17/11/2007
Ano 11 - Número 555



ARQUIVO
ANDERSON FABIANO

 

Anderson Fabiano




Latte fa bene

 

- O que alimenta mais: um copo de leite ou um copo de coca-cola? - Com esta perguntinha idiota, um coronel dedo-duro travestido de professor de OSPB infernizou nossa vida, dezenas de vezes, durante os anos de chumbo. E isso, pasmem, era apenas a metade de sua torturinha predileta, travestida de piada. Tão logo respondíamos com enfadonho uníssono: "Leite", sem nunca conseguir disfarçar um doidão que dizia: "Coca" (fosse ela bebível ou aspirável), tínhamos que ouvir a outra metade: "E se vocês tivessem apenas um cruzeiro no bolso (Cruzeiro mesmo. Pois, a história é antiga e já cruzei o Cabo da Boa Esperança), pediriam leite ou coca?" – "Coca!" - respondíamos para sacanear o cara.

Como isso já vai longe e o tal alcagüete já deve estar uns sete palmos abaixo da gente, imagino que seu esqueletinho deve estar dançando polca, na sepultura, com os recentes escândalos envolvendo o velho e saudável leite.

Tido como um dos alimentos mais completos desde os tempos das sagradas tetas maternas, o leite de vaca, graças aos avanços tecnológicos, nunca foi tão completo como agora. Senão vejamos:

Se você sofre uma esfoladura, corte ou qualquer outro ferimento cutâneo pode aplicar, tranqüilamente leite integral, pois contém água oxigenada e vai, por sua ação curativa, desinfetar a ferida. Se o seu problema é com ferrugens, canos entupidos ou danosas concentrações de substâncias graxas, use leite, pois contém soda cáustica. Mas, você pode usar o nosso conhecido longa vida no tempero das refeições, já que contém sal ou, se preferir, para desespero dos plantadores de cana, como adoçante. Só não tenho muita certeza se natural ou não.

A notícia do leite mais-que-completo estourou como uma bomba nos lares brasileiros. Teve gente que tratou de substituir leite por suco, macarronada, pão dormido e outros ainda, que até resgataram o velho leite em pó. E o que é pior, tem muita gente boa por aí dizendo que a partir de agora só vai beber leite de saco (!?).

A ANVISA, mais vigilante que nunca, correu a tranqüilizar a população dizendo que apenas os lotes X, Y e Z estavam contaminados. Ou seja, agora, além da tradicional lista de compras, devemos levar para os supermercados, também, a lista dos lotes contaminados, a lista das marcas sob suspeita e uma lupa, já que nenhum fabricante vai deixar o número dos lotes tão a vista assim.

Esse imbróglio todo (mais um), atirou-me num profundo dilema: não sei se compro uma novilha, solto a bichona no jardim, economizo energia aposentando o cortador de grama e garanto a procedência do leite, desde que, é claro, providencie duas rolhas para evitar que o excesso de estrume gere coliformes fecais e a..., digamos, excessiva irrigação, transforme meu jardim num matagal ou se passo a namorar apenas mulheres grávidas, para que nos intervalos de nossos encontros amorosos, possa preparar meu inocente Nescau, contaminado apenas com fumo, álcool, costeleta de porco e resquícios de silicone.

Pelo sim, pelo não, vou sair amanhã, bem cedo e providenciar uma bela foto do general De Gaulle para colocar na mesinha de cabeceira. Definitivamente, isso aqui não é um país sério.
 


(17 de novembro/2007)
CooJornal no 555


Anderson Fabiano,
escritor, publicitário, jornalista
af.escritor@hotmail.com
RJ