01/11/2013
Ano 17 - Número 864



ARQUIVO ALBERTO COHEN

Alberto Cohen
em Expressão Poética

 

Follow RevistaRIOTOTAL on Twitter



 

Alberto Cohen



 

 

Alberto Cohen, colunista - CooJornal

Sou o cara mais só do mundo. Pouquíssimos amigos tenho, embora sinceros.

Quando me dispus, já velho, a assumir-me como poeta, sabia, perfeitamente, que teria de ser em tempo integral para que resultasse algo. E assim foi, misto de calvário e paraíso, o meu vasculhar ideias por tantas e tantas madrugadas, sem amor ao meu lado, mas com uma multidão de amores nas minhas lembranças.

Caminhei, minha amiga, dia após dia, noite após noite, no encalço das metáforas e das rimas, no território de jurisdição da métrica, do ritmo e das sílabas tônicas, até que os tive aprisionados em muitos poemas e poesias.

Sei que alguns me acham um tolo por não haver gozado a vida, depois de aposentado. Mas eu a gozei! Milhares de vezes e maneiras, a gozei! Fui padre, pirata, bandeirante, Romeu, astronauta e retirante, e amei... Ah, como eu amei! Julietas, Desdêmonas e Marias foram minhas em todas as suas sílabas e encantos poéticos.

Nada tenho a reclamar. Minha opção valeu a pena. Lapidei ideias transformando-as em belezas e me realizei em múltiplas esculturas de papel.

Nessa altura da vida, calço minhas surradas sandálias e, sem ressentimentos, continuo a viagem transformando em rosas vermelhas as urtigas e os espinhos. Nem tão sozinho. Abraçado às preciosas lembranças das mulheres amadas através dos séculos de sonhos e poesia.



(01 de novembro/2013)
CooJornal nº 864



Alberto Cohen
advogado, poeta e escritor
Belém, PA
albertolcohen@yahoo.com.br
www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-048.htm


Direitos Reservados