VARIEDADES


     
Mudanças no condicionamento judaico


Como sempre acontece quando personalidades judaicas na diaspora atingem altas posições nos governos ou no poder na vida pública, a atual escolha de Josef Lieberman criou um debate (entre  judeus principalmente) afim de  analisar se sua candidatura é bom ou mau para os judeus ( es is gut far iiden)

A discussão é antiga e os argumentos são conhecidos e não há necessidade de voltar a dizeêlos. Acontece que além desta discussão sobre a candidatura do senador por Connecticut à vice-presidência do país mais poderoso do mundo, também isto mostra os profundos câmbios  que estão acontecendo no posicionamento da condição  do judeu na diáspora e que parecem ser características do novo século e novo milênio.

Anos atrás esta candidatura teria sido considerada impossível.

Há quem compare o impacto da escolha de um judeu para a vice-presidência como o que causou, no momento, a ascensão do John Kennedy a presidência. Porem Kennedy era católico e, nos olhos dos protestantes mais ortodoxos, os católicos são também como cristãos.

Agora acontece com um judeu.

Podemos também considerar sua candidatura e possível eleição, mas do que um cambio na questão de ser um judeu, um reflexo do profunda mudança na estrutura mental dos americanos e sua atitude frente ás minorias.

Hoje já não há mais dúvidas de que uma candidatura para às altas funções de um negro, um hispano ou um judeu, é totalmente aceitável na grande maioria da população do Estados Unidos. Isto não quer dizer que não existam grupos extremistas, inclusive alguns violentos que se oponham a todo progresso na situação das minorias, porém são realmente  pequenos grupos que não podem ser tomadas em consideração.

Se somente nos lembrarmos que  algumas décadas passadas, a discriminação de cor era norma na sociedade americana, no século XXI as circunstâncias são diferentes.

Não desapareceram a discriminação nem o racismo porem sua influencia na vida do país do norte e muito pequena.

E é justamente neste cambio que merece examinarmos a candidatura de Joseph Lieberman.

O Washington Post do dia 14/8 comenta que a escolha do companheiro de formula de Al Gore produziu uma franca sensação de entusiasmo entre os 5.000 delegados a convenção do partido democrata que  foi inaugurada segunda feira, 14/08.

Nos Estados Unidos do ano 2000 a incorporação a formula presidencial do partido democrata de um judeu, um judeu ativo, com convicções religiosas, muito atuante nas atividades judaicas, serve para melhorar as perspectivas eleitorais de um candidato a presidente, que já tem experiência por estar exercendo a vice-presidência .

Não há duvida que o peso eleitoral da comunidade judaica e muito maior que seu peso demográfico, seis milhões de judeus e nem todos votam igual - não constitui um número importante se comparado com a comunidade negra ou hispana.

O peso eleitoral está dado pela influencia judaica em varias esferas da vida nacional; no âmbito da cultura, nas artes, na economia, no jornalismo etc.

Isto também é a expressão das mudanças  no condicionamento judaico, pelo menos nos Estados Unidos, porém provavelmente também em todas as democracias ocidentais

Nas comunidades no Reino Unido, França, Canadá, também podemos ver estas mudanças. Em outros países como Argentina, Austrália, Brasil, e até Alemanha com uma comunidade hoje de uns 100.000 judeus, a presença judaica na vida nacional é totalmente diferente de décadas passadas.

Isto acontece não somente a nível individual mas também como peso da comunidade como tal, e aceito como  fato pela população em geral.

Isto comprova que os judeus não tem necessidade de renunciar a sua condição nem dissimular se querem participar na vida ativa da comunidade maior, influindo na vida nacional.

Sempre insisti que o futuro de Israel só será mais positivo se incorporar uma relação fértil, com uma diáspora sólida, segura de si mesma, orgulhosa de sua condição judaica e consciente dos novos tempos.

Ninguém deve renunciar ao que é no sentido de poder melhorar sua inclusão na sociedade ou na comunidade maior.

Ao contrario, quanto mais natural e menos forçada seja  sua afirmação da identidade histórica do indivíduo judeu, tanto mais fácil lhe será encontrar seu lugar na sociedade.

Não se trata de uma avenida sem obstáculos porem pode se transitar. Antes
nunca foi assim.

Conversões, assimilação, foram os recursos que os judeus tinham que utilizar em séculos passados para sobreviver e  naturalmente para triunfar na vida, hoje tudo isto felizmente está superado.

Uma diáspora autentica, espontânea, pode compartir com a normalidade israelí a tarefa de construir o povo judeu no mundo todo.

Este é o significado da escolha de Joseph Lieberman para a vice-presidência dos Estados Unidos.


Artigo publicado no Aurora Israel, redigido por Natan Lerner e traduzido
por Leon Mayer. 17/8/2000.

 

                 

Editoração e Coordenação
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br

        

Esta página é parte integrante da Revista Rio Total