22/03/2008
Ano 11 - Número 573

ARQUIVO
ARLETE REIS

 
Arlete Moreira Reis



Uma brecha na Lei

 

Domingo à tarde sento-me no sofá para ler o jornal. O noticiário está repleto de notícias que nos entristece. É a Dengue matando nossas crianças e as autoridades negando a epidemia, são as bandalheiras de Campos, com um prefeito sendo destituído e outro que assume o lugar já marcado também pela corrupção, é o assassinato do médico na Tijuca, o alarde das autoridades pela execução do PAC, programa que deveria ter sido feito há muito tempo. Não se sabe se tudo que está sendo prometido, realmente sairá do papel. É obrigação dos governos cumprir a Constituição que diz ter os cidadãos brasileiros o direito de habitação, saúde, educação e lazer. Vamos torcer para que tudo dê certo.

Leio com atenção as cartas dos leitores fazendo suas reclamações, críticas à novela das oito exibindo cenas absurdas de acerbado preconceito dos evangélicos aos GLS, e duas cartas relativas aos proventos dos aposentados que receberão o reajuste de 5% para os que ganham apenas um salário mínimo e 0,03% para os que ganham acima de um salário.

Numa dessas cartas o Leitor, indignado, dizia: - não é possível, senhores advogados, que não exista uma brecha na Lei para proteger aposentados que ganham mais de um salário mínimo pelo INSS. Até a Justiça utiliza o salário mínimo como base nas indenizações.


Os que deveriam se incomodar com essa situação nada fazem, eles sabem que a nossa Constituição diz que todos são iguais perante as Leis, não se pode discriminar uma classe, todos são aposentados e merecem ser tratados com igualdade de direitos. Está havendo um achatamento dos proventos desses aposentados que os levarão à morte mais cedo pelo desgosto de a cada ano verem seus ganhos minguarem assustadoramente. Os remédios serão majorados e todos os serviços aumentaram seus preços em função do novo salário mínimo. O aposentado vê diminuído o seu poder aquisitivo a cada ano e sofre muito com as dificuldades que lhe são impostas pelo governo que aí está e que se diz amigo do povo. Valha-nos Deus!



(22 de março/2008)
CooJornal no 573


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm