Ano 16 - Semana 793



 

       29 de junho, 2012
---

Jejum de 17 de Tamuz

24 de junho a 16 de julho/2013


Rabino Kalman Packouz

O 17o.  dia do mês hebraico de Tamuz inicia o período nacional de 3 semanas de semi-luto, que culmina com o dia 9 de Av (Tishá BeÁv). É um período histórico onde muitas tragédias ocorreram e é considerado, na cosmologia Judaica, um período tão adverso que, como mencionado anteriormente, aconselha-se a adiar litígios na justiça e é proibida a realização de casamentos. Tradicionalmente nos abstemos de cortar os cabelos, comprar ou vestir roupas novas, ouvir música  e  fazer  viagens de lazer.  É tempo para  reflexão e melhoria pessoal.

No dia 17 de Tamuz, 5 calamidades ocorreram:
1) Moshe quebrou as primeiras tábuas contendo os 10 Mandamentos, quando desceu do Monte Sinai  e viu o povo idolatrando o Bezerro de Ouro;   
2)  A Oferenda Diária (Korbán Tamíd) parou de ser realizada no Primeiro Templo;
3) Romperam-se as  muralhas de Jerusalém, durante o cerco à cidade, na época do 2o. Templo;   
4) Apóstomo,  o Perverso, um oficial romano, queimou um Sefer Torá (Rolos da Torá);   
5) Um ídolo foi colocado no Santuário do Segundo Templo.

17 de Tamuz é um dia de jejum.  O jejum começa às 5:30 h da manhã e se encerra às 18:10h (horário de S. Paulo). O propósito do jejum é despertarmos nossos corações para o arrependimento ao relembrarmos os erros de nossos antepassados (que acarretaram tantas tragédias) e evitar repetir os mesmos erros. O jejum é a preparação para o arrependimento - para quebrar a dominação do corpo sobre nosso lado espiritual. A pessoa deve se engajar num auto-exame e tomar a resolução de corrigir seus erros em suas relações com D'us, com as pessoas que convive e consigo mesma.


Traduzido por Gerson Farberas, com permissão do autor.

 


Site não político
 

Editoria e Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br