Ano 12 - Semana 659

 




 

    21 de novembro, 2009
---

 

Salsa e Salsinha
 

Hortaliça de pequenas folhas, é um dos alimentos mais nutritivos que há, com grande valor terapêutico.

De sabor suave, a salsinha é muito usada na culinária das regiões sul e sudeste do país, em saladas, sopas, molhos e temperos em geral.
Quando cozida, a salsinha destaca o sabor do prato principal.

De aroma suave e agradável, é indispensável no preparo de saladas, sopas, molhos e temperos em geral. Quando cozida, a salsinha destaca o sabor do prato principal. Geralmente é usada no clássico Bouquet Garni (ramalhete normalmente formado por três ervas).

A versão crespa tem sabor semelhante ao da salsinha, mas é mais usada na decoração dos pratos.

Originária da Europa, a salsinha era usada pelos gregos para coroar os vencedores de jogos, além de ser usada, também,  em tratamentos medicinais. Foram os romanos, no entanto, que a introduziram na culinária, oferecendo-a aos convidados para prevenir intoxicação.

De ciclo bianual, a salsinha pode crescer até 30 cm, desde que seja cultivada em solo fértil e em local com bastante luminosidade.

A salsinha acalma os distúrbios digestivos, beneficia os olhos, o sistema capilar, a glândula da adrenalina e a tireóide.

Rica em provitamina A, potássio, enxofre, cálcio, magnésio e clorina, vitamina C, fósforo e sódio. Procure as de cor verde mais escuro e sem folhas amareladas ou murchas.

Variedades: salsinha crespa


Salsa fresca todo o ano 
Corte muito finamente a salsa e coloque-a numa vasilha de plástico no congelador. Ela ficará sem melar por todo este período.

Salsa fresca durante 2 a 3 semanas
Lave a salsa muito bem, escorra-a e coloque-a na geladeira dentro de um frasco de vidro com tampa. Poderá conservá-la fresca durante 2 a 3 semanas.


 



 




Direção e Editoria
Irene Serra