Jane Bichmacher de Glasman


B”H

Valentine’s Day,
Ilan e Rona Ramon



14 de fevereiro, é Valentine’s Day.  Domingo, 16 de fevereiro de 2003 (14 de Adar I, 5763) é Purim Katan.  No Brasil, o Dia dos Namorados é comemorado em 12 de junho.  Em Israel, em Tu be-Av, que pode ser visto como a origem do Dia dos Namorados e de Valentine’s Day, celebrado desde tempos bíblicos, no 15º dia do mês hebreu de Av, como o Feriado do Amor e do Afeto. Tornou-se o feriado das flores, por ser costume dar flores de presente a quem se ama. Em 2003, o feriado cairá numa quarta-feira, 13 de agosto.

Neste dia, na Bíblia, às 12 tribos foi permitido casar-se pela primeira vez entre si (Números, 36:8ss); antes, só podiam casar-se com pessoas da sua própria tribo. 15 de Av tornou-se o Feriado de Amor, conhecido nos dias do Segundo Templo. No Talmud Bavli (Taanit 4:8), as filhas de Jerusalém vestiam-se de roupas brancas e iam dançar no vinhedos, cantando. Era também o dia da oferenda de madeira quando as pessoas traziam gravetos de madeira para o altar do Templo (Nehemias, 10:35). Além disto, neste dia os Benjaminitas foram readmitidos na comunidade (Juízes, 21:18ss) e o último rei do Reino de Israel, Hoshea ben Elá, removeu as chancelas que Heroboão instalou para impedir a peregrinação a Jerusalém. O dia do Amor também era um Feriado de Amor Fraterno.

O Talmud dá uma razão adicional e curiosa para este dia: daí em diante nenhuma madeira mais foi cortada para o Templo porque o sol não era mais bastante forte para secá-la (T. Babilônico: Taanit, 30b-31a; Tratado 121a-b; T. Jerusalém: Taanit 4:11, 69c). Teria havido uma mudança de clima súbita e drástica? Uma forte névoa teria se formado, bloqueando os raios do sol? A terra teria esfriado, pelo menos na área de Israel? Talvez nunca saibamos a resposta desta intrigante questão.

Em tempos bíblicos, o Dia do Amor era celebrado com tochas e fogueiras. Hoje em dia, em Israel, é costume enviar flores a quem se ama, amigos ou parentes. Seu significado e importância têm crescido. Canções românticas são tocadas no rádio e festas 'Dia do Amor' são celebradas à noite.

Este ano, apesar (ou talvez devido a) todo o tenso e angustiante clima de guerra, Israel exportou muitas flores para Valentine’s Day. O mundo ainda vive, em Israel mais intensamente, sob o impacto da tragédia da Colúmbia.

Gostaria de homenagear Ilan Ramon e sua esposa Rona, neste dia. No início do vôo ela acordou-o com a canção Zemer Nugue, que foi ouvida não só dentro da nave como também no centro espacial em Houston e na Nasa (em seu site). Na época, enviei uma mensagem com a letra da canção (em português, transliterada e em inglês) explicando que foi Rachel (a autora) – o que refaço agora – em homenagem ao casal Ilan e Rona, pedindo que vocês releiam com atenção a triste ironia deste canto de amor e de separação, como uma trágica e amorosa premonição...

Acendam uma vela por Ramon, real ou virtual em http://www.shkooz.com/candle/ ou visite http://www.jr.co.il/pictures/israel/history/space.htm Espero que as partes da Colúmbia, que caíram sobre a cidade americana chamada Palestine, seja um aviso divino para que possamos perceber como uma chuva cósmica de amor e esperança, regando sementes da Paz... Shabat SHALOM!

Voltando à canção... A versão enviada à nave foi a de Chalonot Há-guevohim, que posso enviar em mp3. Outra versão, talvez mais adequada ao momento: em www.hebrewsongs.com/sourcelist.htm#z Zemer Nugeh Rachel - Shirey Moledet 1&2 Singer: Ofra Haza Copyright: Hosted by Jewishmusic.com

Zemer Nuguê, Canção Triste, é uma poesia musicada de Rachel (Bluvstein), uma poeta cuja vida e obra tocam tão fundo na alma, que a escolhi como tema da minha Tese de Doutorado: "De Rachel a Rachel - Mulher, Amor, Morte e Erotização da Morte", tendo traduzido toda sua obra poética e optado por buscar nela novas dimensões, humanas, judaicas e poéticas. Ela era poética e academicamente "pouco considerada", estigmatizada que foi sob o estereótipo de simplicidade. Como creio que nada é por acaso, eis que minha tese foi a primeira escrita sobre ela até hoje... e ela foi a primeira poeta hebraica ouvida no espaço, com toda a emoção devida... Espero que toque sua alma, como a mim...

CANÇÃO TRISTE

Ouvirás minha voz, meu distante meu,
ouvirás minha voz, onde quer que estejas -
uma voz chamando com força, uma voz chorando por meu sangue
e para todo o sempre te abençoando ?

Este mundo é vasto e muitos são seus caminhos.
Encontram-se por um minuto, separam-se para sempre.
O homem busca, mas suas pernas cambaleiam,
não poderá encontrar o que perdeu.

O último de meus dias já está próximo talvez,
já está próximo o dia das lágrimas da separação,
eu te esperarei até que se extinga minha vida,
como esperou Rachel pelo seu amado.

ZEMER NUGEH(HATISHMAH KOLI)

Hatishma koli rechoki sheli
Hatishma koli ba'asher hincha
Kol kore be'oz kol boche bidmi
Ume'al hazman metzave bracha

Tevel zo raba udrachim ba rav
Nifgashot ledak nifradot la'ad
Mevakesh adam ach koshlot raglav
Lo yuchal limtzo et asher avad

Acharon yamay kvar karov ulay
Kvar karov hayom shel dim'ot preda
Achake lecha ad ichbu chayay
Kechakot Rachel le-doda
 

Profª Drª JANE (Ronit) BICHMACHER DE GLASMAN

Doutora em Língua Hebraica, Literaturas e Cultura Judaica - USP,
Professora e Coordenadora do Setor de Estudos Hebraicos da UERJ,
Professora do ISTARJ,
Fundadora e ex-Diretora do Programa de Estudos Judaicos– UERJ,
Professora e Coordenadora do Setor de Hebraico – UFRJ (aposentada),
Coordenadora do Grupo de Estudos Beer Miriam–ARI,
membro do Diálogo Judaico-Cristão, escritora




 
   


Editoria e Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br


Esta página é parte integrante da Revista Rio Total