Ano 9 - Semana 447

 



 

Outros artigos sobre
Sucot

Hag Sameach!
 

Celebrando a colheita.

Qual a essência de Shemini Atséret e Simchát Torá?

Sucot e Shemini Atseret
 

 

    22 de outubro, 2005
-

Qual o Significado de Sucot e
Como é Celebrada?


Rabino Kalman Packouz



Sucót significa "cabanas". Durante 40 anos vagando pelo deserto, nós vivemos em Sucót. Nós somos ordenados (confira em Vaikrá 22:33-44) neste feriado a fazer da Sucá nossa residência principal: comer, dormir, estudar Torá e passar nosso tempo nela. Se for muito incômodo ficar na Sucá - por motivo de chuva ou coisas do gênero - então a pessoa está liberada da obrigação de habitar a Sucá. Dependendo das condições climáticas, tentamos, no mínimo, comer na Sucá. Também somos ordenados a agitar os Arbaát HaMinim, as 4 Espécies, que têm muitos significados místicos e profundos. Entre eles: que o Todo-Poderoso controla todo o mundo, os ventos, as forças naturais e tudo o mais; que todos os Judeus estão interligados como um único Povo, sejam eles pecadores ou santos, sábios ou ignorantes.

A mitsvá de habitarmos a Sucá nos ensina a confiar em D'us. Todos nós temos tendência a pensar que nossas posses, nosso dinheiro, nossos lares ou nossa inteligência nos protegerão. Na Sucá estamos expostos à natureza, numa cabana temporária. Viver numa Sucá coloca a vida em sua verdadeira perspectiva. Nossa história tem provado isto. Nossa fé precisa ser somente em D'us.

Sucót é chamada de Zemán Simchatêinu, a época de nossa alegria. Alegria é diferente de felicidade. Felicidade é estarmos satisfeitos com o que temos. Alegria é o prazer de anteciparmos um bem futuro. Se confiamos em D'us e acreditamos que tudo o que Ele faz é para o nosso bem, então conheceremos grandes alegrias em nossas vidas!

Sucót é um dos Shalósh Regalim, os 3 Festivais (os outros dois são Pessach e Shavuót), quando a Torá ordena a todos os que moram em Israel a deixar seus lares e virem a Jerusalém, celebrar a festividade no Templo Sagrado. Nos últimos 2.000 anos, desde a destruição do Templo Sagrado, estivémos incapacitados de cumprir esta mitsvá.

Tenham, você e sua família, um ótimo e alegre Sucót !


Significado dos Arbaát HaMinim

Uma das mitsvót (mandamentos) especiais de Sucót são os Arbaát HaMinim, as Quatro Espécies (etróg, luláv, hadassím e aravót), bem como agitá-las para os 4 pontos cardeais, para cima e para baixo. Um dos significados destes movimentos é que D’us está em todo lugar. Entretanto, por que justo estas 4 espécies foram designadas para esta mitsvá?

Nossos rabinos nos ensinam que estas 4 espécies simbolizam 4 tipos de Judeus:
O etróg tem fragrância e gosto, representando aqueles Judeus que estudam Torá e praticam boas ações. O luláv (ramo de palmeira) tem cheiro mas não tem sabor, representando aqueles Judeus que estudam Torá mas não fazem bons atos. Os hadassím (ramos de mirta) têm sabor mas não têm cheiro, simbolizando aqueles Judeus que fazem boas ações mas não estudam Torá. Finalmente, as aravót (ramos de salgueiro) não têm nem sabor nem cheiro, representando os Judeus que não estudam Torá nem praticam boas ações.

Que fazemos em Sucót? Unimos estas 4 espécies, ou seja, unimos e reconhecemos cada Judeu como parte integral e importante do Povo Judeu. Se apenas um estiver faltando, a mitsvá estará incompleta. Nosso Povo é um. Precisamos fazer tudo que pudermos para unir o Povo Judeu e para fortalecer o futuro Judaico!


Traduzido e enviado por Gerson Farberas

 





Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br