31/08/2012
Ano 16 - Número 802


 

ARQUIVO SIMÕES


Francisco Simões
em Expressão Poética

 

Follow RevistaRIOTOTAL on Twitter

Francisco Simões


ARMAÇÃO DE BÚZIOS, VOCÊ CONHECE?

(continuação)

Francisco Simões, colunista - CooJornal

Na semana passada eu realcei diversos fatos que nos encantaram e muito durante nossa primeira estada em Armação de Búzios. Hoje continuarei escrevendo na mesma linha de argumentação, acrescentando outras informações que podem interessar a quem nunca visitou aquele maravilhoso lugar.

Ficamos encantados ao ver o respeito à Natureza. Digo-lhes que encontramos lojas construídas sem que derrubassem a árvore que estivesse em seu caminho. Houve estabelecimento que além de deixar ali a antiga árvore, teve o esmero de construir a marquise com um dos imensos galhos da dita árvore passando através dela. Integração total, acreditem.

Quando caminhávamos rumo ao Yatch Club, tendo mais à frente a Praia dos Ossos, mas ainda passando pela praia da Armação, paramos para admirar a inventividade do dono de certo restaurante no que se refere ao respeito total para com a Natureza. Ao construírem o estabelecimento tiveram que “chegar a um acordo”, e dos melhores, com vários coqueiros que já estavam ali há algum tempo.

Pois os proprietários ao construírem a marquise sobre as várias mesas colocadas na calçada mantiveram os quatro coqueiros, talvez como homenagem à mãe Natureza e como respeito às árvores que ali já estavam antes deles chegarem. Sobre este assunto decidi mostrar algumas fotos junto com este texto para provar o que digo. Sei que não precisava, mas vendo acredita-se mais facilmente.

Outro magnífico exemplo que encontramos foi quando entramos em certo Shopping e logo à esquerda percebemos que haviam construído o imóvel deixando intacta uma árvore centenária. Fotografei Lena junto ao imenso tronco tendo ao fundo uma das muitas lojas e no alto uma grande foto da estátua de Brigitte. Aquele tronco depois se desdobra em dois e segue para cima do teto do Shopping. Sei que nem todos se tocarão como nos aconteceu, mas foi algo emocionante.

Esses exemplos se repetem em muitos lugares. Cheguei a me deixar fotografar junto a um tronco no qual o escultor baiano Gilmário Santana esculpiu a imagem de “O Jesuíta”, em tamanho real. Ela está no mesmo Shopping que citei acima. Achei aquilo bem original.


Gostamos de ver todas as ruas ladeadas por árvores, muitas árvores, uma ao lado da outra, espalhando muita sombra por todo lugar que passávamos passeando. Igualmente muitas das casas que vimos, inclusive em certa rua onde só encontramos verdadeiras mansões, as árvores são sempre preservadas, na rua ou dentro da área das residências. Tudo muito lindo.

Na famosa Rua das Pedras achamos curioso que todas as lojas que ficam de um dos lados da rua têm o privilégio de ter a parte dos fundos voltada para a praia e para o mar. Elas mantêm sempre alguma porta, janela ou divisórias de vidro permitindo-nos a visão daquele cenário. Verão numa das fotos. Algumas Galerias também estendem seu espaço até ali oferecendo aos visitantes a mesma visão.

Em Armação dos Búzios você precisa estar disposto a andar, não usar carro, apenas caminhar e terá muito a ver, e descobrirá recantos maravilhosos que acabam por pedir sua volta a eles, seja de dia seja de noite.

Restaurantes há em profusão, é tudo uma questão de gosto. Nós escolhemos o nosso e demos preferência ao delicioso “Bananaland”, um ambiente de “self service” refinado, oferecendo comidas variadas, trocadas diariamente. O atendimento é de primeira qualidade com pessoas simpáticas, educadas, bem treinadas para o serviço que executam. O som sempre baixo, ora com solos suaves de piano, ora de saxofone. À noite a iluminação indireta nos encantou também.

Alguns restaurantes costumam ter música ao vivo, especialmente à noite, basta escolher o tipo de som preferido. Alegria, vida, movimento, animação não faltam, principalmente nas noites de sexta e sábado, mas nas outras também vimos muito disso por lá. As lojas costumam ficar abertas até tarde.

Nós nos hospedamos na Pousada do Centro. Sua localização é ótima. O ambiente é simples, mas muito hospitaleiro e o valor das diárias é bem atraente. Ela se divide em Leste e Oeste. Após conhecermos ambos os ambientes, preferimos a Leste que mantém um estilo mais à antiga, bem colonial.

A equipe que nos atendia lá é formada por pessoas simpáticas, profissionais competentes, carregando no rosto sempre um sorriso acolhedor. Fizemos boas amizades para sempre. Cito o Felipe, a Torlony e o Rodolfo, com os quais tínhamos mais contatos. Voltando à Armação de Búzios já sabemos onde ficar.

Pelo que apurei em toda a península de Búzios deve haver cerca de 8.000 Pousadas e os moradores seriam em torno de uns 20.000. Muitos que trabalham por lá moram aqui em Cabo Frio. No deck há sempre pessoas oferecendo passeios de barcos pelas ilhas ou num jipe grande para irem a outras praias da península.

Búzios possui diversas praias, porém em nenhuma delas você irá encontrar o que a Armação oferece. Experimente um dia ir até lá e confirme tudo que eu digo nesses dois textos. Não foi à toa que nos anos sessenta a famosa atriz Brigitte Bardot se encantou com aquele recanto e lá se instalou por um bom tempo.


(31 de agosto/2012)
CooJornal nº 802



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com

Direitos Reservados