02/10/2004
Número - 388



 
Rui Martins



FILME DE BRASILEIRO CONTA O SONHO
DE FUTEBOLISTAS IMIGRANTES NA ITÁLIA
 


 

Dentro de alguns meses, virá ao Brasil e será também exibido na França, Inglaterra, Argentina e Uruguai, o filme do paulistano César Meneghetti, Sonhos de Bola.

É a história verídica de um grupo de 23 jogadores de futebol, 13 argentinos e dez uruguaios, que chegam à Itália, em 2001, para darem sangue novo num clube italiano da 3a. Divisão, o Fiorenzuola.

São treinados pelo campeão mundial argentino de 78, Mario Kempes, conhecido como El Matador, que se recusou a apertar a mão do ditador Videla, na cerimônia da entrega da Copa, no estádio Monumental de Buenos Aires.

O objetivo é o de levar o Fiorenzuola à Primeira Divisão com esses jogadores da Primeira e Segunda Divisão num projeto de um empresário milanês de football business, que deverá render muito dinheiro para todos. Todos os jogadores, filhos ou netos de emigrantes na Argentina e Uruguai, têm um passaporte italiano.

Depois de 40 dias de ilusões e esperanças, o projeto é abandonado, o empresário foge para escapar do pagamento das dívidas e os jogadores não têm nem dinheiro para comprar uma passagem de volta para a Argentina. Alguns acabam ficando na Itália com sub-empregos de faxineiros e cozinheiros e com vergonha de retornarem sem glória e sem dinheiro. Mário Kempes decepcionado, num estádio de várzea de lugarejo italiano, é a cena final, longe daquele momento de glória no estádio Monumental de Buenos Aires.

Essa história verdadeira serve também para contar os bastidores do futebol negócio, que nem sempre dá certo para azar dos jogadores, incapazes de fazer outra coisa senão chutar a bola. O brasileiro César Meneghetti, que já fez sucesso em Locarno com os documentários Sem Terra e Zapaterra, produzidos pelo italiano Nanni Moretti, fez o filme com a co-diretora italiana Elisabetta Pandimiglio, sua companheira, desde os estudos no Centro Documental de Cinematografia, em Roma.

Bem recebido pela crítica em Roma, Torino, Milão, o filme continua em cartaz nos cinemas das pequenas cidades. Meneghetti e Pandimiglio acompanham o filme e com o apoio da Associação dos Jogadores de Futebol participam sempre de encontros e debates com jovens futebolistas. Assim que terminar de passar na Itália, Sonho de Bola irá para a França e Inglaterra. A seguir, irá para os países dos jogadores abusados e frustrados e, finalmente, ao Brasil.




(02 de outubro/2004)
CooJornal no 388


Rui Martins é jornalista,
correspondente internacional na Suíça
ruimartins@hispeed.ch