01/03/2018
Ano 21 - Número 1.067

 

ARQUIVO SIMÕES

Francisco Simões
em Expressão Poética

Venha nos
visitar no Facebook

 

Francisco Simões



DEMOCRACIA SIM, DITADURA JAMAIS

Francisco Simões, colunista - CooJornal



Eu havia prometido a mim mesmo que tão cedo não escreveria sobre esta política rasteira que está aí, mas infelizmente sinto-me como que obrigado a dizer alguma coisa face à situação em que o país se encontra e também ao fato de terem me enviado ultimamente mensagens apócrifas que de certa forma me tiraram do sério.

Há pessoas talvez mal informadas e outras, quem sabe bem informadas, mas desejosas de um retorno ao que já passamos não faz tanto tempo não. Se agora o clima político e social anda muito mal, creiam que pode ficar ainda pior, basta não sabermos escolher ou nos deixarmos levar por “cantos de sereia” enganosos e tentadores para quem não pensa, apenas segue o que outros indicam.

Dois grandes amigos me repassaram as ditas mensagens impregnadas de defesa da passada ditadura, todavia apenas para eu tomar conhecimento do que alguns andam a difundir nesta internet jamais aprovando ou defendendo tal ideologia. A estes eu agradeci e não deixei de opinar sobre o que penso deste “movimento” que tenta impor-se sobre mentes desinformadas e/ou mal intencionadas.

Eu vivi os muitos dias, meses ou anos da passada ditadura civil militar que começou neste país em 1964 e terminou nos anos 80. Hoje estou indo para os 82 anos, mas à época eu tinha pouco menos de 40 anos. Vivi seus “efeitos” tanto no trabalho em certo Departamento da Direção Geral do BB à época como em minhas atividades produzindo filmes de curta metragem de crítica sobre a situação político social então vigente e que eu inscrevia em Mostras Universitárias.

Alguns se deixam levar fácil por meros cantos de sereia sem nada saberem do que vigora ou é imposto num regime de exceção, caso das ditaduras, seja civil seja militar. Haja vista o que se passa agora na Venezuela, aqui perto de nós, ou na Síria e em outras republiquetas deste planeta.

Pessoas que agora escrevem ou falam abertamente criticando todos os aspectos negativos não do regime democrático, mas dos efeitos negativos de nossos governantes seja na esfera estadual, municipal ou mesmo federal nem imaginam que se estivéssemos numa ditadura jamais poderiam fazê-lo. Procurem se informar sobre o que se passava nos meios de comunicação à época do regime ditatorial, seja nas rádios, assim como nos jornais e nas televisões. Cuidado com estes “cantos de sereia”.

Se vivemos uma situação que já está chegando ao extremo de violência, pois não temos segurança nem mesmo dentro de casa, e sabemos pelas informações constantes da mídia que vamos cada dia pior tanto na educação, como na saúde, por este Brasil afora a culpa não é do regime, de forma alguma, mas sim dos políticos que aí estão e que, eu lembro bem, foram eleitos pelo nosso povo. Ou estou mentindo?

Informem-se sobre as democracias vigentes em países europeus, e não só lá, mas também na América do Norte e outros continentes. A qualidade das mesmas baseia-se acima de tudo na formação histórica de seus povos, embora elas também carreguem seus defeitos, pois paraíso não existe pelo menos neste planeta. Ditaduras são deploráveis sejam elas de direita ou de esquerda, civil ou militar, tanto faz.

Eu sei que os nomes já anunciados como prováveis candidatos à Presidência da República em nosso país nas próximas eleições não nos animam, pelo menos a mim, a votar em nenhum deles. São quase todos figurinhas marcadas e que de uma forma geral já passaram pelo poder e roubaram, desviaram verbas, respondem a processos diversos, porém permanecem soltos. Ocorre que até a Justiça neste país tem que seguir regras ou trâmites que a travam ou a fazem andar a passos de cágado.

Quem eventualmente pode estar a ser apresentado como incorruptível, e eu sei que há quem o faça sim, procure se informar sobre suas ideias, sobre o que prega e o que pratica na política. Por que ele está tão interessado em alcançar o poder militando na política há tantos anos e não tendo passado do que é? Cuidado, até nessa escolha há que se ler nas entrelinhas, ou por baixo de suas camisas, o que lá se esconde, certo?

Nada disso pode nos levar a almejar mudar de regime ainda mais quando andam a espalhar por aí, sem dizer toda a verdade do que vivemos no Brasil durante cerca de 20 anos, que a ditadura “é melhor” ou mesmo “mais justa”. Você que apenas ouviu dizer, que não viveu aqueles tempos, um dia iria chorar lágrimas de sangue por um arrependimento tardio. Na ditadura você não tem voz nem vez, apenas obedece ou...

Por outro lado, nossas Forças Armadas de hoje em dia estão cientes de seu papel fundamental com relação à pátria. Eles nunca se recusam a ajudar quando necessário, haja vista o que ocorre no nosso Estado do Rio de Janeiro atualmente, todavia eles estão ali para unir forças com as polícias civil e militar seguindo um planejamento que dentro de determinado prazo possa minimizar a atual situação de total insegurança em que vivemos. Torço para que eles consigam.

Quanto à corrupção ela está tão espalhada, impregnada não apenas no meio político, mas em nossa sociedade também, que julgo sejam necessárias algumas gerações de novos brasileiros bem formados, para que possamos um dia considerá-la algo que não nos incomoda como hoje, que não governe Estados ou mesmo uma Nação, que tenhamos um Congresso sem figuras marcadas por tantos e tantos processos muitos que até hoje sequer foram julgados. Que nossa Justiça saia da lentidão habitual de hoje em dia e possa ser justa, porém num prazo razoável, não a perder de vista.

Pretendo voltar ao assunto proximamente. Aceito comentários em qualquer sentido.




Francisco Simões
escritor, poeta, fotógrafo (expositor), ex-radialista
Rio de Janeiro
Conheça um pouco mais de Francisco Simões
http://www.riototal.com.br/escritores-poetas/expoentes-021.htm
http://www.riototal.com.br/expressao-poetica/francisco_simoes.htm
www.francisco-simoes.com



Direitos Reservados
É proibida a reprodução deste artigo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do autor.