01/07/2019
Ano 22 - Número 1.131



ARQUIVO
MILTON XIMENES

Venha nos
visitar no Facebook

 

Milton Ximenes Lima



Fundo de Gaveta
“Pensamentando”

Milton Ximenes Lima - Colunista, CooJornal

Só coleciono saudades dos que senti que me amavam e, até hoje, por pensamentos, palavras e obras, esbarram compreensivamente com o meu caminho. Que os outros não merecem. Dei-lhes tempo, ocasiões, e não me conheceram. Sigo adiante deles, sem olhar para trás. Guardei-os no esquecimento, porque aceitaram me ignorar. Não valem a pena, pois.

Nada se edifica neste mundo sem intensas trocas de fragmentos de amor, e aqueles que não aprenderam, até hoje, a oferecê-las, não merecem elogios. Só compaixão, por serem ainda tão imperfeitos em seu mundo interior, algemados a pensamentos egoísticos e vaidosos, esquecidos da existência de almas irmãs.

.......................

Com pequena vara, ponta de ferro numa das extremidades, o apanhador de papéis os vai pescando, em repetitivo labor, nas praias, nas ruas, nos lixos de todas as portas. Procedimento automático, obrigatório, sem a possibilidade de diferentes momentos. Talvez a perspectiva agradável da chegada de um dinheirinho, todo seu, ou... dividido. E só...

Sua personalidade cresce em meus devaneios e me faz compará-la ao do homem da moderna sociedade que perdeu, cansado diante da sucessiva luta de superações, o domínio e a segurança no seu caminhar. Prossegue porque existe.

Tudo depende dele, e disto ele não se conscientiza. Pode muito bem tentar se aproximar de uma possível paz interior, mas, como o apanhador de papéis, vai acumulando, sem raciocínios, suas atitudes, problemas existentes em seu mundo sem muitos horizontes, e que, um dia, poderão até, via depressão, afetar-lhe o comportamento.

Está sozinho na multidão... Sofre. O riso que, por acaso, nossos olhos nele testemunharem, traz apenas a lembrança íntima da superação dos ontens, mas, se não compartilhada, leva-o a angustiantes e confusos caminhos.

O importante é todos estreitarem suas mãos e sentir-lhes o pulsar. Procurarem-se nos olhares, tentarem se compreender, e, então, meus irmãos, não mais existirão tantos mundos oscilantes e corações sem destinos..





Milton Ximenes é cronista, contista e poeta
RJ

Email: miltonxili@hotmail.com
Conheça um pouco mais de Milton Ximenes Lima



Direitos Reservados