07/03/2009
Ano 12 - Número 622

ARQUIVO
ARLETE REIS

 

Arlete Moreira dos Reis


Aposentados, vamos reagir!
 

Os jornais estampam em letras garrafais “ Reajuste do INSS na conta’’. A banca do jornaleiro está rodeada de pessoas idosas desejando ler a porcentagem pela qual foi reajustado o benefício previdenciário. Os que ganham apenas um salário mínimo receberam 12% e para quem está acima do piso salarial, somente 5,92%. Uma tremenda injustiça para aqueles que descontaram para o INSS sobre 10 ou mais salários mínimos durante 30, 35 anos de contribuição. É uma defasagem de 6%.

No governo do Presidente Lula, apenas no governo dele, a defasagem dos benefícios previdenciários de quem recebe acima do teto, está em 63% (sessenta e três por cento). Com isso, os aposentados que contribuíram para o INSS por 30, 35 anos de suas vidas, pelo teto de dez salários ou mais, descem mais um degrau na escada da decadência, com o poder de compra cada vez menor. Somente este ano, setecentos mil aposentados e pensionistas que ganhavam acima do piso passaram a receber apenas um salário mínimo. Isso é revoltante, é uma grande covardia, sem que ninguém se manifeste em prol dos idosos que muito contribuíram para a grandeza do Brasil.

Há um projeto do Senador Paim reivindicando que os aposentados tenham de volta o que lhes foi surrupiado, isto é, voltem a receber os valores relativos ao que tem direito pelo valor que contribuíram ao longo dos anos de trabalho.

O governo não quer nem ouvir falar na votação desse projeto, a ele não interessa pagar aos aposentados o que tem direito. Quando o assunto vem à baila, diz que a Previdência quebraria. Isto não é verdade. Estudos comprovam que há dinheiro para pagá-los, o que acontece é que, essa verba é desviada para projetos sociais como bolsa família, bolsa escola, PAC, etc., porque interessam ao governo para ter o povão votando nos seus candidatos.

A sociedade não se mexe, os sindicatos não estão interessados, todos esquecem que chegará a sua vez, é só esperar. Sentirão na pele o que é ser aposentado no país do faz de conta. O governo finge que está protegendo os direitos dos idosos. O que ele pretende é nivelar todos os benefícios em somente um salário mínimo. Se os idosos estão vivendo mais, vamos forçá-los a morrer mais depressa, não tendo condições de comprar nem os remédios. É uma forma silenciosa de acabar com a longevidade dos aposentados. Pensem nisso.

Então alguém diz: - fazer o quê? – aposentado não faz greve, não é importante para o governo, não tem representação forte para pressionar ,o negócio é pedir ajuda aos filhos que ainda estiverem empregados e tentar sobreviver.

Nada disso, temos força sim, precisamos nos unir, vamos convocar a família, vamos conversar com os filhos, netos, irmãos, cunhados,amigos, todos aqueles que irão às urnas e demonstrar o quanto os aposentados estão sendo aviltados nos seus direitos, o quanto o governo nos obriga a cada ano ficar dependente dos familiares, nossos benefícios são achatados cruelmente. Todos precisarão compreender e pensar nessa covardia sorrateira que estão fazendo com os que deram o sangue por esta Nação e não votarem nos candidatos desse governo, porque isso seria a continuidade do massacre aos idosos, não esquecendo que a vez de cada um chegará.



(07 de março/2009)
CooJornal no 622


Arlete Moreira dos Reis
advogada, escritora e poetisa 
arletemr@ig.com.br
 

http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-020.htm

Direitos Reservados