/ano).

 




Direção e Editoria
Irene Serra