CooJornal - Revista Rio Total




   
Arlete Moreira dos Reis



Enquanto isso.....



No país maravilhoso, privilegiado por suas belezas naturais, por gente bonita, bem-humorada, as notícias não são boas.

As famílias estão encarceradas dentro de casa, apavoradas com os assaltos às suas residências, os jovens não podem estender um pouco mais a permanência nas festas, pois correm o risco de não voltarem mais para casa.
Além desta preocupação, o povo se priva do conforto doméstico para não sofrer apagões, há o racionamento de energia por falta total de planejamento das autoridades competentes.

Aproveitando o clima, os salvadores da pátria começam a aparecer. Muitos deles são velhas raposas, conhecidas de todos nós. Outros, movidos pela vaidade de dirigir os destinos de um país tão grande, fazem críticas, dizem o que todos estão cansados de ouvir em época de eleições e não apresentam nenhuma solução a curto ou médio prazo para minorar o sofrimento do povo e resolver os problemas do país .

Enquanto isso, dois senadores renunciam a seus mandatos para não serem cassados. A preocupação deles, não é a cassação em si, é o que ela representa. Não poderão concorrer a cargos políticos por oito anos. E como vão ficar sem os altos salários, sem as ajudas para paletó, correspondência, moradia, auxiliares e tantas outras? É melhor renunciar, logo o povo esquece e votarão neles, devolvendo-lhes os cargos.

Se o país não fosse tão maravilhoso, esqueceria esses senadores, não lhes daria espaço na mídia e os conservaria no esquecimento de onde não mais sairiam. Mas, ao invés de serem esquecidos, um deles é lembrado, diariamente, no horário nobre da televisão, por um personagem da novela das oito, dando-lhe o prêmio de mostrar suas bravatas, maldades e falcatruas. Enquanto isso, o que vem substituir a um deles, mal sentou-se na cadeira e começaram a pipocar as denúncias de corrupção, desvios de dinheiro, etc. Só mesmo num país tão maravilhoso!

As reformas que deveriam dar ao país possibilidade de crescimento, não são votadas. Estão ocupados com a corrupção que não pára de ser apontada. Enquanto isso, o salário mínimo tão ínfimo é bombardeado com aumentos constantes de combustível , energia, tarifas públicas, etc. A inflação que havia sido derrubada, já se apresenta tímida, mas está aí, chegando devagarinho como quem não quer nada.

O acusado de desviar cento e sessenta e nove milhões de reais, durante a construção do prédio destinado ao Tribunal Regional do Trabalho, se mostra estressado em sua cela especial e foi para casa em prisão domiciliar. O outro, do massacre de cento e onze presos no Carandiru, condenado a 632 anos de prisão, por ser réu primário, também está em casa. Mas, ali perto, numa cela da Delegacia, com capacidade para vinte pessoas, estão 58 presos comuns, disputando à tapa, no rodízio do sono, quem vai deitar no chão para dormir quatro horas. 

Enquanto isso, o povo continua dançando e cantando, nada o abala, o que o deixa arrasado mesmo, é a seleção de futebol do país maravilhoso ser derrotada pela seleção do Uruguai. O povo está revoltado!


(julho 2001)


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm