Ano 22 - Semana 1.103






ARQUIVO de
LIVROS 



 

 



1º de dezembro, 2018

comigo mesmo



Fernando Gomes


Conheci Milton Ximenes Lima há cerca de cinco anos, num daqueles encontros anuais de cachoeirenses no Rio de Janeiro em que se celebra a conservação desse de espírito que nos une através do exercício de um bairrisrno saudável, e diria, ate mesmo, elegante.

Nesses encontros convalidam-se amizades que corriam o risco de se tornarem pretéritas, vez por outra restauram-se afetos que já cortejavam o esquecimento e, principalmente, trocam-se experiências que trazem em seu bojo, sempre, o subliminar, porém tácito namoro com o tema da arte, da cultura e do conhecimento. Para os que não sabem o que ocorre nesses encontros, comunico, não sem alguma vaidade, que os cachoeirenses trocam livros entre si.

O grande escritor argentino Jorge Luis Borges, em uma de suas magníficas conferências, já acometido por absoluta deficiência visual, diz de sua alegria em continuar comprando livros. Fala da fervilhante imaginação que os livros podem ensejar, e que sempre pensa em suas possíveis letras góticas, em seus possíveis mapas e gravuras e no sentimento concreto de gravitação amistosa que emana da presença de um livro.

Pois bem, é esse conclamado instrumento de lazer, de conhecimento e de conforto táctil que temos a honra, hoje, de apresentar, levando aos leitores de Milton Ximenes Lima o seu "Comigo mesmo".

É livro que retrata, como fotografia, a essência do autor: elegante, de fino trato pessoal, que estende ao fino trato com o vernáculo, de argúcia no olhar sobre as coisas do mundo - com sensibilidade e clareza. É, em alguns momentos, bem humorado e malicioso em doses prudentes, sem resvalar para excessos, e é fundamentalmente o desenho de um sagaz vivenciador do mundo que o cerca. Observa as pequenas fragilidades humanas tanto quanto as grandes transformações que vão ocorrendo silenciosamente em torno de nós, e que um olhar menos sensível não conseguiria captar. Resultado de uma percuciente capacidade analítica, o prefácio assinado pelo conterrâneo cachoeirense Bruno Torres Paraiso dirá muito mais claramente da excelência de "Comigo mesmo".

Externando o grande e bom orgulho que temos em poder editar a obra do amigo Milton Ximenes Lima, a Editora Cachoeiro Cult se considera enriquecida em sua agenda de realizações e sabe que dá um importante passo em sua ambicionada busca de sempre produzir bons livros.




Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br