Ano 13 - Semana 685

 




 

        22 de maio, 2010
---

Rúcula
e seu sabor picante

A rúcula (Eruca sativa), também chamada de mostarda persa, agrião mostarda ou pinchão, é uma hortaliça originária de regiões próximas ao Mediterrâneo. Era muito utilizada no Império Romano como afrodisíaco. Atualmente, a rúcula é muito popular na Itália, sendo empregada em vários pratos típicos italianos. No Brasil é mais consumida nos Estados da região sul, sendo muito apreciada pelo sabor picante e cheiro agradável e acentuado, tendo se adaptado bem ao clima brasileiro. 

A rúcula pertence à família das Brassicáceas, a mesma da couve, couve-flor, repolho, brócolis, mostarda. As hortaliças desta família possuem substâncias importantes para a manutenção da saúde, por isso inclua várias vezes por semana pelo menos uma hortaliça desta família no seu cardápio.

Apresenta folhas alongadas e pode medir entre 10 a 15 centímetros de altura. Quando cultivada durante os meses frios, possui um sabor mais picante, já quando o cultivo é realizado em épocas mais quentes, a rúcula tem um sabor forte e amargo.

Com propriedade estimulante do apetite, é nutricionalmente rica em proteínas, vitaminas A e C, e sais minerais, principalmente cálcio, ferro, enxofre e potássio, contém ômega 3 e é pobre em calorias. Devido a esse baixo teor calórico (uma xícara contém apenas 12 calorias), é indicada para fazer parte da maioria das dietas.

Tem várias propriedades medicinais: depura o sangue, melhora a gengivite, é usada na bronquite, tosse ou qualquer outra afecção pulmonar. Como contém muita vitamina C, combate o escorbuto e é diurética. Seu óleo essencial contém também nitrogênio.


Dicas Terapêuticas:


1. Mastigar as folhas e talos da rúcula, principalmente pela manhã, depois da higiene bucal, para fortalecer a gengiva.

2. Fazer um chá com 2 colheres de sopa da folha, deixar num copo, despejar água fervendo, abafar por 20 minutos, colocar mel e tomar uma colher de sopa 2 a 3 vezes ao dia para adulto. Para criança metade da dose . Guarde na geladeira e amorne toda vez que for tomar, para afecções pulmonares (bronquites e tosses).

3. Para clarear as manchas escuras da pele: acrescente à receita acima o suco de meio limão. Aplique em todo o rosto e pescoço, à noite em forma de compressas. Não use durante o dia, é perigoso porque a reação do sol com o limão na pele provoca queimaduras.
 
Quando, como e quanto comprar?

As maiores ofertas e os melhores preços ocorrem de maio a outubro.

A verdura é vendida em maços. Quando fresca, as folhas são bem verdes, firmes e viçosas.
Na hora da compra, é recomendável optar por rúculas firmes, brilhantes, além de verificar se seus talos não estão quebrados, visto que assim as folhas murcham com maior facilidade.
Se amareladas, murchas ou com pequenos pontos pretos, já não servem para o consumo

A rúcula também é vendida na forma minimamente processada, ou seja, já higienizada e embalada, acompanhada ou não de outras hortaliças folhosas.
Verifique o prazo de validade, e não compre se houver líquido amarelado no fundo da embalagem e se as folhas estiverem sem brilho, com pontos escuros nas bordas, ou se o produto não estiver refrigerado.

Para saber quanto comprar, calcule 1 maço para 4 pessoas (se for preparar salada) e 2 maços se for refogar.

Para conservar a rúcula por 2 ou 3 dias, coloque em saco plástico e guarde na gaveta da geladeira.


Como conservar?

A rúcula tem pequena durabilidade após a colheita, por isso compre somente o necessário para consumo imediato. Em condição ambiente, o produto pode ser mantido no máximo por um dia, desde que colocado em local bem fresco, com a parte de baixo em uma vasilha com água.
Em geladeira o produto deve ser acondicionado em saco de plástico ou vasilha tampada, e mantido por até 4 dias. Se lavar o produto antes de armazená-lo, escorra bem a água da lavagem antes de embalá-lo.


Como consumir?

A rúcula é um excelente
complemento de refeições. Tradicionalmente é usada crua em saladas, temperada com azeite, sal e limão. Pode substituir ou ser misturada ao agrião, alface e chicória. A mistura com folhas de sabor mais suave, como o alface, é especialmente indicada para as pessoas que consideram o sabor da rúcula muito acentuado.
Também pode ser usada como ingrediente de tortas, quiche, lasanhas, pizzas, sanduíches e bolinhos. Sempre que possível, acrescente a rúcula ao final do preparo do prato, de modo a reduzir o tempo de cozimento das folhas.

Quando consumida crua, a rúcula deve ser previamente lavada em água corrente e em seguida higienizada. Para isso, deixe as folhas de molho em solução de água sanitária (1 colher de sopa de água sanitária para 1 litro de água filtrada) por 30 minutos. Após, enxague com água filtrada. Este procedimento é importante para eliminar as bactérias, os vermes e outros organismos presentes nas folhas.

* A rúcula é um excelente acompanhamento de carnes de churrasco.
* Temperos que combinam: sal, alho, cebola, cheiro-verde, limão, azeite e vinagre.
* O suco de rúcula, combinado com agrião, é usado na medicina popular para a desintoxicação do organismo. Misture-o com suco de laranja ou cenoura para disfarçar o gosto forte da rúcula.

É importante não cortar suas folhas, comê-las inteiras ou rasgada com as mãos, (se cortadas com a faca, perdem o sabor característico).

 

RECEITAS

Salada de Rúcula com Manga Sanduíche de Rúcula com Hambúrguer de Frango Quiche de Rúcula




 




Direção e Editoria - Irene Serra