06/05/2006
Número - 475

ARQUIVO
ALBERTO COHEN




   

Alberto Cohen



Talentos esperdiçados



 

São tantos os talentos que se acotovelam nos estreitos corredores da literatura brasileira, que se chega a pensar que muitos e muitos novos autores são revelados pelas grandes editoras em seus lançamentos. Infelizmente, isso não acontece.

O jovem escritor inicia sua caminhada, cheio de entusiasmo, acreditando que a excelência de seu trabalho será suficiente para o reconhecimento e aceitação de editoras, críticos e leitores. Logo verá que não é exatamente assim que a coisa funciona.

Os originais encaminhados às empresas que publicam literatura, simplesmente somem nos desvãos do pouco caso, não merecendo, sequer, devolução e uma correspondência com as razões da recusa.

Tentando abrir portas através dos concursos literários, aos poucos o calouro vai percebendo que, com honrosas exceções, esses eventos não o levam a lugar nenhum. Uns não proclamam nem os vencedores, desaparecendo da mesma forma como surgem, sem qualquer justificativa. Outros apenas oferecem aos agraciados a possibilidade de participação em antologias, com os custos divididos entre os participantes que se encarregam, eles mesmos, das vendas ou distribuição. Normalmente os exemplares terminam nas mãos de parentes e uns poucos amigos que, de concreto, nada podem fazer para divulgação.

Claro que existem, num percentual ínfimo, aqueles concursos que premiam com edições as obras vencedoras. Mesmo esses, porém, não oferecem qualquer estrutura e campanha publicitária que tragam um mínimo de possibilidade de sucesso aos livros premiados.

Fico a imaginar o desespero de um jovem talentoso perdido no emaranhado das coisas que não acontecem, ou só acontecem para alguns. E quantas perdas temos nós com as desistências de talentos que se tornarão inúteis por não serem percebidos.

Ao final dessa sangrenta batalha, uns poucos, muito poucos, sobreviverão, mas o campo estará coberto de cadáveres de vocações estraçalhadas pela insensibilidade do sistema.

Ainda bem que existem sites e blogs especializados, de portas abertas para que o novel escritor ou poeta possa exibir seus trabalhos, com a possibilidade, embora remota, de ser descoberto e, afinal, ver sua obra publicada.



(06 de maio/2006)
CooJornal no 475


Alberto Cohen
advogado, poeta e escritor
Belém, PA
AlbertoLCohen@aol.com
www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-048.htm