03/05/2017
Ano 16 - Número 838


 

Seja um
"Amigo da Cultura"

ARQUIVO ALBERTO COHEN

Alberto Cohen
em Expressão Poética

 

Follow RevistaRIOTOTAL on Twitter



 

Alberto Cohen


Companheiros

 

Alberto Cohen, colunista - CooJornal

Reclamara tanto da sorte e agora percebia o que era o verdadeiro sofrer. Estava totalmente sozinho!

Ela fora a companheira e única amiga verdadeira durante anos. Sempre perto com os olhos benevolentes voltados para ele, pronta a receber e dar carinhos.

De manhã cedo o acordava para o passeio matinal, ocupação obrigatória e festiva durante a qual ele falava bobagens e ela escutava.

Paravam, às vezes, na sombra de uma árvore e nesses momentos eram felizes por existirem sombras e árvores intercalando a caminhada de não ter tempo nem vontade de voltar para a velha casa.

Os cuidados que tinham um com o outro eram verdadeiramente comoventes: Qualquer sinal de mal-estar e lá estavam juntos, dando forças e disposição ao desânimo e mudança de hábitos.

Na realidade, bastavam-se e se completavam. Não ambicionavam outras companhias alheias ao seu cotidiano. Tinham um ao outro e isso era o suficiente

De repente, certo dia, ela não quis levantar-se. Permaneceu deitada, sem alimentar-se, não demonstrando qualquer motivação para o passeio diário.

Morreu no dia seguinte, levando com ela a razão de viver do companheiro. O enterro solitário aconteceu num lugar ermo, com a presença apenas do parceiro.

Ele então chorou desesperadamente a perda daquela que era tão importante dentro da sua solidão. E agora o que faria sem a acompanhante e presença constante? Não mais passeios matinais nem afagos na cabeça felpuda.

Jamais esperou que partisse tão cedo a cachorrinha que criara, desde pequenina, com tanto amor e carinho.

 

(03 de maio/2013)
CooJornal nº 838



Alberto Cohen
advogado, poeta e escritor
Belém, PA
albertolcohen@yahoo.com.br
www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-048.htm


Direitos Reservados