Francisco Simões
em Expressão Poética

 


 

Venha nos
visitar no Facebook

Francisco Simões


ARQUIVO


 

Francisco Simões, colunista - CooJornal

 

- A amizade virtual de corações reais
- A arrogância explosiva
- A beleza que me encanta
- A borboleta marrom
- A ceia
- A comunicação virtual
- A crônica 600
- A crônica 700
- A crônica 800
- A crônica 900
- A dama coker e o yorkshire
- A dama da noite
- A dama da noite outra vez
- A decisão
- A defasagem do IRPF
- A eleição que separa amigos
- "A era dos festivais"
- A escola de artes
- A ética dispensa conselho
- A falta de água e os caminhões pipas
- A filial do paraíso
- A fumaça era branca, mas...
- A fome sem Natal
- A gente não tem cara de babaca
- A gota d’água
- A internet à deriva?!
- A lady de pata e de muito charme
- A maldade humana também é uma droga
- A manga
- A minha bandeira branca
- A mordaça e as trevas
- A mudança
- A natureza chorou novamente
- A natureza nos visita outra vez
- A passarinhada e nós
- A palavra aos infiéis
- A paz americana
- A primeira nunca se esquece
- A que leva isso, DETRAN?
- A racionalidade cruel
- A rainha, mãe de todos
- A raiva no desencanto
- A razão e o coração
- A realidade que não tem donos
- A ressaca e os garimpeiros da praia
- A reta final
- A rosa
- A samaumeira e os passarinhos
- A solidão bem acompanhada
- A tsunami do capitalismo
- A última essência
- A valsa dos abaçanados ardilosos
- A verdade acima de tudo
- A verdade que era uma vez...
- A verdadeira grande família
- A vida é bela
- A vida como ela é
- A violência consentida
- A Vivo é muito viva
- A volta a Salreu
- A voracidade do Leão
- A voz de Deus
- Abrindo as asas
- Acima de tudo ser agradecido
- Aconteceu há muito tempo
- Adeus, amigo Alceu
- Adeus, linda Tuane
- Admirável imundo novo
- Afinal, quem não sabe votar?!
- Ah, saudade, me leva
- Alforria automotiva
- Alguém lembra da bandeja com envelopes?
- Alguém me explica?
- Alguns delírios persecutórios
- Alma não tem cor
- Amar é preciso
- Amém
- "Amigo é para essas coisas"
- Amigo p'ra cachorro
- Amigos, amigos, guerras à parte
- Amigos, amigos, vida vivida
- Amigos, até que ponto?
- Amigos leitores
- Amizade acima de clubismo
- AMODOR
- Andar é viver
- Anti-spam ou anti-amigos?
- Anticiclone
- Ao celular sem estilo
- Ao som do Telhado Branco
- Aos pessimistas tupiniquins
- Apagão da Estrela Vermelha?
- Apenas um cão?
- Apenas sete anos
- Aposentadoria
- Aposentadoria II
- Aposentar ou não, eis a questão
- Aqueles carnavais
- Armação de Búzios, você conhece?
- Armação de Búzios, você conhece? (cont.)
- As baixarias e o segundo turno
- "As mentiras são doces; a verdade é amarga"
- As noites de Glória
- As torres
- Assim surgiu um aprendiz de escritor
- Ato de contrição
- Aventuras de um bem-te-vi
- Bagdá, meu amor?
- Barata tonta?!
- Batendo continência
- Benditos aqueles que enxergam o melhor nas pessoas e falam para elas o quanto são especiais a
- Berço do rádio e da MPB
- Big burreza Brasil
- Bobos metidos a espertos
- Bolo de aniversário
- Bom gosto musical não é preconceito
- Bom para todos?
- Brasil: de Cabral à CPMF
- Brasil: dos bigodes à marajatina, passando pelo engavetador oficial até o mensalão
- Brasil, dos generais a Eduardo Cunha
- Brasil, tua máscara já caiu
- Bush x Chaves etc
- Cabeça, irmão
- Cabo Frio: parabéns para você
- Cadê o meu paraíso?
- Cãimbra, você já teve?
- Caiu o primeiro Pinóquio belicista
- Caligrafia virtual
- Caminhando entre astros e estrelas
- Capitalismo: o perigo moral?
- Carlos Trigueiro, sucesso aos pedaços
- Carnaval dos IPÊS
- Carta de meia despedida
- Censura nunca teve humor
- Certo por linhas tortas
- Chame o ladrão (!?)
- Chame o ladrão, chame o ladrão)
- Chapéu tirado para o Chapéu Virado
- Chuva de pipas
- Cidadania por obrigação
- Clara e Terezinha
- Clodomir, outro grande amigo
- Cobra venenosa e ...
- Cobras no ninho
- Código Nacional de Trânsito
- Coisas que incomodam e a gente que engula
- Coisas que incomodam e a gente que se dane
- Coisas que incomodam, e muito
- Coisas que incomodam, mas a gente tira de letra
- Coitado do Pluta
- Com mau humor
- Com todo respeito, desrespeitei
- Como se forja um mau caráter
- Como se não bastassem...
- Como tudo começou
- Companheira solidão
- Concursos literários
- Concerto de verão
- Conformidade com o direito
- Consumiram minha energia
- Conversa de fim de ano
- Conversando com a solidão
- Conversando com o silêncio
- Conversando com um amigo
- Copa Brasil
- Copas, carpas e culpas
- Criacionismo ou evolucionismo?
- Criança. Esperança?
- Crítica à crítica
- Crítica à crítica - II
- Crítica de banqueiro é elogio
- Cuba e a revolução de Fidel
- Cupins virtuais
- Cúpula ou cópola
- Da crítica à censura
- Da morte à vida
- Dá vontade de pedir o boné
- Da solidão para a vida
- De férias novamente
- De Oscar Wilde à lixeira
- De repente
- De um brasileiro para os argentinos
- De volta ao ninho
- De volta ao Rio de Janeiro em novembro
- Decepções para não esquecer
- Democracia autoritária, isso existe?
- Democracia irrelevante?
- Denúncia anônima
- Desabafo
- Desarmamento: sou a favor
- Desculpe, mas eu discordo
- Desculpe, Roberto, você dançou
- Desculpem, mas eu não aceito
- Desculpem, mas eu vou contestar
- Desordem sem progresso
- Deus convocou mais um anjo
- Diana, a morte não esclarecida
- Disquei errado mas acertei
- Do amor à violência
- Do antigo hoje sou rei
- Do lado esquerdo do peito
- Do Nobel à guerra
- Do subsolo para as entrelinhas
- Dois pra lá dois pra cá, já era?
- E a família cresceu
- E a farra continua
- É a minha opinião
- E agora, Bin?!
- E agora, Brasil?
- E agora, Lula?
- E aí
- É bonita...
- É essa nossa alternativa de poder?
- E haja corvos...
- É Natal, mas será mesmo?
- E o palhaço quem é?
- E o risco EUA?
- E o samba perdeu para o tango
- É penta, agora agüenta!
- E quando a inspiração não vem?
- E quanto dar a outra face?
- E se o mundo fosse das crianças?
- E se o povo reagisse?
- É tão difícil aprender a ler e a aceitar?
- E você, assiste?
- Eleições e disparates - Encontrei um companheiro
- Entre a razão e a emoção
- Era uma vez
- Era uma vez II
- Escrever e não ser escritor
- Esperança ou ilusão?
- Espírito Santo – gente boa, terra linda –
I, Marataízes
- Espírito Santo – gente boa, terra linda –
II, Anchieta
- Espírito Santo – gente boa, terra linda – III, Guarapari
- Espírito Santo – gente boa, terra linda – IV, Serra – Mata da Serra
- Espírito Santo – gente boa, terra linda – IV, Serra – Reserva Florestal da Vale
- Espírito Santo – gente boa, terra linda –
V, Serra – Reserva Florestal da Vale (cont.)
- Estamos quase no último dos mundos
- Eu amo o meu país
- Eu e o Guinness
- Eu não aguento
- Eu, o dinossauro da informática
- "Eu estudante"
- Eu precisava lhe dizer
- Eu queria falar de amor
- Expressão da alma
- Falando do silêncio
- Falando francamente
- Família, heimm?!
- Fantástico, não é?
- Faróis acesos de dia?
- Faxina geral
- Fazendo amigos
- Fazendo só um rescaldo
- FEBEAPÁ 1253
- Fechando o ano
- Felicidade ou euforia?
- Felicidade só se teem quando se ama
- Feliz aniversário
- Feliz ano novo?
- Filosofia praiana
- Fofoca ou Copa do Mundo 2010?
- Formatura de 2º grau
- Guerra ou guerra?
- Guga, a luz do nosso apagão
- Há sim pessoas insubstituíveis
- Há sinceridade na guerra contra os grampos?
- História da MPB: Osmar Frazão
- Histórias que estão na vida
- Hoje, 17 de agosto
- Homenagenado quem merece
- Homofobia de braços com hipocrisia
- Horripilante mundo novo
- Indo contra a maré
- Ineditismo. É justo?
- Infeliz Ano Novo
- Inferno no paraíso
- Insensibilidade e irresponsabilidade
- INSS, governo, e nós, de novo
- Internauta atrapalhado
- Ipanema, de mal a pior
- Isto é moral?
- Jiló
- Joca do Trompete
- Johanesburgo 2002: sinceridade ou farsa?
- Joga fora no lixo
- Justiça seja feita
- Lá vem o Natal de novo
- Latas vazias
- Leão Esperança?
- Lembranças que não deixam saudades
- Ligaram o ventilador II
- Lisboa e Fernando Pessoa
- Lógica meio fascista
- Luso-brasileiro, sim senhor
- Luto moral

- Luzes, câmera (e muita ação)
- Lyon, Pelé & Cia
- Mais uma saudade
- Mais vítimas do olho grande
- Maquininhas que leem cartões - MARVÃO – Portugal
- Mas... poderá ser sempre honesto
- Mea culpa
- Médico ou Deus?
- Medo de morrer? Eu?
- Médico ou Deus? - o que disseram
- Memória do rádio
- Memória e reconhecimento
- Meninas do Brasil
- Mentira também tem seu dia
- Mestre Rubem Alves, você não é velho
- Meu grito de silêncio
- Meu primeiro assalto
- Meu sábado
- Meu testemunho
- Meu “VÔO DE PAPEL” em livro escolar
- Meus natais
- Minha volta ao Jardim Botânico
- Missão e emoção
- Montpelier
- Mors ultima ratio
- Morte e vida, passarinho
- Na fila dos idosos e outros
- Na fila preferencial
- Na linguagem do coração
- Na literatura não vejo concorrência
- Na praia do chapéu virado
- Não se pode elogiar
- Não trena, questione
- Nem tudo é bem como parece
- Nesta eleição todos os gatos são pardos
- Ninho
- No ar...
- No campo de batalha
- No circo da praia
- No dia dos namorados
- No planeta sem macacos
- No vôo dos passos
- Nobel da decepção
- Nós e a natureza
- Nós e o tempo
- Nós merecemos
- Nossa linda família canina (1)
- Nossa linda família canina (2)
- Nossa linda família canina (3)
- Nossa pressão arterial
- Nosso pé de laranja
- O bem-te-vi
- O candidato
- O carnaval dos IPÊS
- O colarinho que não cola
- O crime de guerra que ficou impune
- O distrato dos direitos do homem
- O encontro nunca combinado
- O filho do Mario
- O fim do mundo
- O fim (ou o êxito) da homeopatia?
- O "gato" que não era nosso
- O grito do silêncio
- O horário político na TV
- O lado bom desta internet
- O lado oculto da minha vida - comentário
- O lado oculto da minha vida I
- O lado oculto da minha vida II
- O lado oculto da minha vida III
- O lado oculto da minha vida IV
- O lado oculto da minha vida V
- O lado oculto da minha vida VI
- O lado oculto da minha vida VII
- O lado oculto da minha vida - final
- O mano Zeca
- O mar quando quebra na praia
- O mesmo filme de sempre
- O meu Pai Nosso
- O milagre do sorriso
- O monólogo que virou “diálogo”
- O mundo precisa de Dom Quixote
- O nada admirável mundo novo
- O óbvio ululante
- O orgulho de ser paraense
- O PAN acima de qualquer suspeita
- O passado me visita mais uma vez
- O piano
- O povo é que não sabe votar!
- O povo não sabe votar?
- O que a imprensa esqueceu de informar
- O que a gente esquece ou não quer lembrar
- O que a medicina não explica
- O que é ser velho?
- O que não se faz pelos filhos
- O que ninguém disse
- O receio que eu não tenho
- O reconhecimento do mérito – Euzébio
- O Rei está nu
- O retorno do Zaca - IV
- O sentido da vida
- O silêncio imoral
- O som da saudade
- O sorriso do corpo
- O spam anunciado
- O teatro do horário eleitoral
- O tempo e a vida
- O texto esquecido no arquivo
- O texto número mil
- O vacilo culpado sempre
- O Zaca novamente III
- Obrigado, de coração
- Olho grande e seqüestro fingido
- Olho por olho?!
- Oh!rário eleitoral gratuito
- Oh! vida, oh! céus
- Oh vida, oh céus
- "Olé touro"
- Omodor
- Onde está a felicidade?
- Onde está o Bin?
- Onde está o FHC?
- Onde estão as respostas?
- Onde foi parar o boxe tradicional?
- Onde há lombada há falta de educação
- Ópera do Cio
- Ora bolas
- Ora direis, acerolas?
- Ora direis, amigos!!
- Ora direis, é eleição
- Órfão de coração?
- Os antiamericanos?
- Os bobos metidos a espertos
- Os cartões novamente
- Os comentários sempre bem-vindos
- Os comentários sempre bem-vindos II
- Os corruptos
- Os exércitos das passarelas
- Os humanos irracionais
- Os riscos de uma democracia
- Otília, mulher para além do seu tempo
- Outonalmente
- Ovelha negra, sim senhor
- Paixão de Carolina
- Papai Noel existe?
- Para o caso de você não ter lido
- Parafraseando
- Pardais ao ar livre - nós na gaiola
- Parece, mas não é
- Parvoeira: a razão obscurecida
- Passos na primavera
- Pena de morte
- Pena de morte e os comentários
- Pensa nisso
- Pérola do Atlântico
- Piazza Navona, mas em Cabo Frio
- Pimenta nos olhos dos outros
- Pode ser saudade
- Podem me vaiar
- Podem me vaiar mais uma vez
- Poesia
- Pois é
- Política ou Copa do Mundo?
- Politicalha desavergonhada
- Poluição sonora e política
- Por cima uma laje, por baixo a escuridão
- Por linhas tortas
- Por que política?
- Por que velho?
- Porque não estudei direito – II
- Porque não sou ateu
- Povo de Sucupira
- Pra não dizer que não falei de ética
- Prazer, sou a censura
- Preconceito: uma vergonha mal disfarçada
- Preconceito e suas conseqüências
- Primeiro de abril em outubro?
- Privatização à brasileira
- Procon ou procontra?
- Procura-se
- Quando educação e respeito passam para o segundo plano
- Quando o passado volta ao nosso encontro
- Quando se perde um grande amigo
- Quando o comentário vale uma crônica
- Quanto dói uma saudade?
- Quarentinha, um craque pouco lembrado
- Quase um compositor
- Que futuro, que país?
- Que vença a democracia
- Quem disse que não compensa?
- Quem é irracional?
- Quem faz a língua é o povo
- “Quem sabe faz a hora...”
- Quem tem medo de descupinização?
- Quem realmente pratica terrorismo?
- Raça, uma questão de opinião
- “Rádio Repórter” “O microfone aberto do passado”
- Realidade ou ficção?
- Recomeça tudo novamente
- Recordando, contestando e vivendo
- Recordar e viver
- Rescaldo do ouro roubado
- "Requiescat in pace", Sêo José
- Retrato falado
- Réveillon de uma semana
- Roleta brasileira
- Rosas lutuosas de maio
- Rotina de um septuagenário
- Rubem Alves sempre esteve com a razão
- Salzburgo não foi só Mozart para mim
- Salve o compositor
- São João na cidade do Porto
- Saudade do silêncio
- Saudade é o amor que fica
- Saudade é bom
- Saudades da ditadura?!
- Saudades da Garota de Ipanema
- Saudades do Adoniram
- Saudades do Poetinha
- Se eu não incorrer em erro
- Se você conseguir, explique
- Seja bem-vindo - Sem novidade, apenas de novo
- "Sempre não é todo dia"
- Sena, esta nossa mega
- Sêo José
- Sensibilidade canina
- Sentimentos que ultrapassam a irracionalidade
- Ser ou não ser?
- Ser ou não ser... eleitor?
- Ser ou não ser vergonha
- Seriam os deuses médicos?
- Sinfonia de verão
- Sois rei? Sois rei? Sois rei?
- Solidariedade e cultura
- Solitário
- Sonhar é o melhor de tudo e muito melhor do que nada
- Super-8: "Lona suja"
- Super–8: O papa na terra dos irmãos João e Paulo
- Super-8: War
- Super-8 no Brasil: Um sonho de cinema
- Surdos e cegos por opção
- Tá todo mundo louco?
- Tande, uma nova e grande sacada
- Tanto faz quanto tanto fez
- Tantos muros
- Táxi em Paris
- Tempo de corvos, sempre?
- Terra de ninguém
- Terra minha
- Therezinha de Jesus
- Tiroteio político
- Touche: aventuras de um yorkshire
- Touche, nosso amigo de longa data
- Tristeza maior que o medo
- Trocando confidências
- Tropeçando na insensibilidade
- Tudo ou nada
- TV via satélite
- Um amor incondicional
- Um cidadão cabofriense
- Um esgoto a céu aberto
- Um ídolo de barro
- Um Oscar para Oscar
- Um outro mundo
- Um partido novo?
- Um piano ao cair da tarde
- Um recado ao presidente
- Um ser especial
- Uma certa paranóia
- Uma cirurgia, alguns conselhos
- Uma nova história do Zaca
- Uma palavra antes do texto
- "Uma vida inteira pela frente"
- Vai seguindo a procissão
- Vamos à dentista?
- Vamos jantar fora?
- Vergonha na cara, você tem?
- Vida e emoção
- Vida e morte Terezinha
- Vida leva eu
- Vida sem vida
- Visita da esperança
- Vítimas do olho grande, de novo ?!
- Vítimas, mas do olho grande
- Vivendo a vida
- Você abusou
- Você assiste ao programa do Ratinho?
- Você já fez seu exame no DETRAN?
- Voltando a Ipanema
- Voltando ao assunto
- Voltando ao DETRAN
- Voltando ao passado
- Voltando da catarata
- Vôos de papel
- Vota serio, gente
- Votar é exercer cidadania
- Vou falar sobre o quê?
- Vou parar de dirigir
- 31.03.1964: Minhas memórias
- 33 por 69

 



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com

Direitos Reservados