19/06/2010
Ano 13 - Número 689

ARQUIVO SIMÕES


Francisco Simões
em Expressão Poética


 

          

Francisco Simões



POLÍTICA OU COPA DO MUNDO?
 

 

Francisco Simões, colunista - CooJornal

Amigos, cheguei a pensar em falar sobre as eleições, mas desisti após ver D. Dilma, com cara de uma jovem de 20 anos, um sorriso que nunca antes neste país ela conseguira expressar, e ainda com pose de falsa intelectual confundir o nosso saudoso Ullysses Guimarães com o grande poeta português, Fernando Pessoa. “Navegar é preciso”, pois é, e estudar também, e ler então nem se fala. E como vice assumiu o chamado “Mordomo de Filme de Terror”... Quero distância!!

Depois assustei-me com a nova/velha imagem do José Serra, estampando no rosto e nos gestos uma simpatia que ele jamais teve fora do circo dos discursos e promessas pré-eleitorais. E por falar nessas, Serra vem com o mesmo script usado no passado por FHC. E ainda tem o apoio do agora, mais do que nunca, “partido da corrupção”, o tal de Democratas. Para completar a incoerência, juntam-se nesse apoio os do antigo Partidão Comunista, atual PPS. Meu voto jamais terão.

Então decidi ir mesmo de Copa do Mundo. Sabemos todos que as opiniões variam muito, porém é importante percebermos e acompanharmos o que vai ocorrendo, por exemplo, com as tais seleções que chegam à África do Sul com aquela auréola de “prováveis finalistas”. Quem as indica são jornalistas do mundo inteiro claro.

De uma maneira geral andaram indicando, desta feita, como “favoritas” às finais, as seleções da França, da Inglaterra, da Alemanha, da Espanha, da Holanda, da Argentina e do Brasil. Nesta lista não vejo nenhuma novidade, com exceção da Espanha, que em 1998 foi à Copa com amplo favoritismo e, de “salto alto”, foi eliminada logo na primeira fase. Jamais chegou a uma final. Não acredito nela.

Mais, sabiam que o Brasil é o único país que já disputou 19 finais de Copa do Mundo? Dezoito foram ou com Alemanha, ou com Itália, ou com Argentina. Apenas uma com a França, 1998, cuja verdadeira história um dia será contada.

Alguns “profetas” não incluíram o Brasil como candidato à Final da Copa atual, um deles foi o ex artilheiro da Croácia, o Sucker. Mas ele não está só, porque por aqui, bem perto de nós, temos alguns desses senhores acostumados sempre a torcer contra. Escondidos, torcem a favor, mas de público... haja hipocrisia!

O Campeonato começou e logo se viu que a França, classificada na repescagem e com um escandaloso gol feito com a mão pelo artilheiro Thierry Henry, não teve competência para sair do 0x0 com o Uruguai, também aprovado na repescagem. Era um dos “favoritos” a indicar que não deverá ir muito longe. Aguardemos.

No dia seguinte, vimos Maradona, feliz da vida, vibrar muito com o gol da sua Argentina sobre uma Nigéria meio assustada, logo aos 7 minutos de jogo. É, mas não passou disso e deu sorte de os africanos não terem empatado ou virado o jogo. “Los hermanos” cansaram e os nigerianos mostraram má pontaria.

A seguir vimos outra “favorita” da imprensa em geral, a Inglaterra, tropeçar na seleção americana, 1x1. Esta, se vem melhorando o seu futebol, por outro lado não impressiona ainda para chegar a uma final. Em outro estádio a Grécia, campeã européia de há uns poucos anos atrás, se deixava atropelar por uma rápida Coréia do Sul, 2x0. Esta partiu na liderança dum grupo onde a Argentina está cotada por muitos como ampla favorita. Será mesmo?

É verdade que finalmente uma das tais “favoritas” correspondeu: Alemanha 4x0 Austrália, embora esta não tenha mostrado um futebol à altura de uma Copa do Mundo. Bonito foi se ver um jogador brasileiro, paulista de Santo André, que nunca jogou no Brasil e que fora tentar a sorte num time de quinta categoria na Alemanha, surgir agora nesta poderosa seleção alemã e ainda marcar um belo gol ao tocar na bola pela primeira vez, no segundo tempo. E quase marcou mais um. Seu nome: Cacau, agora naturalizado alemão. É uma bela promessa.

A Holanda, que muitos enalteciam, pois teria obtido 19 vitórias entre os jogos das eliminatórias européias e alguns amistosos, com destaque para cinco goleadas, afinal jogou recuada contra uma frágil Dinamarca e seu primeiro gol acabou sendo um presente de um adversário numa jogada infeliz: gol contra. O segundo gol holandês só ocorreu bem ao final do jogo numa “bola chorada”. Estão muito longe da famosa “Laranja Mecânica” que encantou o mundo no passado.

E a zebra japonesa surpreendeu a favorita seleção de Camarões: 1x0. --- Enfim chegou a vez da Itália, atual campeã do mundo, estrear contra o Paraguai. Mais um favorito que tropeça e por pouco não perdeu para o time sul americano: 1x1. --- Aí Portugal entrou em campo com certo favoritismo, mas esbarrou numa Costa do Marfim determinada e muito forte: 0x0.

O Brasil, de Dunga, estreou a seguir contra a “misteriosa” Coréia do Norte. No primeiro tempo eles apenas tocaram bola, fazendo aquele jogo de “irrita jornalista” que me agrada por demais. No segundo tempo abrimos 2x0 e mesmo assim Dunga fez alterações no time buscando um placar mais largo. Não deu, mas mesmo com os 2x1 largamos na frente em nosso grupo. Vamos esperar os próximos jogos. Estamos, até aqui, apenas na primeira rodada de cada grupo.

Chegou o momento dos jogos do último Grupo, onde está a tão paparicada Espanha, preferida da maioria dos tais comentaristas esportivos. Primeiro tivemos o Chile vencendo a fraca Honduras por apenas 1x0. Mesmo assim um comentarista da Band botou veneno na língua e criticou a seleção de Dunga dizendo que o Chile mostrava muito mais disposição ofensiva.

Ora, ora, eles não esquecem, só fazem que não se lembram, por exemplo, que nas Eliminatórias, quando o Brasil jogou em Santiago, o técnico argentino do Chile, botou sua equipe bem ofensiva pra cima do time de Dunga. Tomaram um baile e 3x0, Brasil, foi pouco. Alguns da antiga diriam que o Brasil deu um “passeio”.

Enfim entrou em campo a Espanha, campeã européia de seleções, indicada por muitos como grande favorita para a final. Adversária? A sempre retrancada Suíça, que na última Copa saiu na primeira fase sem tomar nenhum gol, mas sem fazer nenhum também. Foram 3 resultados em 0x0. Acharam que os espanhóis iriam passar por cima dos suíços e comemorar com “chocolate”.

Pois é, pensaram.... hahahaha.... mas erraram feio. E vão errar sempre esses senhores comentaristas esportivos porque ninguém ganha Copa do Mundo de véspera nem por resultados anteriores. O que se viu foi uma Espanha, mais uma vêz de “salto alto”, exageradamente confiante, achando que ganharia quando quisesse, e aí...

Bom, aí a Suíça pegou a única chance que teve e faturou a favoritíssima Espanha, deixando os senhores comentaristas, e outros que não cansam de falar bobagem na internet, com cara amarelada e chifres quebrados... hahahaha... Pois é, Olé Suíça, ... Olé grande e bem-vinda zebra. Aos do contra, aos senhores comentaristas tantos que vivem a querer adiantar resultados, que não sabem esperar, os meu sentidos pêsames. Falei e disse. Até a próxima.

Aguardemos os próximos jogos.



(19 de junho/2010)
CooJornal no 689


Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.franciscosimoes.com.br 

Direitos Reservados