24/08/2002
Número - 273

 


Antonio Júnior



O QUE É SER SEXY?


A definição do que é ser sexy caminha por labirintos contraditórios, poéticos e até ridículos. Lembro de uma poesia minha sobre a sexualidade determinante das mãos leitosas de um estranho, observado na estação Argentine do metrô de Paris: “celebro a claridade das mãos expressionistas de um desconhecido – e mãos são raízes ou troncos ou galhos ou rebentos”, dizia num verso. Um São Sebastião flechado parece-me sempre excitante, mesmo recriado por Pierre & Gilles. A possibilidade de ser mordido por um vampiro também me atormenta sexualmente, principalmente quando estou sozinho em ruas escuras e seja ele Nosferatu, Drácula ou os chupa-sangue filosóficos de Abel Ferrara. Sexy são os santos, os eremitas, os anjos, as mães. Sexy é a contemplação whitminiana, os sonetos de Shakespeare, a poesia de amor obscuro de Lorca. Sexy é a perversidade emocional de Happy Together, o filme de Wong kar-wai. Sexy são as imensas florestas úmidas invadidas pelo nevoeiro, as falésias, as praias sem turistas, as noites do sertão, o frio e a chuva, as estepes cobertas de neves, o deserto. Sexy são os jovens incompreendidos de andar libertino, as pernas abertas arrastando eroticamente o sexo. Ser sexy é saber que o homossexualismo não é o bem nem o mal, é um desejo como qualquer outro. É masturbar-se sem pensar em ninguém. É não ser neurótico, desesperado, cínico, agressivo, ansioso, falso, dramático. Sexy são os mendigos de Londres, os toureiros de Sevilha, os ciganos lisboetas, os sorridentes prostitutos marroquinos, os pescadores nordestinos. Sexy é olhar no fundo dos olhos do outro com espiritualidade e segurança. É ter um espírito que violente a realidade carnal. Sexy são os doidos, os bandidos, os poetas, os esquecidos. Sexy é tirar a máscara e ter um rosto atrás dela. Sexy é não acreditar na pátria, na obediência, na igreja, no consumismo, na moralidade, na televisão. Willem Dafoe é o ator moderno mais sexy. Sexy é ultrapassar as barreiras das condições econômicas e culturais, oferecer um presente significante por puro sentimento, ausentar-se de preconceitos. É ter os olhos faiscantes como pirilampos. É ouvir Chet Baker com paixão e escrever mensagens eletrônicas para aquele rapaz do coração, e quem ama um rapaz ama todos os rapazes. E para você, o que é ser sexy?



(24 de agosto/2002)
CooJornal no 273


Antonio Júnior, 
escritor, poeta,  jornalista e fotógrafo. 
Correspondente internacional
antonio_junior2@yahoo.com 
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-12.htm