Ano 16 - Semana 831




 

         15 de março, 2013
---


 

Bacalhau

Uma boa opção para a Quaresma e Semana Santa


O bacalhau é dividido em cinco espécies, sendo que o melhor do mundo é o chamado Gadus morhua. É pescado e salgado tanto em Portugal quanto na Noruega, porém, o tipo norueguês tem coloração mais clara que o português, apesar de sabor ser o mesmo.

Espécies de bacalhau:

Cod Gadus morhua ("legítimo bacalhau" ou bacalhau do Porto) – Considerado o mais nobre dos bacalhaus, o Porto é fácil de identificar: é o maior, o mais largo, com postas mais altas e com cor palha uniforme. Quando cozido, desfaz-se em lascas claras e tenras.

Cod Gadus macrocephalus (bacalhau do Pacífico) – original das águas do Pacifico Norte ou do Alasca, é parecido com o Porto. Sua carne, quando cozida, é fibrosa e não se desfaz em lascas. Uma maneira de diferenciá-lo é observar se seu rabo e suas barbatanas, que apresentam uma espécie de bordado branco nas extremidades

Saithe – É mais escuro e tem sabor mais forte que o Cod. Sua carne é ideal para bolinhos, saladas, risotos e ensopados, pois, quando cozida, desfia facilmente.

Ling – O mais estreito dos bacalhaus. Sua carne, clara e bonita, pode ser usada tanto para postas quanto para pratos que pedem a carne desfiada.

Zarbo – O menor de todos os bacalhaus. Sua carne é escura e fibrosa quando cozida.


É importante o uso de azeite português no preparo do bacalhau.
E, para acompanhá-lo, sirva vinho tinto ou branco, mas com preferência para os reservas, mais encorpados.

 




Direção e Editoria
Irene Serra