08/07/2006
Ano 9 - Número 484

ARQUIVO SIMÕES

 

          

Francisco Simões

 

VOTA SÉRIO, GENTE

Claro que o titulo acima é uma adaptação do repetido chavão do nosso saudoso Bussunda, que, por sinal, sempre fará sucesso. Acredito que se vivo estivesse ele até o dissesse assim agora que nos encaminhamos para importantes eleições.

Por outro lado, o que ele tanto repetia, “Fala sério”, pode ser por mim endereçado agora a algumas pessoas que andam a misturar as coisas. Elas estão aproveitando a derrota brasileira nesta Copa do Mundo para extravasar sua imensa decepção com o presidente Lula, com justificada razão, sim, mas divulgando críticas absurdas, de mau gosto, onde o humor passa muito longe. Desculpem, mas é a minha opinião.

Numa dessas, acompanhando uma grotesca caricatura de Lula, o que é válido democraticamente, claro, está dito entretanto que ele é... “Pé Frio”, e mais, o “Presidente do Azar”. O que deploro é o embaralhamento de assuntos díspares ao se valerem do fato real e da crítica fantasiosa para enveredar pela política que já anda tão confusa e obscura. Não é por aí, gente, desse jeito vão descarrilhar.

Até para criticar temos que manter a boa postura, a ética, a seriedade, a correção, para não corrermos o risco de cairmos no ridículo e atirarmos nossa crítica, ainda que justa, ainda que válida, ao descrédito da opinião popular.

Ora, ora, não estou aqui para defender Lula ou quem quer que seja dos atuais candidatos a presidente, e quem me lê sabe disso, mas também não tenho obrigação de acatar críticas em cima de conclusões estapafúrdias seja contra quem for, reafirmo. Misturar futebol com política nunca deu certo, nem a favor nem contra alguém.

Cheguei a escrever a uma dessas pessoas perguntando se não seria então o caso de perguntarmos se todos os presidentes que governaram o Brasil durante os 24 anos em que não ganhamos nenhuma Copa seriam todos... Pés Frios?! Claro que não.

Disputamos até agora 18 copas e ganhamos 5, porém ninguém chegou tão perto de nós. Mais, somos o único país que conseguiu disputar todas as copas já realizadas e o único a ganhar as Copas sempre em terreno adversário, sabiam disso?

E considerando outro “insucesso” também recente, indaguei da mesma pessoa se não seria então o caso de afirmarmos que os senhores do PSDB e do PFL, que dirigiam este país em 1998, e pretendem voltar a fazê-lo, serem todos imensos... Pés Frios??!!

E FHC igualmente um “Presidente do Azar”?! Afinal foi naquele ano que demos um vexame talvez até pior ao perder para a mesma França por 3x0 num espetáculo vergonhoso semelhante ao de agora. Já esqueceram?! Então? Cuidado, um descuido e o tiro pode sair pela culatra, será que me faço entender?

Decepcionado também fiquei quando alguém me disse que “para derrotar o Lula vale tudo, mesmo que não seja verdade”. Barbaridade, a pessoa diz isso e quer posar de crítico moral de Lula ou de quem mais seja? Dizem e depois querem se justificar como tendo falado “apenas” uma... brincadeirinha!! E me chamam de “mau humorado”??!!

Essas pessoas me lembram aquela assertiva que já condenei veementemente em outra crônica e que considero uma lógica fascista: “Amigo meu não tem defeito e inimigo, se não tiver, eu boto”...

Política para mim, mesmo decepcionado, é coisa muito séria, mas também me falaram que a nossa não o é, e talvez por isso queiram ajudar a bagunçar ainda mais. Se vamos agir como esses pretendem na postura de críticos e/ou de eleitores, o que de bom podemos esperar de nosso futuro??!! E que moral teremos para criticar os políticos?

A verdade, gente boa, é que, na derrota para os franceses, faltou humildade e seriedade, isto sim. Lembrem que só pudemos ver o Ronaldinho gaúcho fazendo belas e acrobáticas jogadas, com a camisa da seleção, nos anúncios de propaganda. E até exageraram com efeitos os mais variados. Houve “confete” demais, vaidades exageradas. Teimosia também, particularmente do técnico.

E para encerrar recomendo aos pretensos críticos da política e de políticos, que procurem ler mais, que leiam quem escreve com responsabilidade, com autenticidade, quem escreve com seriedade, dignidade e coerência, e não abandona essas virtudes ainda que precise ir fundo em alguma análise crítica mesmo contra os políticos mais corruptos que este país possa já ter conhecido. Dizem que para o bom entendedor meia palavra basta, logo...

Por favor, não ouçam os maus conselheiros ou, do contrário, o feitiço pode virar contra os feiticeiros. Depois não digam que não foram avisados.

Já que no futebol faltou o “Joga sério, gente”, pelo menos nas próximas eleições, meus amigos, por favor, relembrem o saudoso Bussunda... “Vota sério, gente”.




(08 de julho/2006)
CooJornal no 484


Francisco Simões
escritor, fotógrafo (expositor), radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
www.franciscosimoes.com.br