Ano 12 - Semana 641





 

 

       18 de julho, 2009
---

Grão-de-bico
(Para espantar a depressão use e abuse do grão-de-bico)


O grão-de-bico é originário do Oriente Médio, região cuja cultura gastronômica ainda se baseia nas proteínas desta leguminosa. O seu cultivo foi desenvolvido pelas civilizações grega, romana e egípcia, mas a sua divulgação pelas regiões subtropicais deveu-se essencialmente aos navegadores portugueses e espanhóis, e a sua difusão pela Ásia pode ser creditada aos comerciantes indianos.

Muito mais do que ajudar no emagrecimento, pois contém baixas calorias, em média 1 colher de sopa tem 69 cal, sabe-se que o grão-de-bico é um grande aliado contra a tristeza. É provável que os nossos ancestrais soubessem desse efeito, já que a leguminosa tem sido cultivada desde aproximadamente há 8.000 a.C. Acredita-se que o aminoácido triptofano é a grande estrela, pois ajuda a produzir a serotonina, que dá a sensação de bem-estar, satisfação e confiança.

O grão-de-bico é uma espécie arbustiva, anual, tolerante à seca, indicada para cultivos de  outono e inverno, que apresenta extensa variação na forma, tamanho e  coloração dos grãos. É recomendado, principalmente, para alimentação  humana graças ao seu alto valor nutritivo, à diversidade de emprego  culinário e ampla aceitação em nosso meio.
A época de semeadura é de março a abril. Devem-se utilizar corretivos e fertilizantes conforme resultados da análise do solo.
A colheita se faz aos 110 a 140 dias após a semeadura. Estando as vagens secas, arrancar ou cortar as plantas para as operações de batedura e trilhagem para remoção dos grãos.

No Egito, a dieta básica gira em torno de grãos como fava, grão de bico e lentilha. Jorge Sabongi, da casa de chá egípcia Khan el Khalili, ensina receitas práticas e saborosas com grão de bico.




Direção e Editoria
Irene Serra