-

 
Bruno Kampel



ARQUIVO- BRUNO KAMPEL


 

- A arte de plagiar
- A carta
- A hipocrisia fala norueguês
- A morte
- A morte anônima
- 27 de janeiro: A ONU, o holocausto, a memória, o esquecimento
- A pátria
- A propósito de armários
- A raposa e as uvas
- A relevância do assunto
- A soma que subtrai
- Acredite se puder
- Amia: o veredicto
- Animais on line
- Ano novo judaico
- Aos jornalistas, poetas e escritores
- Armas de destruição em massa
- As fotografias
- Ateus esperando um milagre
- Atrever-se
- Ausência
- Bêbado de desesperança
- Caricatura da liberdade de expressão
- Carnaval na Suécia
- Carta à la carte
- Chove chuvaaaaa.... chove sem parar...
- Círculo vicioso
- Círculo vicioso II
- Combatendo o terrorismo
- Conjugando o ódio
- Conjugando o verbo desejar
- Copyright or not copyright
- Descadastramento
- Eleições 2010
- Em 24 de novembro
- Eu pergunto...
- Falando francamente
- Europa: esquerda, volver!
- Falando francamente
- Fragrâncias de ontem
- Fugaz felicidade
- Gaza, adeus para sempre
- Herança maldita
- Hotel RioTotal Inn
- HTML. O homem cibernético
- Ida e volta
- Imaginando o inimaginável
- Inquisicionados, holocausteados e ...
- Internet: ser sem estar
- Inventário da cidade que me habita
- Ironias da vida
- Israel. Palestina. Eu. Amor. Política
- Já não se faz sexo como antigamente
- Jerusalém, a plural
- Ler é o melhor remédio
- Lula, o grande fiasco
- Lutando contra moinhos de vento
 

- Manifesto das ovelhas negras
- Mea culpa, mea máxima culpa
- Miopatia degenerativa
- Necrológio
- No ano que chega
- Notivagando
- O barulho
- O beijo
- O dedo na chaga
- O desembargador ladra e os judeus passamos
- O direito de divergir
- O espelho
- O exercício de escrevinhar
- O general
- O médico é o monstro
- O ovo ou a galinha?
- O papel do papel de papel ou papelão
- O passado presente
- O pavio do ódio
- O presente
- Oito ou oitenta?
- Oriente médio
- Oriente médio, nova proposta de paz
- Os deicidas atacam outra vez
- Ou somamos, ou sumimos
- Overdose de fatos consumados
- Parem o relógio
- Pesach
- Peres. A grande traição
- Pesos e medidas
- Pesos e medidas II
- Pobre Picasso!...
- Poderia ser verdade
- Procurando agulhas no palheiro cibernético
- Quando chegue o dia da mãe
- Rei morto, rei posto
- Reta final
- R.I.P
- Saudade
- Segredos de alcova
- Sete de setembro
- Shalom Shalom, 5772 anos novos judaicos
- Sionismo é racismo?
- Sobreviventes
- Solidão. Nem mais nem menos
- Talvez... talvez
- Tomografia digitalizada de um beco sem saída chamada Brasil
- Três gotas de fel
- Um brasileiro na Suécia
- Uma reflexão
- Uma reflexão eleitoral
- Um silêncio intolerável
- Verdadeiros filhos da mãe
- Versículo com torcicolo
- Violência terrorista: causa ou efeito?
- Viram os pelicanos morrendo nas poças de óleo em Louisiana?
- Visita ao psicanalista
- 27 de janeiro

 


Bruno Kampel  é analista político, poeta e escritor.
Reside atualmente na Suécia.
bkampel@home.se 
Antologia cibernética: http://kampel.com/antologia
http://kampel.com/poetika/brunokampel.htm 
Blog de Bruno Kampel: http://brunokampel.blogger.com.br