Antonio Nahud
 


ARQUIVO

 

Antonio Nahud - CooJornal

 

- A alegria de viver
- A alquimia fotográfica de Morvan França
- A arte certa
- A arte que cura
- A consciência sem cor em busca de sua identidade
- A enigmática Charlotte Rampling
- A identidade da imprensa cultural
- A intimidade segundo André Téchiné
- A festa
- A história do pênis
- A ilusão viaja de trem
- A lenda de um filme inacabado
- A língua mortífera
- A memória exata
- A presença da totalidade
- A tempestade e a alma em Marília Pêra
- A terra prometida
- A vida se escreve
- Agora é nunca mais, e nunca é o que passou
- Alain Delon, a bela cara do mal
- Antropofágico Othon
- Ao coração da poeta desce o luar
- As coisas são, as coisas vêm
- As cores da violência
- As mulheres: cansadas sim, saciadas nunca
- As palavras íntimas
- As sombras das coisas
- Assim caminha a Paulicéia desvairada
- As sombras das coisas
- As sombras são tão importantes quanto a luz
- Billy Wilder: Melhor é impossível
- Blood, mr. Bowles, blood
- Brinquedo do cão
- Charada
- Chet Baker - Como se tivesse asas
- Como um relâmpago rasgando a noite
- Crepúsculo dos deuses: estrelas na miséria
- De súbito, Lord Byron
- Dentro dos olhos a inquietude
- Do Amor
- Don Quixote faz 400 anos!
- Edward Hopper: pntando a solidão
- ¡El flamenco vive!
- Enquanto falavas de Andara
- Entre anjos e demônios
- Europa de Norte
- Felizes festas
- Fim de caso
- Fúria
- Garcia Lorca
- Harold Bloom
- Ilíada ou Odisseia?
- Leila, Odete e Darlene
- Imigração clandestina: a imitação da vida
- Infiel e anônimo em Tânger
- Inteligência artificial
- Jean Genet: fada do amor e da morte
- John Fante, o homem que foi deus para Bucowski
- José Saramago: "Escrevo para desassossegar"
- Kazuo Ishiguro
- La jornata d'uno inesistente
- La terra vista dalla luna
- Leila, Odete e Darlene

- Lembro-me
- Lispector: a Virgínia Woolf dos trópicos
- Marlene Dietrich, a Vênus Loira
- Martin Amis: o filho do êxito
- Memorial da Andaluzia
- Memórias de uma vida sórdida
- Michaux - o espaço interior
- Microcosmos de estrelas
- Minha garota preferida
- Na noite das cidades, a real surpresa dos tímpanos
- Na terra das sempre-vivas
- Não sacudam demais o Torquato
- Nossas musas, nuas
- O amor move a minha vida cigana
- O ano literário
- O bestializado
- O castelo de Rilke
- O chapéu mágico
- O cu nosso de cada dia
- O direito do mais forte
- O elogio da viagem
- O fabuloso destino de Hilda Hilst na Casa do Sol
- O frágil e necessário cinema brasileiro
- O homem inseto
- O homem que foi deus para Bucowski
- O mistério das coisas
- O mito Marlene Dietrich
- O não-ser
- O nó misterioso das coisas
- O perfume de Caetano
- O poeta que sabe voar
- O que a noite me conta
- O que é ser sexy?
- Os amantes
- Os deuses e os mortos: a saga do cacau
- Os enganos do coração
- Os homens também choram
- Os mecanismos da manipulação do ser humano
- Os negros
- Os tempos que mudam
- Pasolini: um coração valente
- Pintando a solidão
- Poesia e verdade
- Retratos em preto & branco
- Recordações bacanas de poeta polifônico
- Romântica Lara, rebelde Julie Christie
- Rosas de sangue
- Sean Connery no mundo de James Bond
- Sempre aos domingos
- Sentado em um barril de pólvora
- Shirley Temple: queridinha de devassos?
- Soavam vozes azuis, histórias e espantos
- Sobre o fim do mundo
- Suave é o coração enamorado
- Tarde na terra
- Tentativa de controle
- Um fluxo-palavra
- Um mundo claro, um mundo escuro
- Uma sombra sem nome
- Vertigem


 



Antonio Naud Jr é escritor, assessor literário e editor do site O Falcão Maltês.
http://www.cinzasdiamantes.blogspot.com.br/
RN


Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.