14/04/2007
Número - 524

ARQUIVO
HELGA SZMUK

 
Helga Szmuk



História TRISTE


 

Me contaram uma história muito triste. Um casal de jovens que não conheceu a mãe; nunca receberam seu conforto quando estavam tristes ou com medo. Isto acontece muitas vezes mas, nesta história, o pior era que o pai era um tirano. Ele proibiu a eles de fazer perguntas. Que coisa horrível! A curiosidade é que nos traz coisas novas e nos faz crescer! Tudo era proibido, o pai cuidava do seu jardim mas os filhos eram proibidos de comer as frutas. Ele cuidava mais do seu pomar do que dos seus filhos. Eles viveram numa prisão e foram controlados 24 horas por dia. O pai lhes disse que eles não sabem distinguir certo do errado, mas foram punido quando escolheram uma opção errada. Este lugar se chamava Paraíso!

Não há nada mais gratificante depois de ter dado uma palestra sobre astronomia ou depois de uma aula de inglês, receber perguntas, pedidos para esclarecer dúvidas. Mas também não tem nada mais desagradável depois de terminar e perguntar se alguém tem uma dúvida e... um silencio absoluto. É horrível, isto significa que eles não entenderam nada ou simplesmente o assunto não era interessante. Dúvidas nos enriquecem. Os burros têm certezas, os inteligentes têm dúvidas. Nós podemos dizer que Copérnico errou, ou Galileu errou, mas não podemos dizer que um líder religioso errou, por quê?

Tudo que temos em conforto e avanço no conhecimento é fruto de curiosidade em saber mais. É incrível o avanço na ciência e tecnologia somente durante minha vida. Eu levava tinta e caneta de casa para escola. Para telefonar, precisava chamar a telefonista. Toca-discos era com manivela.

Eu gosto muito de visitar cemitérios em países estrangeiros. Sim! A gente aprende história daquele país. No cemitério de Salzburg, onde a família de Mozart está enterrada, não tem um único túmulo com pessoa que tenha morrido com mais de 40 anos!
Nossos amigos tiveram filhos sofrendo mutilações da paralisa infantil. Mas nos últimos dois ou três séculos o mundo mudou completamente. Tudo isto com melhoramentos de coisas antigos. Com conhecimento e, principalmente, com dúvidas e com coragem de achar que as coisas não são perfeitas, ainda.

Nós não somos os maiores em tamanho, não somos os mais rápidos. Mas temos um cérebro maior de todos, o que nos dá a possibilidade de questionar, de ter dúvidas e curiosidade sobre nosso passado e futuro. Desvendamos as segredos de milhões de anos atrás. Sabemos que não estamos sozinhos neste universo. A curiosidade é a grande vantagem.

Muitas vezes encontro pessoas que duvidam da chegada do homem à lua. As mesmas pessoas acreditam na ressurreição, numa vida após a morte e curas milagrosas.
Eu tive o privilégio de ver o espelho que os astronautas deixaram na lua. No observatório Mac Donald, com uma faixa de raios laser, estão medindo as oscilações do movimento da lua.
Uma sensação fantástica em ver a força da tecnologia. Por que não acreditar e confiar nisto?
Na TV local a audiência está garantida com programas de contatos com mortos e numerologia, por que ninguém tem contato com G, Bruno, ou Newton? Por que somente com a tia ou bisavó de fulano? Eles até sentem a energia negativa! No universo não existe energia negativa! Energia tem somente uma, com a fórmula simples e bonita do Einstein, E = mc². Somente isto: 3 letras!

Tudo o que é verdadeiro e simples é bonito. Os observatórios que desvendam o passado de bilhões de anos, isto sim, são lugares sagrados. Eu recebi um convite para visitar o maior observatório do mundo. Para mim, viajar já é um grande problema, mas não posso recusar esta oportunidade única.
Eu também gosto de visitar igrejas por causa das obras de arte que elas contêm, mas saindo de um observatório me dá mais inspiração e admiração pelo homem quem construiu e pelo criador do universo, que eu não conheço.

"o meu lugar santo"

Para meu cachorro eu sou o deus, para uma formiga o cachorro é o deus, para mim é o universo com tudo que tem dentro incluindo você e eu.

Nosso aumento de conhecimento é fantástico. Há mais ou menos 400 anos atrás nós ainda fomos o centro do mundo; o sol, os planetas e tudo se movimentavam ao nosso redor. Homens corajosos tiveram a coragem de desmentir uma concepção errada e pagaram caro por isto. Nossa galáxia tem bilhões de estrelas, os cientistas fizeram os cálculos que deve haver milhões de planetas parecidos com a Terra.

É muito difícil separar sentimentos da realidade. Depois de muitos séculos de erros e acertos, veio Freud e tentou nos tirar a sensação de culpa, de tristeza, de pecado, mas não conseguiu.
Eu estava presente quando queimaram os livros dele, de Einstein, de Nietzsche, e muitos outros que tentaram se aproximar da verdade.

Eu gostaria muito de ver as crianças continuarem a fazer perguntas inteligentes, ver mais escolas, planetários e universidades do que templos e igrejas.
Para mim, estar num observatório é estar num templo da sabedoria. Meu deus está muito mais perto de mim! Eu faço parte do universo e da criação.

Ontem recebi uma grande notícia. Acharam um planeta de uma estrela com água!!! Que notícia fantástica. Isto pode ser o começo de uma nova era na história.

Nossa história está somente no começo, ninguém sabe até onde vamos chegar.
Boa viagem!


 


(14 de abril/2007)
CooJornal no 524


Helga Szmuk
astrônoma amadora, professora de idiomas
Florianópolis, SC
helgasz@uol.com.br
http://www.riototal.com.br/astros/