01/02/2015
Ano 18 - Número 922


ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

Francisco Simões

FAZENDO AMIGOS
 

Francisco Simões, colunista - CooJornal

Outro dia uma nova leitora me escreveu comentando um antigo texto no qual falei sobre o “fenômeno” de eventualmente eu suar somente de um lado do corpo. Isto descobri ainda jovem. Mas o assunto de hoje não é este.

Acontece que no correr de sua mensagem e por estar me escrevendo pela primeira vez eu lhe disse que me agrada demais receber comentários mesmo de textos antigos e de pessoas que nunca antes me haviam escrito.

Trocamos então algumas mensagens falando sobre nossas vidas. Minha nova leitora e também amiga é casada e tem uma linda família com duas filhas. Ela nasceu no Rio no bairro de Botafogo.

A certa altura ela fez uma citação que lera em algum livro. Escreveu ela: "Quanto mais cedo fizer novos amigos mais cedo terá velhos amigos"! Não há dúvida que é algo que faz sentido, algo muito lógico, todavia fazer amigos, gente boa, não é tão fácil assim, é uma arte, disse um poeta.

Nós começamos fazendo amigos ainda na infância, depois na juventude, etc. Ocorre que alguns acabam sumindo, ficando pelo caminho, ou abandonam nossa amizade sabe-se lá o motivo. Outros ficam fiéis até o final de nossas vidas, podem crer.

Tenho amigos feitos ainda na infância que se comunicam comigo até hoje, um deles é o poeta paraense Alberto Cohen e seu irmão, o Miguel Cohen que vive em S. Paulo. Outro é o Armando Avelar, ex padre e professor universitário em Teologia. Fidelidade é isto.

Alguns dos amigos que fiz na juventude ou partiram desta vida ou tomaram caminhos que os afastaram de mim. Assim é a vida e eu não me importo porque sempre reconheci que consigo refazer minha “lista de amigos” mesmo com o tempo passando.

Assim aconteceu quando trabalhei no rádio, em Belém do Pará, começando em 1953, com apenas 17 anos. Os irmãos Cohen estão entre os daquele tempo e se depois eu acabei passando em concurso do Banco do Brasil e tive que deixar o rádio, eles jamais me deixaram.

Estivemos longe por um longo tempo, mas a vida é que faz isto com a gente. Felizmente nos reencontramos aqui pela internet muitos anos depois. Esta “armadilha” que ao mesmo tempo que traz amigos e retorna antigas amizades também algumas vezes separa amigos por motivos tão fúteis. Eu que o diga, já tive algumas experiências dessas.

Voltando a escrever e divulgar textos como tenho feito desde Janeiro/2001 ganhei muitos, mas muitos leitores que acabaram, pelo menos alguns, se tornando grandes amigos ainda que jamais tenhamos nos falado ou visto pessoalmente. Isto acontece até hoje.

Entre milhares de mensagens de comentários sobre o meu trabalho desde que recomecei a escrever e divulgar há mais de 15 anos é comum que amigos de longa data do Banco do Brasil de quando em vez me escrevam ora comentando meus escritos ora me enviando coisas maravilhosas.
Gosto disso.

Por outro lado eu sinto pena, pois sou muito emotivo e fiel a boas amizades, quando percebo que alguns não fazem a mínima questão de se comunicarem comigo, nem eventualmente. Parece que me viraram as costas a partir de quando nos aposentamos. Respeito como digo sempre, mas lamento e muito.
Estes por sua atitude para com um amigo da antiga acabam por querer desmentir o que me disse a nova leitora: "Quanto mais cedo fizer novos amigos mais cedo terá velhos amigos"! Pois é, mas como se vê há exceções.

Afinal como eu disse mais acima fazer amigos é uma arte, mantê-los acredito que também, entretanto não se pode segurar aqueles que por alguma razão que desconhecemos decidem nos virar as costas e o coração.

Quero deixar bem claro para minha nova amiga e para todos que lerem este texto que a atitude dos “amigos fujões”, digamos assim, não invalida de forma alguma aquela máxima. Exceções servem mais é para confirmar a regra, certo? Afinal como outro dia me disse um grande amigo da antiga: “Quando se tem amigo nunca se está sozinho”. Com certeza, Amaro.

Sou feliz, mesmo já tendo perdido tantos bons e fiéis amigos para a morte, mas por acreditar naquela máxima acima referida, decidi enviar-lhes um presentinho do qual eu gosto por demais.

Entrem, por favor, pelo link a seguir e ouçam a linda canção do excelente cantor e compositor, além de poeta, Oswaldo Montenegro – “A LISTA” - https://www.youtube.com/watch?v=2cfvBNnL0o4



(11 de feverero/2015)
CooJornal nº 922

Mensagens sobre o texto podem ser enviados ao autor, no email fm.simoes@terra.com.br



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.