05/12/2009
Ano 13 - Número  661



 
Ângela Maieski

  

Ações das Telecons – Alguém sabe? Alguém viu?

 

 

Elas atendiam pelas siglas CRT, CTMR, TELESC e TELEPAR e muitos brasileiros ao comprarem linhas telefônicas recebiam ações das companhias, que em algumas épocas, repassaram um número inferior ao que teriam de direito. Outros, como eu, compraram em períodos de ampliação dessas empresas e receberam um número relativamente pequeno de ações. Comprei meu telefone em 1983 e paguei em 24 prestações mensais, uma vez que o valor do terminal era muito caro, isso nos “bons” tempos da ditadura militar e de uma empresa, na época, estatal.

Recentemente li em algum site de notícias que as ações da Brasil Telecom, agora “Oi”, estão em alta e resolvi pesquisar sobre o assunto e tentar descobrir onde andam minhas ações. Lembro que quando ocorreram as privatizações das teles, houve um desmembramento, assim tenho três tipos de aços em três bancos diferentes. Em um deles, saquei os dividendos, uma única vez.

Tentei encontrar algum site que permitisse visualizar o número de ações e os bancos atuais, já que pelo menos um deles não existe mais. Descobri que preciso fazer um requerimento, juntar cópia do RG e CPF e enviar por carta registrada para obter um relatório de informações cadastrais. Para enviar a solicitação pela Internet, encontrei um site que permite tal possibilidade, mas que é de uma empresa advocatícia e quando solicitada a opção “gerar ofício” aparece um aviso no final da página que diz “O requerente esta disposto a PAGAR TODA E QUALQUER CUSTA NECESSÁRIA para o recebimento do referido documento. No entanto apesar de solicitar via telefone ninguém o informou de custa, em todo caso se prontifica a efetuar qualquer pagamento necessário.”

Procurando no site da Brasil Telecom – Oi, encontrei uma informação que se refere a Telenorte e Telemar e descobri que de acordo com o Art. 37 do Estatuto Social da companhia 25% do lucro líquido serão obrigatoriamente distribuídos como dividendos mínimos obrigatórios a todos os acionistas. E, mais interessante, os dividendos não reclamados no prazo de 3 (três) anos reverterão em favor da Companhia.

As operadoras de telefonia são campeãs de reclamações junto aos Procons, de norte a sul do país. São também responsáveis por uma grande demanda de ações nos Juizados de Pequenas Causas. Reclamar dos serviços via telefone acarreta inconvenientes, que vão desde o digite 1, digite 2, digite 3... até as mudanças que os operadores de telemarketing fazem por conta própria e da qual já fui vítima. A opção para reclamar através do site é outro problema, boa parte do tempo não funciona ou não aceita o envio e por aí vai. Além disso, não informam aos acionistas sobre ações e dividendos, ou sob responsabilidade de qual instituição bancária estão às mesmas. Serviços muito mais caros que aqueles cobrados nos países ricos, com serviços piores do que os oferecidos em vários países mais pobres que o Brasil.

Os legisladores brasileiros, sempre tão preocupados com a população, deveriam criar uma lei obrigando as teles a enviar um relatório anual aos acionistas, com o número de ações e instituições bancárias, nas quais se encontram depositados os dividendos. Uma opção fácil e de baixo custo seria essas empresas colocar uma opção de forma a que fosse possível solicitar essas informações através dos sites.

Essas ações e dividendos estão aí, muitas pessoas nem se dão conta de que existem e rendem dividendos, mesmo que os valores sejam relativamente baixos, mas que no montante representa uma pequena fortuna, que de direito, pertencem a milhares de pequenos acionistas e acabam ficando nas mãos das empresas, se a regra de reversão para a companhia se aplica a todas.

E lá vamos, nós, brasileiros de norte a sul, perdendo um pouco aqui, outro pouco ali, e ainda acreditando que Deus é brasileiro e que Ele fará algum milagre que transformará em realidade os anseios de, algum dia, termos um país no qual o direito de todos seja assegurado na prática.



(05 de dezembro/2009)
CooJornal no 661


Ângela Maieski é socióloga e professora
RS
www.amaieski.wordpress.com

amaieski@sinos.net