11/08/2007
Ano 11 - Número 541

ARQUIVO
ARLETE REIS

 
Arlete Moreira Reis



DIA DOS PAIS

 

No Dia das Mães, com a presença dos filhos e o alvoroço da casa cheia, ele, o papai, em tom de brincadeira diz: ser mãe é moleza, dureza é ser pai! Todos riem e ele, olhando para a patroa, num sorriso maroto, lhe faz entender que é só uma das suas brincadeiras.

Pensando nesta frase, penso que ser pai também não é nada fácil. No mundo globalizado, onde a competição é ferrenha, o pai de família está sempre correndo de um lado para outro, tentando manter o seu emprego, sobressaltado no ônibus, assustado no carro, perseguido nas ruas pelos larápios que não dão trégua aos transeuntes, não é nada fácil a vida do papai.

Chegando em casa, tira o paletó, afrouxa a gravata, os sapatos já foram jogados de lado e vem o filho contar as novidades do dia. Ele, cansado, mal ouve o que o filho tem pra lhe dizer. Na verdade, está morto de fome, doido por uma ducha e não vê a hora de se jogar na cama. É a vida do papai, de milhões de papais por este país afora. A mulher reclama da falta de atenção, ele passa o braço pela cintura dela e diz: - estou tão cansado, deixa-me assistir ao noticiário. Hoje não foi um bom dia, tudo deu errado. Aquela venda tão festejada por mim, foi cancelada, perdi a comissão que me daria a possibilidade de comprar a TV nova que você tanto deseja.

A mulher decepcionada, sorri amarelo e lhe diz: não esquenta não, daqui a pouco você tem uma boa venda e compra a TV quando receber a comissão. É assim mesmo, só podemos pensar na comissão depois da entrega da mercadoria ao cliente. Não se pode contar com o ovo no furufu da galinha. O marido ri e balança a cabeça desconsolado.

Os pais do século passado não participavam do cotidiano de suas mulheres. Os deste século são parceiros, trocam as fraldas de seus filhos, cozinham, dão um jeito na casa, passeiam com os filhos, os levam e apanham na creche. Isto é formidável. O pai de hoje é solidário com sua mulher, convive com os problemas domésticos e ajuda a resolvê-los.

Por tudo isto, o papai deve ser homenageado com muito carinho pelas mães e pelos filhos e oferecido a ele um gostoso almoço, uma gostosa sobremesa, a de sua preferência, acompanhada de muitos beijos e abraços.



(11 de agosto/2007)
CooJornal no 541


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm