15/03/2017
Ano 20 - Número 1.021

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões


SUPER-8 NO BRASIL: UM SONHO DE CINEMA

 

Francisco Simões, colunista - CooJornal



Pretendo dizer algumas palavras sobre a magnífica obra realizada pelo meu novo amigo, o Antonio Leão da Silva Neto, de São Paulo. Um dia parece que ele teve um sonho e partiu para a concretização do mesmo.

Leão, como eu o chamo na intimidade, é um apaixonado pelo cinema em geral e achou que podia contar a história do tempo de ouro da bitola estreita do Super-8. Como vocês sabem eu participei e bastante daquela história produzindo alguns filmes, participando de Mostras e Festivais, geralmente a nível universitário de norte a sul do Brasil e logrando ganhar bons prêmios.

Durante anos ele começou uma tarefa aparentemente impossível de ser concretizada. Ele buscou alguns apoios e felizmente os teve desde o início. Leão não é só um apaixonado pelo cinema, mas é também um desbravador que conseguiu reunir 5.519 filmes, 3.770 realizadores, e 952 biografias.

Fiquei surpreso ao ver que tudo coube no seu livro-dicionário, como ele diz, e com uma apresentação da melhor qualidade, com todo o zêlo de quem teve a competência de expor tudo num livro com 621 páginas, podem acreditar.

Os primeiros filmes em super-8 começaram a surgir no final dos anos 60 e eu entrei nesta história já no começo dos anos 70 até comecinho dos anos 80. O Estado de S. Paulo foi onde produziram a maior quantidade dos mesmos e o segundo foi o Rio de Janeiro, onde me encontro. Inúmeras foram as fontes consultadas por Leão.

Seu trabalho levou realmente alguns anos de pesquisa, busca, contato com realizadores, pessoas que se empenharam produzindo Mostras e Festivais pelo Brasil afora, etc. O livro foi muito bem organizado e é difícil para mim explicar como ele distribuiu seu conteúdo, só o lendo mesmo.

O Antonio Leão da Silva Neto nasceu na cidade de S. Paulo no ano de 1957. Quer dizer, quando o amigo Leão nasceu eu já tinha 21 anos. Ele se diz realmente um apaixonado pelo cinema em geral desde criança. Sua biografia diz tudo sobre este herói que ousou e conseguiu realizar esta magnífica obra na bitola que, como muitos outros, ousamos produzir filmes inclusive durante os anos negros da ditadura. E os meus eram basicamente de crítica social e política.

Em dezembro de 2016, Leão Neto foi agraciado com o prêmio “Grande Momento Paulo Emílio Salles Gomes de Cinema”, que lhe foi outorgado pela Associação Memorial do Cinema Paulista.

Devo lhes dizer que estou adorando o livro do amigo Leão. Peço muitos, mas muitos aplausos mesmo para ele que além de uma vida dedicada também ao cinema teve a capacidade, a competência para realizar esta excelente obra. O título do livro é o mesmo desta crônica que ofereço ao bom e competente amigo Antonio Leão da Silva Neto.

Leão, entretanto já lançara outros livros voltados ao cinema nas várias bitolas e sobre vídeo. Se lerem a biografia dele no verso da capa desta obra a que me refiro neste texto, conhecerão uma vida dedicada realmente a propagar o cinema.

Duas fotos acompanham este texto, uma é do amigo Leão Neto e a outra mostra a capa do livro-dicionário produzido magnificamente pelo mesmo. O autor rende algumas homenagens póstumas a pessoas que colaboraram com ele neste trabalho, mas que faleceram antes de darem seu depoimento como pretendiam.

Abaixo, coloco como os amigos e amigas interessados poderão adquirir o referido livro:
1-Livraria do Espaço Itau de Cinema, https://www.facebook.com/LivrariaDoEspacoSp
Rua Augusta 1475, SP, fone: (11) 3141-2610
2- No Mercado Livre:
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-841813041-livro-supe…
3- Diretamente pelo e-mail: leao.n@terra.com.br

Vou encerrar esta homenagem merecida repassando aqui para vocês o parágrafo final da Apresentação do livro-dicionário do Leão Neto:

“Este é o resumo de um livro que vai surpreender vocês, como surpreendeu a mim. Eu não tinha ideia do que havia sido “a febre do Super-8” no Brasil nos anos 70/80. A grandiosidade desse movimento, os polos espalhados pelo Brasil e sua importância na formação de cineastas e, principalmente para a história do Cinema Brasileiro.


__________________________________________

Comentários sobre o texto podem ser enviados ao autor, no email fm.simoes@terra.com.br

(15 de março, 2017)
CooJornal nº 1.021



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.