15/02/2018
Ano 21 - Número 1.065

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões



AMAR SOZINHO

Francisco Simões, colunista - CooJornal



A canção portuguesa composta por Luiza Sobral, irmã do intérprete da mesma, Salvador Sobral, no maravilhoso Festival da Eurovisão do ano passado e que venceu galhardamente como a melhor música do referido Festival, carrega em seu bojo muitos versos lindos, muito lindos, poesias puras que falam de amor e muito mais.

Em outubro do ano passado eu escrevi um texto sobre o sucesso da referida canção “Amar pelos Dois”, mas hoje eu decidi voltar ao assunto apenas para examinar especialmente um de seus versos que algumas vezes define muito bem a situação porque passamos na vida.

Toda a canção é muito linda, tanto no que se refere à música como a sua letra como eu já disse e repito poesia da melhor qualidade numa interpretação magistral do jovem Salvador Sobral, português.

O título acima eu extraí do que falam estas palavras que compõem pequena parte da linda letra daquela música: “Eu sei que não se ama sozinho”. Pois é, amar sozinho é convenhamos muito sofrido, muito mesmo e quem de nós de alguma forma já não viveu tal situação?
Por outro lado algumas pessoas afirmam e acreditam piamente que não existe o que entendemos por felicidade, porém sim momentos felizes, apenas isto. Será verdade mesmo? Talvez sim para uns talvez não para outros, enfim é a vida. Cada um segue o seu destino traçado sabe-se lá por quem. Não esqueçamos, e eu acredito nisto, que nós temos o poder de altera-lo seja para o bem seja para o mal. A vida tem me ensinado.

Bem eu estou aqui para responder por mim, por tudo ou boa parte do que já vivi nesta longa existência. Confesso que por algumas vezes tenho amado em parceria com a pessoa que eu escolhi para ser minha namorada, amante ou esposa.

Nestes casos acredito que o amor tenha sido bem compartilhado, todavia outras vezes eu errei e posso ter sido injusto ao demonstrar um amor que em verdade podia ser apenas um desejo. Aconteceu em minha juventude, é verdade. Claro que a recíproca deve ter sido verdadeira em outros casos, pois nem sempre fui eu o algoz, e sim algumas vezes talvez a vítima.

Entendo que é difícil alguém assumir o que aqui eu declaro como verdadeiro e até assumo a responsabilidade. Sei que é mesmo complicado e assim muitos preferem dissimular ou fingir não ser com eles ou elas e ir em frente. Uma coisa é certa você pode enganar a outros, todavia jamais enganará a si próprio (a). Creia, o arrependimento tardio dói e dói muito mesmo.

O ser humano vive muitas das vezes a se dirigir ao seu Deus, seja na confissão seja na oração, mas nem sempre age na forma como fala com Ele. Aqui mais uma vez eu visto também a carapuça. Gostaria que outros fizessem o mesmo, todavia é uma atitude meramente pessoal.

Por esta e por outras sempre que eu me ponho a ouvir a canção referida acima e escuto o verso... “Eu sei que não se ama sozinho...” dói-me no coração e na alma (para quem acredita nela) porque sinto passar em revista quase toda uma longa vida com muitos acertos, mas também com erros, muitos erros.

Se algumas vezes tenho percebido depois de algum tempo estar a amar sozinho, quantas vezes alguém não me amou sozinha e o errado, ou digamos o carrasco, não fui eu? Há que ter coragem para ser aberto honestamente à verdade.

Por outro lado já fui vítima (e talvez até algoz) por interpretações precipitadas, por eventuais castigos não merecidos e que quem sabe podem ter levado a um desfecho cujo arrependimento, ou o peso na consciência pode ter demorado demais a se revelar. Quem sabe?

“Amar pelos Dois” que é a canção a que aludo acima e da qual retirei o verso em questão é uma demonstração de humildade do princípio ao seu final. É como que um exame de consciência carregando apelos ao bom senso e ao amor ainda resistente em dois corações embora pareça que apenas um deles está a ser sincero. Há que ter muito cuidado com este tipo de julgamento e em castigos eventualmente aplicados.

Vou encerrar meu texto oferecendo-lhes novamente a oportunidade de ouvirem na íntegra a canção em referência cantada pelos dois irmãos a autora e seu intérprete. Usem por gentileza o link abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=8Nglpp3QSiI




Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.