10/05/2008
Ano 11 - Número 580

ARQUIVO
ARLETE REIS

 
Arlete Moreira Reis


Da mamãe para a supermãe

 

Um dia de muita reflexão para os filhos. Homenageia-se a mãe no segundo Domingo do mês de maio. É um dia muito especial para todas elas, mesmo para aquelas que não receberão o abraço dos filhos neste dia. A presença deles será sentida, mas encontrarão uma desculpa pela falta. Não adianta dizer que não se incomoda, é apenas a maneira de todas as mães estarem sempre cobrindo os filhos com seu amor, um sentimento tão forte que vem do cérebro, habita o coração e transborda pelos olhos quando pensa neles ou os recebe em casa.

Hoje quero dizer à minha filha o quanto me emociona o carinho e a dedicação que dá à sua filha Luise, minha neta. Jamais poderia imaginar que aquela menina tão esperta e atenta a tudo, depois a jovem bonita e inteligente dando conta de todas as suas tarefas sem quase depender de mim, hoje a mulher trabalhadora, dedicada, que se desdobra indo a reuniões fora de sua cidade, participando de entrevistas e eventos para difundir a importância de sua Empresa no âmbito social deste País, se tornasse uma supermãe, é isso mesmo, supermãe. Depois de um dia árduo de trabalho, de alguns problemas resolvidos e outros pepinos pendentes, corre para a creche no final do expediente, lá pelas dezenove horas, e ainda tem paciência, ainda guarda no seu coração o amor e muita ternura dedicados à sua filha Luise. Muitas vezes esquece dela, tão vaidosa, antes, nem se preocupa se deu para se arrumar ou não, é Luise em primeiro lugar.

A preocupação pela alimentação feita na hora, pelas vacinas que o Posto de Saúde não oferece, mas que ela se sacrifica pagando ao laboratório particular para que Luise não fique sem a proteção necessária, são cuidados que mostram o quanto é dedicada esta mãe amorosa.

Quero dizer a você querida filha, que muito me orgulho de você, desse seu carinho com minha neta, mas, peço-lhe também que não deixe de se cuidar, principalmente da saúde, pois, Luise precisará dessa supermãe por muito tempo e, porque não dizer, por toda a vida, pois, sem nossa mãe, ficamos órfãos do verdadeiro amor, aquele que se dá, sem nada pedir em troca, sempre disponível para nos socorrer nas horas mais difíceis. Receba neste dia um carinhoso beijo por Luise e um abraço muito apertado da mamãe para sua filha supermãe. Parabéns querida!



(10 de maio/2008)
CooJornal no 580


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm