Ano 14 - Semana 738






ARQUIVO de
LIVROS 



 

 



3 de junho, 2011
MALÁ STRANA - VESTÍGIOS DE PRAGA



 

Luiz Carlos Guedes


Um dos maiores nomes da literatura tcheca, o escritor, poeta e jornalista Jan Neruda, nascido em Praga a 9 de julho de 1834, é um dos grandes nomes do realismo tcheco. Publicada originalmente em 1977 sob o título de Contos de Malá Strana, esta reunião de contos é sua obra mais famosa e traça um belo e colorido retrato da Praga de fins do século XIX, a partir do cotidiano da Malá Strana, bairro de classe média da época. As histórias vão do trágico ao cômico e seus personagens comuns desfilam desejos, anseios, frustrações, aspirações, ódios, invejas, arroubos, amores, esperanças e mesmo questões de afirmação da nacionalidade tcheca. Após sua morte, em 1891, a rua onde o autor - que inspirou o pseudônimo do escritor chileno Pablo Neruda - morou, uma das principais da Malá Strana, foi rebatizada e passou a se chamar Nerudová.

Nem tão conhecido hoje pelo grande público, Jan Neruda foi, sem sombra de dúvida, uma das maiores personalidades da literatura e da sociedade tcheca do século XIX. Autor de uma vasta obra que inclui ensaios, críticas, reportagens, contos e, principalmente, crônicas, o jornalista, poeta e escritor nascido em Praga em julho de 1834 conquistou toda uma geração de admiradores - entre eles o celebrado escritor chileno Pablo Neruda, que tomou emprestado o sobrenome do autor como seu nome de pena.

Observador arguto de pessoas e do pulsar rotineiro da vida, Jan Neruda tornou-se um dos grandes nomes do realismo tcheco e da chamada Escola de Maio, movimento literário que predominou na Tchecoslováquia durante as décadas de 1860 e 1870 pregando a ruptura com o antigo provincialismo e focando em temas mais humanos e coloquiais. Seu talento para retratar as coisas simples da vida está presente em sua obra mais famosa, publicada originalmente em 1977 sob o título de Contos de Malá Strana, que chega pela primeira vez ao Brasil em primorosa tradução de Luís Carlos Cabral.

Uma das obras mais populares da literatura tcheca, que deixou críticos perplexos e leitores fascinados e foi reeditada dezenas de vezes, MALÁ STRANA - VESTÍGIOS DE PRAGA, como foi rebatizada por aqui, é uma coletânea de contos que traçam, com bom humor e densidade únicos, um belo e colorido retrato da Praga de fins do séc. XIX. A partir de histórias do dia a dia, Neruda leva o leitor a uma viagem ao cotidiano da Malá Strana, bairro de classe média da época em que cresceu.

Nas páginas desses contos não há heróis, vilões, nem grandes conflitos. Nenhum de seus personagens se destaca por feitos excepcionais, que superem os de qualquer pessoa que acorde todo dia e vá observar ou viver a vida. Neruda retrata o ser humano banal - e aí sim, apenas aparentemente banal, pois não há nada mais excepcional do que a singularidade que cada um encontra para conduzir a própria existência e suas pequenas particularidades, raras vezes desprezíveis.

Assim, por suas ruas e jardins, lojas, igrejas, casas e restaurantes, Neruda vai apresentando uma rica galeria de personagens em histórias que vão do trágico ao cômico, desde pequenos dramas e desentendimentos de um grande conjunto de prédios residenciais, passando pelos dois homens que por vários anos encontravam-se no café todos os dias mas não se falavam, até a irônica e triste história do mendigo que morreu de fome por ser acusado de ser clandestinamente rico.

Há, sim, como não poderia deixar de ser, desejos, anseios, frustrações, aspirações, ódios, invejas, arroubos, amores, esperanças, mesmo questões de afirmação da nacionalidade tcheca (aliás, uma das lutas que travou ao longo da vida, mas que aqui também aborda sem dramatizar). Tudo tratado com a simplicidade de quem passeia na beira de um caudaloso rio que passará. Será amanhã um outro rio, uma outra vida que continuará acontecendo em corredores de edifícios, jardins comunitários, cemitérios, cervejarias, calçadas, mercearias, olhares, corações, pequenas vielas, grandes cidades, apesar dos pesares e além da História. A vida sempre continua. É isso que Neruda parece dizer sem cessar.




MALÁ STRANA - VESTÍGIOS DE PRAGA
Título Original: Povídky Malostranské
Autor: Jan Neruda
Tradutor: Luís Carlos Cabral
ISBN: 8501082333
Gênero: Contos/Crônicas
Páginas: 416
Formato: 14x21
Editora: Record






Direção e Editoria
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br