01/05/2016
Ano 19 - Número 982

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões

A VERDADE ACIMA DE TUDO
 

Francisco Simões, colunista - CooJornal

Não gostaria de voltar a tratar de política, mas infelizmente me vi na obrigação de escrever algo ainda que venha defender a verdade o que em política anda em baixa há muito tempo. Nela prevalece muito mais a mentira seja de que lado for sem distinção.

Quando o Brasil anda dividido em dois lados e se digladiando até nas ruas, restaurantes, aeroportos, bares etc, ou seja, ninguém pode ter opinião diferente de alguém presente, pois corre o risco de ser agredido ou levar uma cusparada na cara. Aliás, é melhor uma simples cusparada, mesmo deseducada, do que uma bala como alguns ameaçam quando defendem líderes da tortura no tempo da ditadura.

Enquanto o processo de impeachment do atual governo é discutido no Senado, já tendo passado pela Câmara dos Deputados numa “noite de horrores” (expressão usada antes pelo jornal americano “The New York Time”) o Vice de D. Dilma que anda posando de inocente e merecedor de pegar uma boquinha no afastamento da senhora presidente, ele que esteve até agora envolvido até o pescoço nos dois governos do PT, faz contatos com políticos de vários partidos já montando um eventual governo seu. Prefiro a isenção do Sr. Itamar Franco que acabou sendo um bom Presidente, porém jamais teve envolvimento no governo de Collor.

Quanto ao Sr. Temer já se sentir no alto cargo deste país nada tenho, embora saiba que ele também está envolvido em processos em andamento, conforme tenho visto e lido na mídia em geral. Até aí é problema dele e se julga que já deve ir se prevenindo para o cargo, tudo bem. Aguardemos o julgamento do Governo atual em andamento.

De repente alguns políticos tanto do PT, como de outros partidos, até mesmo do PSDB, inclusive o Sr. FHC sugerem a possibilidade de se preparar uma eleição tipo “Diretas Já” para Presidente vejo que de repente alguns tucanos andam a saltar de um lado para outro. Ora querem eleições diretas ora não querem. É próprio dessa gente.

Parece que ao Sr. Michel Temer não interessa a tal eleição direta agora ou em 2018, não sei o motivo, e aproveitando o vacilo do PSDB agora ele promete aprovar, se Presidente vier a ser, acabar com a tal reeleição. Já fez reunião até com Aécio Neves, segundo vi na mídia, a fim de buscar apoio para esta ideia vingar depois.

Vejam que a iniciativa do Sr. Temer visa a atrair muitos políticos que não estão satisfeitos com o processo de reeleição. Só que quando ele quer agradar primeiramente, assim me parece, o grupos dos tucanos, minha memória que mesmo chegando aos 80 anos está bem acesa e viva, recorda que foram eles, do PSDB, liderados pelo então Presidente FHC que tocaram pra frente a ideia de dois mandatos seguidos.

Na época FHC estava a caminho de terminar seu primeiro mandato e então, legislando em causa própria, “mexeu os pauzinhos” junto ao Congresso para conseguir a aprovação da dita reeleição. Segundo foi comentado em diversos órgãos da imprensa à época esses tais “pauzinhos” teriam custado mais do que aquilo registrado no Mensalão do PT anos depois. Só não houve qualquer apuração das denúncias visto que na época o Procurador Geral da República era mero “Engavetador”, como disse toda a imprensa.

Assim a reeleição foi aprovada no Congresso, FHC se reelegeu e ao deixar muito a desejar no segundo mandato facilitou finalmente a vitória do Lula na candidatura à Presidência. Podemos cobrar muitos erros e desmandos nos governos petistas, mas isto nós temos que debitar na conta do PSDB. E agora Temer posando de Presidente pretende chamar mais apoio para si prometendo acabar com a reeleição.

Eu também sou a favor de que se acabe com o tal segundo mandato em cargos majoritários, entretanto me parece que ir buscar apoio justo na turma dos tucanos que “inventou” aquela fórmula, repito, em proveito próprio na época, é tomar a direção errada.

Como disse outro dia o excelente jornalista da Bandeirantes Ricardo Boechat “na guerra quem primeiro morre é a verdade e depois o bom senso”, no jogo político neste país especialmente nunca se sabe qual é a intenção deste ou daquele representante do povo, este que costuma ser enganado e parece até gostar de ser enganado.

Assim sendo, amigos e amigas, quando se pretende por a verdade acima de tudo e depois de estar vendo e ouvindo tantas sandices, tantos “espetáculos” deprimentes apesar da pose de alguns políticos, prefiro ficar na ilusão de que no fim tudo dará certo. E vamos vivendo neste lindo país que querem transformar na terra da fantasia.

Em nome da vergonha, da moral, do respeito às leis e à Constituição pelo menos da minha parte vou carregando a bandeira da verdade acima de tudo, sem preferência de cores, nem de partidos, nem de ideias só não abrindo mão da democracia. Quanto a Deus, se Ele existe mesmo, tem mais o que fazer do que ficar a ouvir tantos irresponsáveis a pronunciar seu santo nome em vão.


__________________________________________

Comentários sobre o texto podem ser enviados ao autor, no email fm.simoes@terra.com.br

(1º de maio, 2016)
CooJornal nº 982



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.