15/11/2016
Ano 20 - Número 1.006

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões


OS CARTÕES NOVAMENTE

 

Francisco Simões, colunista - CooJornal



Na edição anterior deste CooJornal da revista RIO TOTAL eu narrei o que aconteceu no Rio com meu cartão Ourocard Estilo quando lá estávamos por uns poucos dias. Talvez muitos não tenham dado a mínima importância aos fatos, mas outros deram e me escreveram.

Saibam os que me lerem que durante dias continuei a receber mensagens não apenas comentando sobre o que eu escrevi, todavia acrescentando exemplos ocorridos com eles ou elas e pessoas de suas famílias.

Outro amigo da antiga chegou a me afirmar que não costuma usar o cartão de crédito. Para sacar ele vai mesmo ao Banco como sempre fizemos antes desta “nova era”. Da mesma forma ele o faz quando precisa pagar contas.

Sei que é uma forma que exige de nós certo trabalho, paciência, porém talvez nos dê mais segurança. Afinal nos Bancos costuma haver filas e mais filas em determinados dias do mês. Trabalho também nos dá se pagamos contas nos guichês. Acreditem que há quem prefira agir assim.

Ainda no domingo passado uma boa amiga mineira me relatou o que ocorrera, ou quase se concretizara, com o cartão da senhora genitora dela. Meio sem querer acabaram descobrindo que alguém, não se sabe quem, comprara uma passagem de avião em vôo internacional com o cartão da mãe de minha amiga.

Um fato desses só se pode admitir ter acontecido pela possível clonagem do cartão da referida senhora. Isto assusta, afinal, todos estamos sujeitos a passar por situação semelhante. Não deixa de ser assustador. E a responsabilidade dos Bancos?

Acrescento que entre o texto anterior e este minha esposa tomou mais um susto ao usar seu cartão de crédito, novinho, renovado fazia uns dois meses. Após fazer a compra de certo alimento no mesmo lugar onde tantas vezes já usou seu cartão antes ao digitar a senha teve o desprazer de ver na máquina que a “senha era inválida”. Eu costumo recomendar não se insistir nesses casos, mas ela o fez só para garantir que não errara ao digitar. Resultado é que novamente acusou “senha inválida”.

Respeito todas as marcas das maquininhas em uso, porém está mais do que comprovado que algumas não funcionam a contento. O pior é que esses casos por mim citados aqui vêm se repetindo e muito.

Outro dia fomos lanchar numa tradicional casa aqui de Cabo Frio na Avenida principal. Tantas vezes já lá entramos e pagamos sempre com cartão de crédito. Desta feita decidi pagar em dinheiro, mas me chamou a atenção o fato de a caixa que nos atendeu ter à disposição dos seus clientes 6 (seis) maquininhas com marcas diferentes. Por que isso?

Dois dias depois minha esposa fez algumas compras no Cereal Gourmet (também conhecido como Armazém do Bem) e ao colocar o cartão na maquininha veio a informação de que a senha já fora considerada inválida anteriormente (vejam acima). Ela então pagou em dinheiro e não insistiu com seu cartão novinho.

Minutos depois ela entrou no Hortifruti aqui de Cabo Frio também e apresentou o mesmo cartão pagando normalmente sem qualquer problema. Neste a máquina era da marca “Rede” e no Cereal Gourmet era “Cielo. Por que isto?

Então pergunto mais uma vez: o que se passa com as maquininhas que leem nossos cartões em lojas, supermercados etc? Afinal quando a recusa da senha ocorre o vendedor sempre nos olha meio atravessado julgando que nós erramos ao digitá-la e não é verdade.

Por que isto acontece com algumas máquinas e não ocorre com outras eu não sei, mas é um caso a pensar ou a investigar sei lá por quem. O fato é que assusta pela insegurança que nos impõe.

E ainda andam a fazer propaganda pela TV para que as pessoas movimentem suas contas pelos tais avançados “smartphones”. Por favor, não façam isto, é um meio ainda mais fácil de pilantras invadirem suas contas e roubarem seus dados pessoais. Não caiam nesta armadilha.


__________________________________________

Comentários sobre o texto podem ser enviados ao autor, no email fm.simoes@terra.com.br

(15 de novembro, 2016)
CooJornal nº 1.006



Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.