Ano 13 - Semana 679

 




 

      10 de abril, 2010
---

Chocolate
O alimento funcional mais consumido na Páscoa,
porém apreciado e desejado o ano todo

Roseli Rossi

O equilíbrio na alimentação deve ser respeitado durante o ano todo, mas há momentos e épocas em que este controle se torna mais frágil, como quando estamos estressados, ansiosos, em lugares onde as tentações são fartas como em festas, aniversários, comemorações, e, uma delas é a Páscoa. Principalmente porque o símbolo desta data é justamente o que mais desperta o desejo das mulheres e da maioria das pessoas: o CHOCOLATE!

O chocolate dos tradicionais ovos de Páscoa, as colombas, os bombons, estão por toda a parte e são utilizados para serem presenteados. Comemorar com estas delícias não é pecado, afinal a alegria também vem do prazer de se alimentar e saborear. O problema está nos tipos de chocolates, na quantidade e na freqüência do consumo destas delícias...

O chocolate é um alimento funcional, pois, além de nutrir pode proporcionar benefícios ao nosso organismo, porém em quantidades moderadas e juntamente com uma dieta saudável.

O chocolate é composto principalmente por pasta de cacau, manteiga de cacau, açúcar e leite, com variações nas concentrações destas substâncias que classificam o tipo do chocolate (ao leite, light, diet, amargo, meio amargo, sem lactose), além dos incrementos e recheios que aumentam o valor calórico.

O cacau presente nos chocolates é que o faz tão valioso! A presença de substâncias chamadas de polifenóis, entre eles flavonóides com poderosa ação antioxidante ao organismo.

O poder antioxidante neutraliza os efeitos de danos celular causada pelos radicais livres (advindos do estresse, má alimentação, poluição, inflamações) diminuindo o risco de doenças e o processo de envelhecimento orgânico.

Outra ação importante destas substâncias é a diminuição da resistência de vasos sanguíneos que junto com as outras ações podem prevenir doenças cardiovasculares. Vale lembrar que também tem comprovada ação anticarginogênica. Assim, um jeito de manter uma concentração destas substâncias é comer o chocolate! O chocolate amargo pode possuir 3600ug de polifenóis do cacau e o chocolate ao leite 100ug (por 100 gramas de chocolate). Isto é o que se chama de Padrão de Identidade do chocolate.

Do cacau também pode-se obter o extrato vegetal composto por ácidos graxos e contém uma excelente propriedade no que se diz respeito à hidratação, pois ele evita o ressecamento da pele e a perda de água.

Ao comer chocolate com alta concentração de cacau (60 a 80%) tem-se ainda elevação nos níveis de serotonina, dopamina e feniletilamina no cérebro levando à sensação de bem estar e melhora do humor. Consumi-los nos momentos de ansiedade e TPM pode ser um alívios justamente por estas sensações que o chocolate proporciona, o que pode até viciar...

Estudos mostram que o vício pode se dar inclusive pela substância chamada anandamina, um tipo de gordura que ativa os receptores químicos cerebrais. Contrariamente a esta sensação contém também substâncias estimulantes do Sistema Nervoso Central, como a cafeína e a teobromina. Uma barra de chocolate possui aproximadamente 10 mg de cafeína que ajuda a melhorar a energia e o raciocínio.

Dicas para consumir chocolates sem culpa:
• Prefira os chocolates amargos por seus benefícios e evite os brancos, ao leite e os recheados;
Procure comê-lo por volta das 17 horas, pois neste horário é que nossos níveis de cortisol começam a diminuir e aí é que vem a vontade de atacar os doces;
Não é saudável privar-se do chocolate, pois toda restrição depois levará a compulsão. Controle apenas dia, hora e quantidade;
Os chocolates podem até se transformarem em deliciosas outras receitas. Não precisar comer o chocolate puro, a menos que seja de sua preferência.


Dra. Roseli Rossi é Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica (CRN 2084)
equilibrio@equilibrionutricional.com.br

 




Direção e Editoria - Irene Serra