Ano 10 - Semana 514
 




 

     03 de fevereiro, 2007
---


 

Bruschetta

bruschetta - riototal



A bruschetta surgiu no período da Antigüidade, entre os trabalhadores rurais italianos, que inventaram a fórmula para aproveitar as sobras dos pães do dia anterior. E a receita deu tão certo que passou a ser apreciada em todo o território, em diversas formas.

A bruschetta pode substituir de forma muito agradável as pizzas. O antepasto à base de pão tostado, assim como a pizza, pode ser preparado com as mais variadas combinações e é também um ótimo acompanhamento para as reuniões à mesa.

Já a pizza, que chegou ao Brasil na bagagem dos imigrantes italianos por volta do século XX, ao contrário do que muitos pensam, é uma invenção dos egípcios, os verdadeiros criadores da massa à base de farinha.

A palavra bruschetta deriva de “bruscato” que em italiano significa tostado ou torrado e tem origem nas regiões do Lazio e de Abruzzo. Na região de Toscana o antepasto é chamado “fetunta”, de “fetta unta”, que na Itália quer dizer fatia untada.

A clássica bruschetta é feita com uma fatia de pão italiano rústico, de farinha escura e grossa, de casca dura, tostada na grelha, esfregada com alho, untada com abundante azeite e polvilhada com sal e eventualmente com pimenta-do-reino.

Há, porém, incontáveis variações para se preparar uma boa bruschetta. Na Toscana, o pão local, feito sem sal é guarnecido com "fagioli al fiasco", ou seja, feijão branco cozido com ervas e alho ou então, com "cavolo nero", couve picada bem fininha e aferventada em água e sal.

Como os pães italianos são diversificados, variando de região para região, a bruschetta possui sabor e aparência com características distintamente regionais. Na Puglia e na Campania, por exemplo, é feita com um pão crocante, chamado "frisella" ou "frisedda". Na Calábria, Sicília e Basilicata, a bruschetta é feita com um pão comprido de semolina e sementes de gergelim, guarnecido com tomates, azeite e orégano.

Embora certas guarnições seriam mais adequadas para determinados tipos de pães, pode-se garantir uma boa bruschetta, somente com um bom pão e um azeite de oliva de boa qualidade. A pimenta-do-reino moída na hora, também dá um sabor especial. Ainda, prefira tostar o pão na grelha a torrá-lo no forno. Ele fica macio por dentro e com uma casca crocante externamente. Se usar queijo e quiser derretê-lo, coloque as bruschettas em forno alto, por alguns minutos, isto impedirá que o pão endureça.

Experimente fazer bruschettas com pão italiano, inovando a cada vez:
com queijo brie, presunto de Parma, figo e mel;
com  tomate, champignon e mussarela de búfala;
com queijo brie e geléia de cassis ou damasco

Pode-se até organizar uma festa, somente com bruschettas, utilizando-se quatro a cinco tipos diferentes, com sabores e cores distintas, acompanhadas, é claro, de um bom vinho.

 

Receita escolhida: Bruschetta de tomate



 




Direção e Editoria
Irene Serra