CooJornal - Revista Rio Total





Arlete Moreira dos Reis


TESTE DA INFIDELIDADE

O cansaço tirou-me o sono. Quando você está cansado demais, não consegue dormir. Passei o dia inteiro ensacando, enrolando, separando. Estou de mudança. Como temos coisas desnecessárias! - podemos viver muito bem só com a metade do que temos, esta é a conclusão que cheguei. Vou assistir a algum programa na TV, quem sabe o sono aparece. Já desliguei o computador e o encaixotei, assim, não posso me comunicar com os amigos, só tenho mesmo a TV que deve ser a última a ser empacotada.

O quê vejo? Uma mulher jovem num programa testando a fidelidade do marido. Achei estranho aquele comportamento, me interessei em saber como isso se processava. No desenrolar do programa, o interlocutor da esposa que não confiava no marido e havia solicitado esse teste, pergunta-lhe se quer assistir a tudo, ela diz que irá até o fim, se escreveu para o programa pedindo aquele teste, não iria desistir naquele momento.

Então é mostrado o marido sentado na mesa de um bar, acompanhado de uma bonita mulher, uma loura sensual, corpo escultural, lábios carnudos, seios à mostra e o papo envolvente. O marido era tentado de todas as maneiras e a mulher cada vez mais ousada, já passeava com suas mãos pelas pernas do homem testado. Num certo momento, alisou-lhe os braços, achou-os cabeludos e pediu-lhe para olhar seu peito conferindo se também era dotado de muitos pêlos.

O marido se comportava, a meu ver, muito bem, pois a loura era irresistível e lhe tentava de todas as maneiras. Na seqüência do teste a mulher pergunta-lhe se a acha bonita. Ele responde que sim, e então ela o convida a ir a um Motel e quer convencê-lo de que isto não se configura em adultério, pois a mulher dele não precisará saber..

O marido responde, mas, este momento é cortado e o apresentador do programa pergunta se ele é infiel e põe lenha na fogueira, dizendo que aquela esposa está ali para comprovar a infidelidade do marido que está caído pela loura contratada por eles e que é uma atriz. Mais uma vez, com sensacionalismo pergunta à esposa se ela quer continuar vendo a gravação feita. Ela, quase chorando, diz que sim, quer assistir a tudo.

Mais tarde o marido é convidado a comparecer ao programa e no palco, é destratado pela esposa que lhe diz todos os impropérios. O marido se mostra um homem educado e não se perturba com o comportamento da esposa. Ela argumenta que deixou onze anos de sua vida passarem ao lado dele e que finalmente comprova sua infidelidade. O marido se defende e diante das câmaras diz ao apresentador do programa que a fita foi cortada, pois, no momento em que é convidado para ir a um Motel, diz a loura que é um homem casado, tem um filho e quer dar bom exemplo a sua família. Isso não aparece, ele pede para a produção colocar no ar a fita com todo o seu conteúdo para que sua esposa ouça. Não é atendido, e a mulher irada tenta lhe agredir fisicamente.

Fico desapontada, triste e penso em nossas mulheres. Um lar estava sendo destruído em frente às câmaras de televisão. Um relacionamento estava sendo levado a milhares de espectadores de forma ridícula, desrespeitosa. Aquela esposa ao invés de salvar o seu casamento, trazia a público um problema que era somente do casal. Expôs sua intimidade, sua família e constrangeu o marido perante os amigos, colegas de trabalho, vizinhos, etc.

O marido insistia que fosse colocada no ar a resposta dada ao convite feito pela atriz para irem ao Motel, mas a produção do programa de televisão não queria mostrá-la, se o fizesse, estaria desmentindo o que afirmava o apresentador: o marido era infiel, e provaram à esposa sua infidelidade, armando aquele encontro com a atriz. 

Mulheres de minha terra, não se exponham ao ridículo, nem a sua família. Procurem solução para seus problemas dentro da família. Peçam conselhos na Igreja que freqüentam, seja ao padre, ao reverendo, ao pastor, a uma pessoa em quem confiem, mas não façam uma bobagem dessas. Para quê serviu o teste de infidelidade? Só trouxe muita mágoa, desespero, indignação e sensacionalismo, fazendo do problema motivo de especulação das fraquezas alheias e trazendo muita dor a um casal que podia de outra forma encontrar o equilíbrio para continuar juntos e serem felizes.

(novembro 2001)


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm