10/03/2014
Ano 17 - Número 883


 

ARQUIVO SIMÕES


Francisco Simões
em Expressão Poética

 

Follow RevistaRIOTOTAL on Twitter

Francisco Simões

 

DESABAFO




 

Francisco Simões, colunista - CooJornal

Ah se vocês fossem pessoas menos críticas, usassem menos a censura fazendo muitas vezes um juízo desfavorável sobre alguém e se tivessem uma postura de maior compreensão, tolerância, indulgência, permitindo que semelhantes seus possam ser desiguais no pensar, no agir, no serem diferentes mesmo eles convivendo com vocês de alguma forma;

Ah se vocês se esforçassem um pouco para perceber algumas vezes que a amizade leal pode estar bem perto querendo compartilhar ainda um caminho, algumas emoções, talvez um viver solidário em vez de vocês manifestarem uma indiferença, quase desprezo, com reações emocionais injustificáveis que acabam por levar algumas vezes muito mais ao quase ódio;

Ah se vocês entendessem o quanto a vida nos cobra quando ela se alonga por demais, se tentassem entender os limites que ela acaba por nos impor retirando das pessoas algumas de suas resistências;

Ah como seria tão fácil se todos vocês deixassem de lado suas posturas superiores para ver por outro prisma que a vida, com o tempo, acaba por lhes proibir também outras ações, iniciativas, atitudes, até mesmo posicionamentos que antes vocês tinham com prazer e constância, mas acabam sendo tolhidos de realizá-las, mesmo querendo;

Ah se vocês percebessem o quanto chegam a ser cruéis no julgamento e na crítica àqueles que hoje não têm o vosso tempo, pois vieram de bem mais longe e por isso caminham talvez um pouco diferente, sem o mesmo passo firme, sem a mesma resistência, mas quem sabe carregando no peito, no coração, a mesma antiga, sincera e leal amizade;

Ah se quando eventualmente vos bate um arrependimento, o que é natural e comum em qualquer ser humano, vocês usassem da coragem de admitir algum equívoco de atitude ou de palavras e levantassem a bandeira branca da paz representada ali por um honrado pedido de desculpas a seus semelhantes sem medo de ser feliz;

Ah se agissem assim naquela circunstância, com certeza depois vocês se sentiriam seres muito melhores do que aqueles que preferem sufocar qualquer gesto de clemência ou compreensão para com seus semelhantes;

Ah se a vida lhes for profícua e os levar no tempo a uma existência também longa, se chegarem onde hoje estão semelhantes seus que algumas vezes são por vós criticados, com os quais vocês não têm paciência, tomara que esta mesma vida os poupe de pessoas que julgam no direito de escarnecer semelhantes mais velhos, como vocês já fizeram com outros no passado;

Ah tomara mesmo que ela, a vida, nunca lhes cobre dívidas passadas do seu proceder, tomara que não; digo isto porque a vida costuma cobrar e o preço pode ser alto o que significa eventualmente dor, sofrimento, sem direito muitas das vezes a algum tardio arrependimento, podem crer.
 

 
(10 de março/2014)
CooJornal nº 883



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
fm.simoes@terra.com.br
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com

Direitos Reservados