Ano 17 - Semana 868


 



 

     29 de novembro, 2013
---

Ervas Aromáticas


Algumas ervas para se ter em casa

Alecrim: muito recomendado no tempero de carnes (carneiro, porco). Por tem um sabor doce e cheiro estimulante, podemos utilizá-lo na decoração de pratos.
Estimula o funcionamento do fígado, auxilia a circulação sanguínea, é antioxidante, combate o cansaço físico e mental.
É uma planta que gosta de luz e de clima seco. Não coloque esta erva aromática em locais muito escuros. Precisa de pouca água para sobreviver. As regas devem ser escassas, sem encharcamento e, para garantir a sua floração, recomenda-se abrigar a planta contra ventos fortes.
Nos meses frios coloque-o no interior, em local quente este beneficia se o transplantar para o  jardim. Nunca mantenha o alecrim abaixo dos 6°C.
Entre o alecrim podem ser cultivadas outras plantas de menor tamanho, com as mesmas condições de rega.

• Cebolinha: usada para aromatizar sopas, vinagretes, molhos, carnes, peixes, omeletes. Tem sabor picante pode substituir o sal. Contem vitaminas A e C. e dece ser adicionada ao prato no momento de servir,
É antioxidante, ajuda na digestão, na circulação sanguínea.
Suporta temperaturas baixas e altas e flutuações de temperatura, mas nunca inferiores a 5°C e superiores a 25°C. Na primavera e no verão, é aconselhável que a cebolinha seja regada  várias vezes e pouca quantidade de água (praticamente todos os dias).
A colheita deve ser moderada, uma vez que a sua folhagem é frágil e enfraquece facilmente. Não corte o superior a 1/3 das folhas.
As folhas amarelas nas plantas podem aparecer devido à falta de luz, ou somente de causa natural - a folha interna pode receber uma ou duas folhas amarelas.
Use uma tesoura para cortar as folhas do vaso, e na preparação substitua a faca pela tesoura.

• Coentro:
é um excelente tempero para aves, peixes, saladas, carne de porco.
É anti-inflamatório e antibacteriano, combate a fadiga e alguns tipos de enxaqueca.
É a erva que precisa de mais cuidados, pois é bastante sensível.
Regue com pouca água, muitas vezes, sempre que a superfície do composto estiver seca. Coloque-a num lugar quente.
No interior, o seu crescimento é limitado e leva algum tempo.
Para um sucesso garantido, transplante-o para o jardim durante os meses de calor.

Dill ou Endro: muito usada em arroz, saladas e em peixes. Tem um sabor suave e agradável. Acredita-se que essa erva aumente a força física.
Facilita a digestão, é indicada para problemas de insônia, soluços, diarreias, para distúrbios respiratórios e também menstruais.

• Estragão: é usado para temperar peixes, saladas, molhos, azeites, vinagres.
Ajuda o aparelho digestivo, previne doenças do coração, e tem ação diurética.

• Hortelã:
é usada para temperar saladas, legumes, sopas, peixes, carnes de carneiro e porco.
É uma erva descongestionante, sua infusão é ótima para gripes; evita a azia e a má digestão. Suas folhas fornecem vitaminas A, B, C alem de cálcio, fósforo, ferro e potássio.
É uma planta resistente a altas e a baixas temperaturas, mas não tolera geadas. É recomendável manter a temperatura acima dos 10°C de modo a garantir sua vitalidade.
De um corte nascem várias ramificações. As folhas pretas ou amarelas que aparecem na base da hortelã (menta) são naturais, visto que existe uma falta de luz no centro da planta a partir de uma certa altura.  Cresce melhor em condições úmidas.
Pode ser cultivada no exterior com sucesso, de preferência em um vaso, mantendo o composto úmido ao toque. Conforme o seu crescimento, remova as folhas mais altas e talos, para que a luz chegue às outras folhas em crescimento.

Manjericão: é muito utilizada na culinária italiana. É um ingrediente imprescindível na preparação de pizzas, carnes, molhos de tomate, em peixes, sopas, massas e saladas.
Combate as cólicas intestinais, diarreias, vômitos, ativa os rins, alivia o ardor ao urinar, alivia a tosse, a rouquidão, as dores de garganta.
É uma planta muito sensível, sendo que apenas ao beliscar uma folha irá criar uma contusão (ficará preta) no prazo de 10 minutos. Simultaneamente, não gostam de mudanças extremas de temperatura, nem de temperaturas muito baixas, o mínimo devem ser 12 graus.
A melhor maneira para cuidar do manjericão é regar apenas quando este começar a murchar. A planta rapidamente assume o seu aspecto, aumentando o teor de óleos essenciais produzidos, o que melhora o sabor.
Coloque-a num local quente e com bastante luminosidade.
O seu aroma afasta moscas e mosquitos.

Manjerona: pode ser usada no tempero de carnes, molhos, sopas, no tempero de azeite, óleo, vinagre, nos pratos a base de queijo, omeletes. É considerada afrodisíaca.

• Orégano: apresenta um sabor forte e fornece óleo essencial e vitamina C. É usado em saladas, molhos de tomate, carnes, peixes, massas, guisados e pizzas.
Estimula as funções gástricas, enjoos, arrotos, estomatites, é diuréticos expectorante, e ameniza dores.

• Salsa:
é uma erva usada no preparo de carnes, aves, peixes, sopas, molhos, cremes, legumes.
É diurética, alivia os sintomas de bronquite, da asma, das cólicas menstruais, na formação de gazes, e no tratamento de cálculos renais.
O cultivo da salsa faz-se há mais de trezentos anos, sendo uma das plantas aromáticas mais populares da gastronomia mundial. Subsiste tanto no verão como no Inverno, suportando bem as flutuações de temperatura. Gosta de uma irrigação razoável, portanto, veja sempre se o composto está úmido.
Ela pode ser suscetível a pragas. Colocar cebolinha ao seu lado  pode ajudar na prevenção das mesmas. A salsa gosta da companhia do espargo e do tomate.

• Sálvia: usamos no preparo de sopas, feijão, molhos de tomate, com queijos, batatas, no tempero de carnes e em marinadas.
É anti-inflamatório, reduz flatulências e é anticarcinogênica.
A sálvia (ou salva) prefere locais temperados e ensolarados, no entanto é bastante resistente ao frio e até a geadas. Produz folhas todo o ano. Tolera a secura, apenas necessita de regas controladas (quando o seu composto estiver bastante seco), sendo que não carece de muita água. Quando na presença de excesso de água no solo, as suas raízes tendem a apodrecer rapidamente, levando à morte súbita da planta. Suporta temperaturas entre os 3°C e os 23°C
O seu cultivo na horta, juntamente com outras espécies, repele uma série de pragas, entre as quais a borboleta-branca da couve.
Necessita de ser podada periodicamente de forma a prevenir o envelhecimento precoce e estimular novos rebentos.
As folhas da sálvia devem ser colhidas logo no início da floração da planta, devendo-se fazê-lo nos horários mais frescos do dia.

• Tomilho: tem o odor parecido com a hortelã, contem vitaminas do complexo B, vitamina C e também magnésio.
usado no preparo de aves, molhos, saladas, sopas e é um ótimo substituto do sal.
É digestivo, anti-inflamatório, expectorante, ajuda a limpar as vias respiratórias.


Plantando as ervas

É recomendado usar uma mistura de terra comum, adubo orgânico, e areia lavada nos  vasos: Coloque no fundo do vaso ou da sua jardineira uma camada de cascalho para assegurar a drenagem antes de colocar a terra.
O solo adequado para plantar as ervas deve ser fofo, leve e poroso. Precisa ser arejado e drenado, para poder facilitar a circulação da água e do ar. Também precisamos misturar areia e matéria orgânica à terra comum do jardim.
Podemos plantar vários tipos de ervas no mesmo vaso, basta observar as características semelhantes. Saiba que algumas ervas podem ser semeadas direto no vaso ou no jardim, no local definitivo, mas tem as que precisam ser semeadas em sementeiras, onde forma a muda que depois será transplantada.
Procure usar sementes de qualidade que tenha grande poder germinativo. Com os vasos semeados, precisamos cuidar, regar com frequência e de acordo com as necessidades das ervas, também precisamos adubar, observar a posição do sol tanto de manhã como de tarde, e ainda precisamos ter o cuidado de limpar, observar se não tem pragas, se necessário mudar a posição dos vasos, e também observar o desenvolvimento das plantinhas.
Você pode organizar os vasos colocando-os juntos e inclua vasos de plantas ornamentais para mudar o aspecto do seu jardim. Você também pode multiplicar suas ervas por meio de estacas de caule ou por touceiras, para isto procure uma planta-mãe sadia, que não tenha pragas ou doenças.


Cuidando:


Se comprá-las em vasinhos, retire do saco que as envolve, retire as possíveis folhas danificadas e coloque sobre uma base no parapeito da sua janela, longe de correntes de ar. Se possível, num local com luz, e com poucas horas de sol direto.
O local ideal deve ser um lugar soalheiro, mas sem sol direto, nem correntes de ar. Aconselhamos o parapeito da sua janela da cozinha, uma forma de tornar a sua cozinha mais agradável e ao mesmo tempo o ideal para a sua planta.
Ao fim de 2 a 3 semanas é aconselhável mudar a sua planta para um vaso maior, para que as raízes possam ter espaço para ser possível o seu crescimento saudável.
As ervas podem ser cortadas sempre que necessitar, pois ela voltarão a emitir novos rebentos, desde que deixe sempre algumas folhas. Aconselhamos que corte-as à mão, se possível.
Se a sua planta começar a produzir mais rebentos do que você está gastando no preparo dos alimentos, poderá congelá-la para uso futuro ou fazer vasinhos para presentear. É um presente que todos vão adorar!


Para Regar


A maior parte dos condimentos pode ser prejudicada pelo exagero de água, por isso é melhor regar suas plantinhas somente quando estiverem secas. Regue apenas para umedecer a terra. Nas sementeiras a água serve apenas para a semente germinar. Muitas plantas morrem por causa do excesso de água ou por sua falta.
Em primeiro lugar, devemos ter em conta a época do ano. É muito diferente a rega que a sua planta precisa no Inverno da que precisa no verão. Por exemplo, se para a sua planta estar saudável no verão for necessário regar uma vez ao dia, no Inverno poderá regar uma vez por semana.
Procure conhecer as plantas. Cada variedade necessita de quantidades de rega diferentes; por exemplo, os coentros necessitam de pouca rega, mas frequente, enquanto a salsa necessita de bastante água frequentemente e o tomilho aguenta pouca rega.
  Um conselho comum a todas as ervas é nunca regá-las por cima, colocar sempre a água na base de um pires/prato.
Regue muitas vezes com pouca água e sempre a partir da base, deixando a planta absorver a água, não deixe sempre água parada base. Só volte a regar quando a planta necessitar - verifique se o solo está ou não seco antes de regar.


Colhendo as ervas

Colher regularmente ervas aromáticas ajuda a manter as plantas produtivas e saudáveis. No entanto, existem maneiras corretas de colhê-las. Comece por observar como elas crescem!
As plantas aromáticas, no geral, crescem de duas maneiras: ou produzem folhas ao longo do caule (tomilho, hortelã, poejo, louro), ou lançam folhas/caules a partir de uma base ou coroa (cebolinha, salsa, coentro).
As plantas que produzem folhas ao longo do caule deverão ser colhidas cortando apenas a folha e não o caule. Dê um beliscão.
As plantas de coroa deverão ser cortadas pela base utilizando uma tesoura ou faca – tal como uma poda em pequena escala. Desta forma a plantas produzirão mais e durarão mais tempo.


Melhor época para colher

No caso de folhas suculentas, como o manjericão, colha antes de se terem formado flores, pois uma vez iniciado este processo, toda a energia da planta se concentrará em produzir flores e sementes, tornando as folhas duras e amargas.
Apanhe toda a salsa antes de começar a dar sementes, pois depois disso já não produzirá mais folhas.
Para as plantas perenes como a sálvia, corte as flores e faça a poda no final do verão, para ter uma segunda remessa de folhas que durarão suculentas todo o outono e inverno.
 

CEBOLINHAS NA ÁGUA



E faça um azeite aromatizado com as ervas

Para usar no arroz, croutons, temperos, torradas...


Ingredientes:
- 500ml de azeite
- 6 dentes de alho (esmagados e com a pele)
- 2 a 3 folhas de louro
- 2 ramos de salsa
- 6 folhas de salva
- 2 raminhos de alecrim

Modo de preparar:
Numa  panela pequena, coloque o azeite, junte os alhos e ligue o fogo.
Quando os alhos subirem, desligue o fogo(não deixe ferver!).
Junte as ervas aromáticas e deixe esfriar.



 





Direção e Editoria
Irene Serra