Ano 12 - Semana 623
 


 

    14 de março de 2009
---

Almoço de Páscoa


Uma alimentação correta e balanceada deve ser adota pela população em geral. Entretanto, alguns grupos que sofrem de algumas doenças devem redobrar os cuidados em ocasiões especiais, onde é farto o consumo de alguns tipos de alimentos. É o caso de pacientes que fazem uso de medicação de anticoagulantes orais no próximo feriado de Páscoa.

Este grupo deve ter uma ceia preparada seguindo algumas dicas. De maneira geral são indicadas preparações leves, com carnes brancas, temperos naturais, frutas e pouca gordura. Essas orientações valem principalmente para as pessoas que sofrem de doenças relacionadas a causas cardíacas (arritmias, uso de válvula mecânica ou trombose intra-cardíaca), causas neurológicas (acidente vascular cerebral isquêmico ou derrame cerebral), causas pulmonares (embolia pulmonar e hipertensão pulmonar) ou ainda pessoas com a Síndrome Antifosfolípide (tromboses ou abortos de repetição).

Para estes pacientes, o aconselhável é servir saladas leves, compostas por folhas e legumes (tendo o consumo moderado das folhas para não interferir com o anticoagulante), evitando os molhos gordurosos e a maionese, para acompanhar o arroz. Esse pode ser servido simples, à grega ou ser acompanhado de camarão ou frutas secas (com exceção da uva passa e castanhas, que reduzem o efeito do medicamento).

O prato principal deve ser composto por carnes brancas, principalmente o bacalhau. Para essa ocasião todos os peixes são bem-vindos, se preparados assados, cozidos ou grelhados. Podem ser utilizadas preparações com salmão, cação, pescada, linguado, sardinha e frutos do mar. O indicado é que na receita não haja excesso de azeite e leite de coco. Temperos naturais como tomate e pimentão vermelho ou amarelo, limão, cebola e alho podem ser usados à vontade.

A sobremesa pode ser composta de frutas, colomba pascal e doces não gordurosos. Quanto ao chocolate e os ovos de Páscoa devem ser ingeridos com muita moderação para não interferir com o anticoagulante e também por serem muito calóricos.

O essencial para esse tratamento é evitar o consumo de folhas como espinafre, couve, brócolis, repolho, couve-de-bruxelas e frutas como abacate, figo, kiwi, ameixa seca e uva.

Seguindo estas orientações, a Páscoa pode ser melhor aproveitada, evitando problemas com a saúde.



Dra. Karin Klack
Nutricionista da Divisão de Nutrição e Dietética e do Ambulatório da Síndrome Antifosfolípide do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.