02/05/2003
Número - 313




 
Rui Martins



RELATOR DA ONU ELOGIA LULA
 

Lula é um hábil estadista e está se saindo muito bem no governo brasileiro – a declaração é de alguém importante no cenário internacional. Trata-se do sociólogo e escritor suíço Jean Ziegler, atual relator especial daONU sobre alimentação, que, há um ano, disparou severas críticas à ação do ex-presidente FHC no combate à fome, que considerava catástrófica.

Ziegler lançou esta semana, aqui em Berna, capital suíça, a tradução alemã do seu último livro – Os Donos do Mundo, dura crítica ao neoliberalismo, onde os EUA são considerados o novo Império no planeta.

Se Ziegler elogia Lula e seu plano Fome Zero, tem uma atitude oposta com relação ao presidente americano Bush, considerando a guerra contra o Iraque um fenômeno de criminalidade organizada, uma batalha de cartéis do petróleo, na qual se passou por cima dos direitos internacionais. “O Pinochet a Casa Branca”, diz Zieglerdespreza a Carta da ONU e o exército americano é o único ponto visível do poder invisível do mercado financeiro globalizado, imposto no Iraque com os bombardeios.

Autor do livro A Suíça Acima de Qualquer Suspeita, antologia sobre o secreto bancário, foi alvo de numerosos processos que causaram sua derrota como deputado, depois do livro A Suíça Lava Mais Branco.

Já tendo vivido no Brasil, Ziegler conhece a realidade brasileira e acha que o  pagamento da dívida não  deve impedir os recursos para a aplicação do  programa Fome Zero.  Ziegler propõe que na constituição brasileira haja um artigo considerando um direito humano o direito à alimentação e espera que Fome Zero seja copiado por outros países.

Para o relator da ONU, o programa Fome Zero deveria ser apoiado não só por ONGs como por governos de países ricos e mesmo multinacionais, como é o caso da empresa suíça Nestlé.

Mostrando ter boa memória, Ziegler lembra que o comportamento atual da Nestlé difere do adotado, no Chile, na época do governo de Salvador Allender, quando, segundo Ziegler, a empresa teria sabotado um plano do presidente chileno para a distribuição de leite à população.

Ziegler apóia as próximas manifestações anti-globalização programadas para os dias da reunião do grupo G-8, em Evian, na França, como sendo uma das únicas maneiras de se conscientizar o povo contra a globalização.

Para ele, o neoliberalismo é como a Aids, por desativar as defesas naturais das nações pobres e pelo efeito devastador de sua propagação.

Radio Nederland
www.parceria.nl

(02 de maio/2003)
CooJornal no 313
 


Rui Martins é jornalista,
correspondente internacional na Suíça
ruimartins@hispeed.ch