ARQUIVO SIMÕES

 

          

Francisco Simões

 

ALGUÉM ME EXPLICA?

 

Hoje estou em meditação intensa. Voltei aos meus tempos de yoga (não yôga como adotaram agora). Fiz um relaxamento profundo, um prana (respiração) ritmado e muito tranqüilo. Executei também a postura da vela, portanto de cabeça para baixo, a fim de irrigar meu cérebro. Pronto, agora me sinto em condições de mergulhar fundo em minhas dúvidas.

Digamos que tento acender uma luz (fria e só de 9 watts...) na minha “dúvida hiperbólica”, que o filósofo Descartes definiu como sendo “o ponto de partida para bem se conduzir a razão na investigação da verdade.” Em êxtase meditativo invoco a ajuda dos que me prestigiam lendo o que escrevo. Eu só quero entender.

Por que logo que se encerraram os trabalhos da Comissão de Ética do Senado, com a fuga, via “direito de renúncia”, de 2 ilustres senadores, estando em grande efervescência, acusações vindas de todos os lados contra o Excelentíssimo Presidente do mesmo Senado, convidaram o presidente da referida Comissão para ser Ministro de Estado, esvaziando o importante cargo? Seria ele o único disponível? Por que a pressa em tirá-lo da Comissão? Alguém me explica?

Por que dias depois nomearam para aquela função, por uma incrível coincidência, (claro, eu sei, longe de mim qualquer sentido de maledicência) justamente um dos mais antigos amigos daquele que hoje mais parece uma ilha de suspeitas, cercada de denúncias por todos os lados? Oh! quanto descuido, quanta irreflexão, quanta inadvertência. Depois o povo fica imaginando coisas! Alguém me explica?

Por que uma alegada depressão do ex juiz Nicolau, na prisão especial, tocou fundo o coração de um juiz que o mandou para casa para se recuperar, sabe-se lá até quando, e outro magistrado, há semanas, não encontrou razões para condenar o engenheiro Sérgio Naya, mesmo conhecendo os fatos que culminaram com a queda de um prédio que ele construíra, matando pessoas e destruindo os sonhos de tantas outras? Alguém me explica?

Por que o digníssimo juiz não se indignou com as declarações impudentes e sarcásticas do referido engenheiro, gravadas em vídeo e divulgadas fartamente pela mídia, nas quais ele assumia que usava areia e material de segunda para obter maior lucro nas construções que realizava? Alguém me explica?

Por que autoridades do Banco Central justificaram a nova prorrogação da famigerada CPMF, até algum dia de 2003, declarando que, a CPMF é fundamental, que ela poderá evitar uma possível hiperinflação. Mas o governo não se gaba sempre de ter conseguido essa façanha com a implantação do Plano Real e que ele, por si só, foi o grande instrumento para impedir o retorno da ciranda inflacionária? Alguém me explica?

Por que alguns políticos, quando eleitos para cargos de prefeito ou governador, pensam que têm o direito de gastar o nosso dinheiro, arrecadado através de impostos os mais elevados, para fazer farta propaganda na mídia de obras que realizam? Ora, eles não foram eleitos justamente para trabalhar pela população, pela cidade, ou pelo Estado? Realizar obras não é obrigação deles? Como aceitar este desperdício de dinheiro público com demagogices? Alguém me explica?


Por que, diante de inúmeros, escabrosos e seguidos escândalos que vêm ocorrendo há vários anos, envolvendo governos, congressistas, juízes, empresários, a grande mídia nunca mais convocou o povo para pintar a cara e sair às ruas manifestando o seu veemente repúdio a esse estado de coisas? Por que este desinteresse atual da mesma mídia? Alguém me explica?

Por que o time do Planalto procura fazer de tudo para evitar que o Sr. Itamar Franco entre em campo como candidato? Que tipo de ameaça ele representaria? Temem que o “pão de queijo” seja servido muito quente? Alguém receia sair queimado? E alguém me explica?

Por que “ita” em latim significa pedra, será que receiam ficar entre o mar e o rochedo se ele vencer? Ou será que, lembrando o mestre Drummond, querem eles a todo custo afastar...”a pedra do caminho”...? Receiam tropeçar ou ter um grande tombo com uma eventual vitória vinda da “roça”? Por quê? Alguém me explica?

Por que advogados e juristas ilustres denunciaram anteriormente que o pacote do “racionamento” era inconstitucional, especialmente quanto à violência do corte de energia elétrica e a exagerada sobretaxa de 200% mas, posteriormente, sem racionamento de votos, o pacote venceu de goleada, pondo um “apagão” em nossas esperanças de justiça, no Superior Tribunal , por 8x2? Agora é constitucional. O que mudou? Em que acreditarmos? Alguém me explica?

Por que nos exigem que apaguemos lâmpadas, desliguemos eletrodomésticos, subamos pelas escadas enfim, que paguemos alto preço, com nossa solidariedade submissa e resignada, e ninguém explica como puderam os senhores comandantes do processo de privatização não enxergar, ainda com todas as luzes acesas, os péssimos negócios fechados ao venderem (ou entregarem) quase toda a energia gerada pelo petróleo? Alguém me explica?

Por que o prefeito do Rio de Janeiro insiste em desperdiçar nosso dinheiro em projetos megalômanos? Sistema de refrigeração aérea a vapor de água num bairro imenso como Bangu? Eu presenciei este processo em 1995, na Expo-Sevilha, em Espanha. Ele cobria apenas uma área bem pequena e não é nenhuma maravilha para os efeitos esperados. Pretende-se juntar toda a população de Bangu embaixo das poucas nuvens de vapor que conseguirão, mas com alto custo? Alguém me explica?

Nossa cidade como um todo, está com seus problemas básicos já resolvidos? E a ordem não é racionar energia? Por que o Prefeito não aterriza? Por que não cumpre primeiro certas promessas de campanha, como, por exemplo, extirpar a indústria dos pardais eletrônicos, que tanto condenou? Alguém me explica?

Por que vários políticos, inclusive ou principalmente ligados ao atual governo, estão trabalhando forte no sentido de tentar aprovar no Congresso o tal de “foro privilegiado”? Ele se destinaria a julgar ex-autoridades que eventualmente vierem a ser processadas por razões as mais variadas. Alguém me explica?

Por que estariam assustados com os ventos que estão soprando vindos do Peru, da Argentina, da França, da Inglaterra os quais pretendem varrer da política ex Ministros, ex, e até atuais presidentes, como é o caso agora da França nas denúncias de corrupção contra o Sr. Chirac? Por aqui alguns não querem nem
ouvir falar em CPI da corrupção, mas sonham todas as noites com este “foro privilegiado”. Quem não deve não teme. Então por que tanto medo? Alguém me explica?

Por que está crescendo em mim uma desconfiança quanto ao rumo desse racionamento de energia? Por que, à parte as causas conhecidas, me assalta uma suspeita, face ao desencontro de informações que ora salientam pessimismo, ora otimismo, ora risco de apagão, ora nem pensar em apagão, que de discurso em discurso, já compraram o papel para nos embrulhar direitinho às vésperas das eleições do próximo ano? Por que acho que já vi este filme? Por que acho que muitos vão cair direitinho, de novo? Alguém duvida? Quem viver, verá.

Desculpem, tantas incertezas e suspeitas me extenuaram. Vou fugir deste estado de tensão que me acomete mergulhando ainda mais fundo em relaxação. Desligo.



(julho de 2001)


Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
www.franciscosimoes.com.br