Clique na imagem e venha nos
visitar no Facebook.
Rio de Janeiro, 1º de outubro, 2019 - Edição nº 1.143


Colunistas  

Ronaldo Werneck
O TEXTO E SUA CONSTRUÇÃO

O texto, qualquer texto, não surge no papel como mágica. É antes obra que necessita sempre de várias modificações ao tempo de sua feitura. Interessante notar o às vezes árduo processo de montagem de um texto – os cortes, as colagens, as várias anotações a mão num papel qualquer e até mesmo nas laterais das páginas datilografadas, muitas vezes já na revisão final, antes que ele seja dado como pronto.

Pedro Franco
Minha história obstétrica

...até que o chefe me chama em calmo plantão. Estou com caso complicado. Uma menina de quinze anos foi estuprada, a gestação evoluiu e estava em trabalho de parto. Subiu na mesa e se pendurou na luminária da sala, balouçando e tentando chutar quem chega perto, além de xingar os que se aproximam. Nem eu consegui chegar perto, para aplicar um tranquilizante.

Francisco Simões
ESTE MUNDO MODERNO
Até Yoga acreditem eu pratiquei, ou melhor, a Hatha Yoga (yoga com o “o” aberto e não fechado como alguns resolvem pronunciar hoje). Eu era bem mais leve do que sou agora ou já há algum tempo e também muito mais jovem claro. Ademais eu lia muito sobre o assunto yoga e assim também me dediquei tanto à respiração ritmada por sinal muito boa, como me voltei ao relaxamento.

Enéas Athanázio
EXISTE APENAS AQUI
A tenebrosa memória dos campos de extermínio instituídos como destino final de milhões de inocentes, velhos, doentes, inválidos, crianças, homens e mulheres de todas as idades fechando o círculo de uma operação em moldes industriais calou fundo na memória coletiva e não cessam de surgir novos documentos a respeito, constituindo uma imensa bibliografia.

Milton Ximenes
Caixistórias

A CAIXA ECONÕMICA FEDERAL anuncia nos jornais do Rio a possibilidade da liquidação dos débitos hipotecários utilizando os valores disponíveis na conta do FUNDO DE GARANTIA e relaciona as Agências colocadas à disposição dos clientes possivelmente interessados.

Carlos Trigueiro
ERA UMA VEZ...
Um contador de histórias pode pegar essa centelha mágica da expressão “Era uma vez...” e transformá-la em espécie de cunha para abrir um caminho no rumo que quiser e na conveniência do ouvinte ou do leitor da vez. Caminho esse que pode ser trágico, filosófico, moralista,...

Bhuvi Libanio
Tal pai, tal filha?

Entenda bem: eu só queria o melhor para a família e entendia que o controle era necessário. A gente não pode deixar os jovens expostos a qualquer coisa. Os garotos… Bem, ainda vai. Eles precisam mesmo aprender a realidade do mundo para depois não ser enganado, passado para trás e fazer papel de boiola.

W.J.Solha
Sobre um certo Padre Gomes
Bem, você, nas duas últimas histórias curtas do livro, decide não ir até o fim da linha. Pra... também decupar uma realidade vivida que tem pra nos repassar. Uma delas se chama UM CERTO PADRE GOMES. Padre Antonio Gomes de Araújo, que, pelo menos nessas fotos em duas fases da vida, me lembra o ator e diretor Roberto Begnini de A VIDA É BELA.

Frei Betto
DEGRADAÇÃO AMBIENTAL: DE QUEM É A CULPA?

Escada rolante não existia. Subíamos os degraus massageando o coração e os músculos. As fraldas dos bebês eram lavadas, pois não existiam as descartáveis. E deixávamos para secar a roupa no varal, graças às energias solar e eólica, e não em equipamentos que aumentam acentuadamente o consumo de energia elétrica.

Braz Chediak
AZUL DE RUBEM BRAGA

Mallarmé escreveu: “Todo homem traz um segredo consigo, muitos morrem sem o ter encontrado, e não o encontrarão porque, mortos, tal segredo não existe mais, nem eles. Morri e ressuscitei com a chave de pedrarias de meu último porta-joias espiritual. Cabe-me agora abri-lo longe de qualquer impressão emprestada e seu mistério se emanará num céu extremamente belo”. 

Müller Barone
Um daqueles insólitos encontros
Não fui ao tradicional banco da Rua da Cidadania, aquele no qual levei um lero com Lúcifer. Sentei na mureta do estacionamento da farmácia. Olhei para a direita e nada, nem Anjo para tomar um cappuccino, nenhum daqueles duendes ou gnomos que costumam aparecer por aqui (como eu disse, há algo diferente nesta parte da cidade) para uma conversinha.

Floriano Pesaro
Nem sempre Rosh HaShaná foi uma data tão importante

Sabemos que Rosh HaShaná celebra o início de um novo ano em nosso calendário, mas sempre foi assim? A resposta rápida é: não. Não há na Torá qualquer menção a Rosh HaShaná enquanto um marco de um novo ano. O costume de celebrarmos esta data como um novo ano deu-se após o exílio na Babilônia, já no Segundo Templo.



 Arquivo dos Colunistas

Affonso Romano de Sant'Anna
Airo Zamoner
Ângela Maieski
Alberto Cohen
Antonio Carlos Fester
Antonio Prata
Antonio Nahud
Antonio Sergio Mendonça
Arlete Moreira dos Reis
Artur da Távola (i.m.)
Bhuvi Libanio
Bruno Kampel
Carlos Trigueiro
Chico Alencar
Cissa de Oliveira
Daniela Aragão
Eduardo Fares (i.m.)
Fábio Lau

Enéas Athanázio
Flávio Barreto
Francisco Simões
Frei Betto
Giselle Serra
Helga Szmuk (i.m.)
Irene V.M. Serra
Isabel Vasconcellos
Jacqueline Bulos
Jorge Elias Neto
Lílian Maial
Luiz Carlos Amorim
Luiz Carlos G. Guedes
Marciano Vasques (i.m.)
Marcos Antonio de Azevedo
Maria de Fátima B. Michels
Milton Ximenes Lima

Müller Barone
Norma Bruno
Odete Ronchi Baltazar
Pedro Franco
Renzo Sansoni
Rica Perrone
Ricardo Kotcho
Roberto Vieira Machado
Ronaldo Werneck
Rosa Pena
Rui Martins
Sarita Barros
Sheila Sacks
Sonia Alcalde
Ulisses Tavares
Viegas Fernandes da Costa
W. J. Solha


Arquivos Especiais

Breviário dos políticos
Contos Brasileiros

Contos Franceses
Crônicas de Sempre

Entrevistas
Expressão Poética
Guardiões do Saber -  Jung
Guardiões do Saber -  Lacan

Imortais
Memória do Esporte
Opinião Acadêmica
Repórter